HomeDiagramsDatabaseMapsForumSkyscraper Posters
     
Welcome to the SkyscraperPage Forum.

Since 1999, SkyscraperPage.com's forum has been one of the most active skyscraper enthusiast communities on the web.  The global membership discusses development news and construction activity on projects from around the world, alongside discussions on urban design, architecture, transportation and many other topics.  SkyscraperPage.com also features unique skyscraper diagrams, a database of construction activity, and publishes popular skyscraper posters.

Go Back   SkyscraperPage Forum > Regional Sections > América Latina > Brasil > Regiões Metropolitanas Mundiais

Reply

 
Thread Tools Display Modes
     
     
  #241  
Old Posted Oct 19, 2011, 10:43 AM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 5,656
Jovens brasilienses lançam projetos aeronáuticos em competição nacional


O fascínio humano pelo céu sempre alimentou o imaginário coletivo. Há não muito tempo, a conquista do espaço aéreo finalmente se tornou um fato, revolucionando a história e os costumes. Mas os resultados não impediram que as novas gerações continuem sonhando.

A partir de amanhã, uma amostra dos novos projetos na área de engenharia aeronáutica alça voo na 13ª edição da SAE Brasil AeroDesign, em São José dos Campos. Das 97 equipes participantes, três nasceram aqui no Distrito Federal.

O campeonato é a chance de mostrar ao público o resultado de meses de cálculos e estudos em laboratório. Não basta chegar à competição e lançar a aeronave. “São três fases. A primeira é um relatório escrito, que já foi enviado. Lá em São Paulo, temos uma apresentação oral e a prova de voo”, explica Pedro Augusto Soares, 20 anos, capitão da equipe Draco Volans. Aluno do 6º semestre de engenharia mecânica da Universidade de Brasília, Pedro integra a equipe há dois anos. “Em 2010, fomos bem na parte escrita, mas na hora de voar, não conseguimos tirar o avião do chão”, lembra. Este ano, a equipe sonha alto: quer ficar entre os dois primeiros lugares e conseguir a vaga para competição internacional.

A pontuação é baseada em vários quesitos. Quanto mais leve for a estrutura da aeronave e quanto maior a carga suportada durante o voo, mais pontos para a equipe. Estabilidade, tempo no ar e design completam as características avaliadas. Este ano, a Draco competirá com outra equipe do Distrito Federal. A Antonov, formada por alunos de engenharia mecatrônica da Universidade Paulista (Unip), tem três anos de existência. Para este ano, os seis integrantes levam um projeto similar ao apresentado em 2009, com algumas alterações na asa. “Lutamos para ficar entre os 30 mais bem colocados”, afirma o capitão Antônio Vieira Júnior, 24 anos. Ao contrário da Draco Volans, que embarca para São Paulo com três aviões idênticos na bagagem, a equipe Antonov deve levar apenas um protótipo, com pares de asas reservas.

Equipamentos

Draco Volans e Antonov competirão na categoria regular, usando aviões com cerca de três metros de envergadura. Enquanto isto, outra equipe da UnB tenta buscar o título com um aeroplano menor, na categoria micro. “O objetivo é o mesmo, carregar peso. O que muda é o motor, geralmente elétrico, e as dimensões do projeto”, explica Paulo Henrique Marques de Oliveira, 23 anos, membro-fundador da equipe Plano Piloto.

Independentemente da categoria ou dos objetivos, os três capitães encaram de maneira semelhante o envolvimento com a atividade. Antônio, Paulo e Pedro afirmam não ter escolhido, ainda, a área de atuação. “Gosto bastante da área de aeronáutica, mas não defini se quero trabalhar com isso no futuro”, repetem.

A paixão que expressam ao detalhar seus projetos, as madrugadas em claro acertando os pormenores e mesmo o investimento do próprio bolso nas aeronaves mostram, no entanto, que o aerodesign é, para essa turma, mais que um simples hobby. Dos projetos em miniatura, podem surgir ideias e soluções para a aviação comercial de grande porte. Nas competições internacionais, as equipes têm a chance de se apresentar para olheiros de grandes empresas de aviação, que ficam atentos aos talentos adormecidos. Quando o assunto é o futuro profissional, não custa nada sonhar alto.





http://www.correiobraziliense.com.br...nacional.shtml
Reply With Quote
     
     
  #242  
Old Posted Oct 19, 2011, 10:54 AM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 5,656
MP investiga denúncia sobre compra irregular de apartamentos pela PMDF



Caixa Beneficente da PM pagou R$ 6,5 mi por 40 imóveis em Caldas Novas.
Depois de 9 meses, terreno onde os prédios seriam construídos está vazio.



O Ministério Público do Distrito Federal investiga suspeitas de irregularidades na compra de apartamentos pela associação da Polícia Militar do Distrito Federal. Em janeiro, a Caixa Beneficente da PM (Cabe), que representa a corporação, assinou um contrato e pagou R$ 6,5 milhões à TRV Construções e Incorporações Ltda.

Em troca, 40 apartamentos, de 1 e 2 quartos, em um resort em Caldas Novas, cidade goiana a 291 quilômetros de Brasília. O empreendimento seria exclusivo para policiais militares do DF. Mas nove meses depois o terreno onde os prédios seriam construídos continua vazio.

A transação está sendo investigada pelo MPDF, não apenas porque a obra ainda não saiu do papel, mas também porque o valor cobrado pelos apartamentos estaria muito acima do preço de mercado. Além disso, há detalhes do contrato e questões ligadas à construtora considerados suspeitos.

Um documento da Junta Comercial de Goiás mostra que a construtora TRV foi criada quatro meses antes do negócio. No contrato, a construtora garante que é legítima proprietária da área destinada à construção do empreendimento. Mas uma certidão do cartório de Caldas Novas prova que depois da assinatura do contrato, o imóvel tinha outros donos.

Um dos sócios da TRV Construções, Avaci Tavares Gonçalves, confirma ter comprado o terreno depois, apesar do nome dele aparecer no contrato assinado em janeiro.

A TRV tem outros três sócios. Entre eles, Vanessa Abreu Batista Pereira, esposa de um oficial que, segundo Avaci Tavares, teria intermediado a negociação entre a Caixa Beneficente e a construtora. O que ele considera um procedimento normal.

Vanessa Batista Pereira disse que não existe nenhuma relação suspeita na transação e que o marido nunca fez parte da direção ou de qualquer cargo na Caixa Beneficente da PM.

Em nota, a Caixa Beneficente da PM, informou que a construtora TRV é uma sociedade que foi criada exclusivamente para a construção do resort. Segundo a associação, esse tipo de empresa é uma garantia de que o empreendimento não será afetado por qualquer problema.

A Caixa Beneficente da PM diz ainda desconhecer qualquer ação do Ministério Público e que toda a negociação do empreendimento foi feita dentro da lei e de maneira transparente.

Quanto ao atraso nas obras, a TRV Construções e Incorporações informou que houve um atraso na emissão da licença ambiental. Sobre o preço dos apartamentos, a empresa garantiu que o valor cobrado é compatível com a estrutura que será oferecida.

"Nota de esclarecimento da Caixa Beneficente:
Em relação às informações que vêm sendo disseminadas sobre atitudes da atual gestão da Caixa Beneficente da PMDF (Cabe), especificamente no que tange à aquisição de empreendimento em Caldas Novas, cabe ao Conselho Deliberativo e à Diretoria Executiva da Entidade os seguintes esclarecimentos:

A Caixa Beneficente da PMDF, Associação de natureza PRIVADA, a título de explanação inicial, insta relatar que o empreendimento firmado em parceria com o Grupo Privé, denominado Mirante da Serra Thermas Resort, na cidade de Caldas Novas – GO foi uma decisão adotada pelo Conselho Deliberativo após várias tratativas que perduraram por mais de 06 (seis) meses (desde junho de 2010), por entender ser a oportunidade de fornecer a todos os contribuintes um benefício diferenciado e inovador denominado CABETUR e, mesmo assim, somente depois de considerar vários aspectos, os quais citamos abaixo.

A. O potencial turístico da Cidade de Caldas Novas, por meio de relatório circunstanciado;
B. Estudo de viabilidade econômico-financeira e o risco do investimento, através de consultoria especializada;
C. A credibilidade do parceiro incorporador quanto à idoneidade e expertise no ramo desse tipo de empreendimento, por meio de pesquisas judiciais e no mercado imobiliário;
D. Análise da forma de incorporação por meio de SPE, no sentido de conferir segurança e, minimizar os riscos do empreendimento;
E. Visitas, in locu, do terreno e de vários empreendimentos realizados pela parceira;
F. Reuniões, com apresentações a esse Conselho Fiscal e Diretoria Executiva, por convite ao Diretor e quem ele indicasse; e
G. Pesquisa do mercado imobiliário na cidade de Caldas Novas – GO.

Respostas aos questionamentos:

1- O contrato entre a CABE e a TRV não foi assinado pelo presidente do Conselho Deliberativo – Coronel Gilberto Alves de Carvalho.

O Diretor-Executivo da CABE de acordo com o Estatuto Social é o responsável legal para assinar contratos em nome da entidade. A assinatura pelo presidente do Conselho Deliberativo ou, na ausência deste, por um de seus membros é aposta para demonstrar que o Conselho aprovou o contrato. Ou seja, não há qualquer irregularidade no negócio.

2- Aquisição do terreno em Caldas Novas
A CABE não adquiriu simplesmente um terreno em Caldas Novas, tornou-se parceira de um empreendimento turístico associada a um dos maiores grupos de turismo e hotelaria do Brasil, o grupo Privé. O montante pago é referente à aquisição de 40 dos 456 apartamentos do empreendimento. Além disso, a CABE detem o direito vitalício de administrar o empreendimento hoteleiro e receberá toda a área comercial do complexo de aproximadamente 1.000 m² (restaurantes, lanchonetes e centro de convenções).

3- A criação recente da empresa TRV
A empresa TRV é uma Sociedade de Propósito Específico (SPE) que foi criada exclusivamente para a incorporação da construção do Resort. Uma SPE é uma sociedade empresária cuja atividade é bastante restrita, podendo em alguns casos ter prazo de existência determinado, normalmente utilizada para isolar o risco financeiro da atividade desenvolvida. Ou seja é uma garantia de que o empreendimento não será afetado por qualquer problema relacionado às empresas ou entidades que lhe deram origem.

A Sociedade de Propósito Específico - SPE corresponde a uma sociedade com as mesmas características do consórcio, porém com personalidade jurídica, que é formada para a execução de determinado empreendimento previamente identificado e em prazo limitado.
Geralmente a SPE, também denominada por consórcio societário, é exigida pelo Poder Público em licitações e concessões, por facilitar a fiscalização e a relação contratual entre este e aquela, e permitir maior garantia aos credores.

4- Processo no Ministério Público
A Caixa Beneficente desconhece qualquer ação do Ministério Público contra a entidade, até porque, cabe ao Ministério Público a fiscalização das Fundações e não das Associações.
Por fim, a Caixa Beneficente da PMDF afirma que realizou a negociação deste empreendimento desde a sua criação, de maneira clara e transparente, utilizando os meios totalmente legais e a divulgação pelos meios de comunicação próprios da entidade tais como o web-site, sua revista periódica que é distribuída em todos as organizações policiais militares do DF e em várias reuniões institucionais. Além disso, sempre deixa à disposição de seus Associados os documentos relativos à este Projeto. Acredita que está de pleno acordo com a sua missão corporativa, que foram respeitados todos os princípios legais e tais denúncias, infundadas, visam apenas macular a imagem dos atuais conselheiros, conturbando o processo eleitoral, plenamente democrático, em andamento.

Brasília, 18 de outubro de 2011
Assessoria de Imprensa – CABE PMDF"
















http://g1.globo.com/distrito-federal...pela-pmdf.html
Reply With Quote
     
     
  #243  
Old Posted Oct 19, 2011, 6:52 PM
Jota's Avatar
Jota Jota is offline
Registered User
 
Join Date: Sep 2011
Posts: 1,550
Quote:
Originally Posted by MAMUTE View Post
Indígenas serão transferidos para área próxima ao Noroeste após acordo
..............
O impasse entre os indígenas e as construtoras no Noroeste chegou ao fim nesta terça-feira (18/10). Após uma reunião que durou cinco horas, ficou decidido que os índios serão removidos para uma área localizada entre a Água Mineral e o Noroeste. O novo local, que será requerido pela Funai à União, tem 2 hectares, mesmo tamanho do antigo, e já tem nome: Área Especial Cruz. Ainda não há data definida para a mudança.
..................
http://www.correiobraziliense.com.br...s-acordo.shtml
Putz, quero ver o pessoal vender o Noroeste com a vizinhança de uma tribo de indios.

Realmente vai ser um bairro completo, pois já virá com os proprios pedintes.

A ARIE Cruls é bem ao lado do noroeste, na verdade os indios ficarão espremidos entre o antigo terreno da CEB (que ia a ser licitado) e o noroeste mesmo. Com o o terreno da CEB é comercial, provavelmente a "reserva indígena" vai ficar espremida entre um shopping e o noroeste. Que piada!

Para quem quiser ver onde é a ARIE Cruls:
http://www.terracap.df.gov.br/intern...0064907275.pdf

Foi a pior decisão possivel, vai ficar ruim como bairro e ruim como reserva indigena, além de uma área pequena demais para reserva ambiental.

Enfim duvido que esta historia tenha chegado a um final.
Reply With Quote
     
     
  #244  
Old Posted Oct 19, 2011, 7:09 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 5,656
Ficou foi bom, pois no Brasil onde se tem indios com acesso fácil a diversos shoppings, hipermercados, um clube, lojas diversas, escolas e faculdades, podemos dizer que temos os indios com a melhor localização do Brasil

Indios urbanos só aqui tem
Reply With Quote
     
     
  #245  
Old Posted Oct 19, 2011, 9:01 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 5,656
Policial militar entrega filho suspeito de latrocínio à polícia



Um rapaz foi preso nesta quarta-feira (19/10), em Alexânia (GO), suspeito de latrocínio. Adriano Lopes Pereira, 21 anos, é suspeito de matar, com um tiro no peito, o taxista Antônio de Moura, conhedido como Patinhas, na manhã de 10 de outubro. Adriano é filho de um policial militar que mora na cidade e atua em Brasília. A suspeita é de que o rapaz tenha furtado a arma do pai. O próprio policial entregou o filho à polícia.

De acordo com os agentes da Delegacia de Polícia de Alexânia, Adriano solicitou uma corrida com o taxista por volta das 11h30 do dia 10 de outubro. Moura buscou o rapaz na margem da BR-060. Cerca de 7Km depois, testemunhas afirmaram aos policiais que viram o táxi de Patinhas entrar em alta velocidade em um posto e bater na traseira de um caminhão. Assustados com o que achavam ser um acidente, as testemunhas se aproximaram, mas voltaram a se afastar quando escutaram um tiro. Em seguida, uma pessoa desceu do carro e saiu mancando.

De acordo com a polícia, as testemunhas identificaram um homem jovem, magro, alto e moreno. Os policiais relacionaram o crime a um furto de arma ocorrido alguns dias atrás. A arma de um policial militar do DF que residia em Alexânia teria sido furtada. De acordo com os agentes, Adriano foi reconhecido pelas testemunhas por foto.

O próprio pai de Adriano entregou o filho à polícia. A suspeita é de que ele tenha tentado assaltar o taxista, que se assustou e entrou no posto. O rapaz não tinha passagem pela prisão e vai responder por latrocínio, podendo pegar de 20 a 30 anos de cadeia.







http://www.correiobraziliense.com.br...-policia.shtml
Reply With Quote
     
     
  #246  
Old Posted Oct 19, 2011, 9:04 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 5,656
Grande atitude, esse não passa a mão na cabeça de vagabundo seja ele quem for
Reply With Quote
     
     
  #247  
Old Posted Oct 20, 2011, 2:04 AM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 5,656
Fábrica da Sadia na DF-180 pega fogo e bombeiros estão no local





Um incêndio de grandes proporções atingiu a fábrica da Sadia na DF-180 em Samambaia por volta das 18h30 desta quarta-feira (19/10). Segundo o coronel Luiz Blumm, comandante operacional do Corpo de Bombeiros, 76 homens e 16 viaturas foram necessários para controlar as chamas. O incidente causou um vazamento de amônia e um helicóptero foi acionado para levar equipamentos especiais aos militares. Por volta das 22h30, os bombeiros faziam o rescaldo do local. Quatro pessoas teriam sido levadas ao hospital com suspeita de intoxicação pela fumaça, mas a informação ainda não foi confirmada.

Segundo o coronel, o vazamento de amônia começou após o incêndio. "Parte do teto desabou sobre um cano por onde a amônia passa", explicou. De acordo com ele, o vazamento não foi maior porque o cilindro não foi atingido. Uma perícia será realizada na quinta-feira (20/10) e as causas di incêndio serão esclarecidas.

O fogo começou no galpão da fábrica, onde a salsisha é processada. De acordo com o gerente executivo da unidade em Brasília, Joseandro Trindade, cerca de 200 funcionários estavam no refeitório. "Ninguém ficou ferido", afirmou. Sem falar em valores, Trindade garantiu que os motivos do incêndio serão esclarecidos em breve. Apesar da afirmação dos bombeiros, o gerente descartou o vazamento de amônia.

Um funcionário que preferiu não se identificar afirmou que acidentes na fábrica são frequentes. "Todos os dias tem acidentes. As condições de trabalho são ruins", afirmou.

Nota
Em nota, a BRF Brasil Foods contou que o incêndio, de pequenas proporções, afetou parte da fábrica. A brigada de incêndio do local, com apoio do Corpo de Bombeiros, ajudou a combater o fogo. As demais áreas não foram atingidas e os funcionários retirados com segurança do local.

De acordo com a nota, o incidente não atrapalha a produção da empresa, que manterá sua atividade na unidade de forma regular. Nos próximos dias, a companhia se dedicará a levantar a causa do foco de incêndio.












http://www.correiobraziliense.com.br...no-local.shtml
Reply With Quote
     
     
  #248  
Old Posted Oct 20, 2011, 2:13 AM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 5,656
GDF prevê investir R$ 350 milhões para enfrentar alagamentos



Investimentos serão feitos na Asa Norte, Asa Sul e Taguatinga.
Programa deve minimizar efeitos da chuvas nos próximos 2 anos



O governo do Distrito Federal anunciou um plano em que prevê investir R$ 350 milhões para enfrentar os alagamentos na capital federal. Os investimentos serão feitos na Asa Norte, Asa Sul e Taguatinga. De acordo com o Secretário de Obras, Otto Silvério, o programa Águas do DF deve ser feito para prevenir e minimizar os efeitos das chuvas nos próximos dois anos.

O plano também prevê a integração de vários órgãos do GDF. A Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) fará operações tapa-buracos, com máquinas capazes de tapar até 90 buracos ao dia, e o Departamento de Trânsito (Detran) vai intensificar a manutenção dos semáforos de toda capital federal.

O secretário informou que os semáforos serão protegidos com “nobreak”. “Assim, quando houver falta de energia, eles poderão continuar funcionando normalmente”. Segundo Silvério, a previsão também é aumentar a equipe da Novacap com a chegada das chuvas.

“O número de equipes da novacap está sendo aumentado gradativamente por causa das chuvas de dezembro e janeiro”. Ele informou que atualmente 30 equipes trabalham no órgão. Em dezembro, cerca de 50 equipes devem resolver as questões de drenagem, de tapa buracos e de poda de mato.

Uma central telefônica será criada pela Novacap para que a população possa fazer reclamação e registre chamados em relação às chuvas no DF. “Serão várias equipes de teleatendimento, para que os problemas de tapa-buraco, de drenagem pluvial e de poda de mato sejam atendidos de forma mais rápida”, explicou o secretário de Obras.

Enquanto a central não é criada, Silvério informou que, em caso de problemas, a população pode entrar em contato pelo 156.






http://g1.globo.com/distrito-federal...agamentos.html
Reply With Quote
     
     
  #249  
Old Posted Oct 20, 2011, 12:17 PM
Espartano_bsb Espartano_bsb is offline
Registered User
 
Join Date: May 2011
Posts: 276
Quote:
Originally Posted by Jota Ferro View Post
Putz, quero ver o pessoal vender o Noroeste com a vizinhança de uma tribo de indios.

Realmente vai ser um bairro completo, pois já virá com os proprios pedintes.

A ARIE Cruls é bem ao lado do noroeste, na verdade os indios ficarão espremidos entre o antigo terreno da CEB (que ia a ser licitado) e o noroeste mesmo. Com o o terreno da CEB é comercial, provavelmente a "reserva indígena" vai ficar espremida entre um shopping e o noroeste. Que piada!

Para quem quiser ver onde é a ARIE Cruls:
http://www.terracap.df.gov.br/intern...0064907275.pdf

Foi a pior decisão possivel, vai ficar ruim como bairro e ruim como reserva indigena, além de uma área pequena demais para reserva ambiental.

Enfim duvido que esta historia tenha chegado a um final.

O único problema seria se essa área virasse um favelão no futuro! Fora isso, quando o Noroeste estiver pronto, a ARIE Cruls vai ficar escondida atrás dos prédios da W9! Foi uma solução paliativa para um problema que estava ganhando proporções desmedidas! Não acredito que o bairro vai deixar de ser top por causa desses índios. No mais, o que não faltam em Brasília são pedintes de rua! Chega a ser assustador!
Reply With Quote
     
     
  #250  
Old Posted Oct 20, 2011, 12:45 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 5,656
Moradores do Lago Sul rejeitam construção de escola em área residencial



Os moradores da QI 19 do Lago Sul estão indignados com a possível construção de uma universidade no meio da quadra. O projeto do estabelecimento de ensino passa por análise da administração local, mas abre questionamentos sobre o aumento do tráfego, a dificuldade de estacionamento, o barulho e a criação de ambulantes em um ambiente residencial.

A autorização pedida pelo dono do terreno Wagner Sarkis, diretor da Estrutural Empreendimentos, é para que o prédio seja erguido entre os conjuntos 4, 5,11 e 12, em uma área de 5.476 m2, com a previsão de aproximadamente 2,4 mil metros de construção. Conhecido como Área L, o terreno é de uso múltiplo e contempla esse tipo de empreendimento. Porém, o Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) é contra a edificação e defende que o bem-estar dos moradores está em primeiro lugar.

Proprietários de uma residência no Conjunto 12, há 32 anos, Cid Aires de Carvalho, 67, e Zélia Maria Moraes, 62, temem o caos que podem viver quando as aulas começarem. “As ruas são estreitas, quando tem festa em alguma casa aqui já fica difícil passar com o carro. Imagina com estudantes estacionando a todo momento na quadra”, disse o engenheiro Cid. A rua onde o casal mora fica a poucos metros do local previsto para a construção. “Vamos viver uma situação de estresse constante, sem conseguir estacionar, entrar em casa. Sem contar a insegurança. Não entendo como podem fazer um estabelecimento desse porte e não perguntarem aos moradores o que eles acham”, lamentou Zélia.

A opinião deles converge com a de diversos outros moradores. Alguns preveem e têm medo de assaltos devido ao aumento do fluxo de carros. Outros temem pelos ambulantes, que poderão instalar na via pública. Todos esses fatores se unem à preocupação com a desvalorização dos terrenos. As casas nas redondezas custam entre R$ 2 milhões e R$ 4 milhões, mas, com a faculdade, podem ser alvo de desinteresse de compradores em potencial. “A falta de tranquilidade e de qualidade de vida pode reduzir em até 20% o valor dos imóveis”, alertou Zélia Moraes.

Direito de vizinhança
A apreensão dos moradores encontra respaldo na Promotoria de Justiça de Defesa da Ordem Urbanística (Prourb), do MPDFT. O promotor Paulo Leite avisa que vai investigar o caso, pedir o processo de autorização à Administração do Lago Sul e aguardar um abaixo-assinado dos moradores se manifestando contra a nova faculdade. “O Decreto nº 31.482/2010 é enfático ao exigir que nenhuma construção comercial seja feita em meio a residências sem a anuência da comunidade. Isso fere o direito de vizinhança de pessoas que vivem no local há anos”, enfatizou.

Outra medida possível para favorecer o bem-estar dos moradores é declarar a inconstitucionalidade do Decreto nº 31.951/2010, que permite o mix entre comércios e residências no bairro mais nobre de Brasília.

No fim do ano passado, o então governador, Rogério Rosso, retirou o Lago Sul da lista de seis regiões administrativas nas quais era vetado alvará para a instalação de firmas em bairros residenciais. As asas Sul e Norte, o Lago Norte, a Candangolândia e o Núcleo Bandeirante permanecem protegidos. “Queremos entrar com uma ação de inconstitucionalidade. Não há um porquê para deixar de beneficiar somente o Lago Sul”, afirmou o promotor.

O Projeto de Urbanismo MDE 18/84 destina a área L à construção de espaços de recreação, consultórios médicos, unidades de ensino e outras atividades comerciais. “A construção é legal. Quero implantar uma instituição de pós-graduação. Estou amparado pela lei”, afirmou o proprietário do terreno, Wagner Sarkis.

O administrador do Lago Sul, Abdon Henrique de Araújo, afirma que só autorizará o início das obras quando todos os requisitos forem preenchidos. “Ainda não sabemos qual será a destinação do espaço.”


















http://www.correiobraziliense.com.br...idencial.shtml
Reply With Quote
     
     
  #251  
Old Posted Oct 20, 2011, 12:59 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 5,656
Dívida com nome e sobrenome



CEB está proibida de cobrar conta de antigo morador de inquilinos atuais

Uma decisão do Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDF) condenou a Companhia Energética de Brasília (CEB) por cobrar dos consumidores dívidas na conta de luz de antigos inquilinos ou proprietários do imóvel. A sentença condena a companhia a ressarcir em dobro, e acrescido de correção monetária e juros de 1% ao mês, os consumidores que pagaram dívidas de terceiros. Além disso, a CEB também não poderá cortar o fornecimento de energia em razão de débitos vencidos há mais de 90 dias. A Companhia Energética de Brasília já entrou com um recurso contra a decisão.



O Núcleo de Defesa do Consumidor da Defensoria Pública do DF (Nudecon) entrou com uma Ação Civil Pública (ACP) contra a CEB em 2009 e a decisão foi divulgada apenas na última terça-feira (18). De acordo com o coordenador do Nudecon, Alexandre Gianni, a defensoria recebia constantemente reclamações de consumidores sobre suas contas de luz. “O correto seria a CEB colocar o nome do devedor no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) ou entrar com uma ação contra eles, e não cobrar dos novos moradores. A sentença veio apenas para confirmar a liminar na qual entramos já tem dois anos”, afirmou Gianni.

Segundo o coordenador do Nudecon, alguns consumidores reclamaram na Defensoria Pública que já pagavam a conta de terceiros a mais de um ano. “A CEB não pode obrigar os moradores a pagar pelos serviços prestados a terceiros. A conta não é vinculada ao imóvel, mas sim ao usuário. A decisão também impedirá que seja feito o corte de luz indiscriminado”, relatou Alexandre Gianni.

A assessoria da CEB informou que a conta de luz sempre esteve ligada ao morador e não ao imóvel, e que a companhia não cobrava aos novos inquilinos por dívidas de terceiros. Também declarou não cortar a luz dos consumidores por contas de moradores antigos. A companhia já entrou com um embargo declaratório contra a decisão no TJDF.

400 reclamações - A CEB informou que até as 10h30 de ontem (19), 410 reclamações de clientes, prejudicados pela falta de energia nas cidades do DF, aguardavam por atendimento. A companhia já havia atendido 2.531 pessoas. Até as 14h, 396 solicitações de serviços estavam pendentes. Segundo a CEB, a falta de energia elétrica se dá em razão das chuvas.

O maior número de reclamações ocorreu na região oeste do DF, principalmente Taguatinga, Samambaia, Ceilândia e Brazlândia, com 247 solicitações. Foram 53 pedidos de serviços na região sul, que inclui Gama, Santa Maria e Recanto das Emas; 47 reclamações no leste, nas cidades de Sobradinho e Planaltina, e 44 no centro do DF, principalmente no Plano Piloto, Cruzeiro e Guará.



















http://www.alo.com.br/noticias/ultim...Noticia=142732
Reply With Quote
     
     
  #252  
Old Posted Oct 20, 2011, 4:45 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 5,656
HUB receberá R$ 4,5 milhões para investir em obras



Universidade negocia com Secretaria de Saúde do DF liberação de verbas





O termo de compromisso do Hospital Universitário de Brasília (HUB) com Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais de Ensino (Rehuf), deve ser assinado nos próximos dias. A afirmação é do secretário de Saúde do Distrito Federal (SESDF), Rafael Barbosa, em visita ao HUB na tarde desta terça-feira, 18 de outubro. O documento assegura a liberação de R$ 4,5 milhões, que devem ser aplicados principalmente em ações para o fortalecimento da rede de atenção às urgências na capital do país.

Com a assinatura do termo, a Universidade de Brasília, por meio do HUB, se compromete a fomentar recursos humanos para a saúde, fortalecer a rede de atenção primária e criar novas residências multiprofissionais em áreas estratégicas, como atendimento ao idoso e saúde da família.

No campo das obras, o documento é ponto fundamental para a reestruturação física do Hospital Universitário de Brasília. Receberão recursos do Rehuf a construção das instalações definitivas do Centro de Pronto Atendimento, do Centro de Produção de Alimentos e a ampliação dos leitos de UTI adulto, que devem chegar a 19 no próximo ano.

Para o secretário de Saúde do DF, a participação da UnB no reforço da rede de atenção à saúde do DF é bastante positiva e deve ser o passo inicial para outras ações conjuntas. “No que depender da Secretaria de Saúde e do Governo do Distrito Federal, vamos apoiar todas as iniciativas da universidade neste sentido, porque as intenções da UnB vêm ao encontro do esforço que estamos fazendo para redefinir o modelo de atenção no DF”, afirma Rafael Barbosa.

O secretário disse ainda que incluirá a Universidade de Brasília nas ações do Ministério da Saúde para a Copa do Mundo de 2014. “Nossa intenção é inserir a UnB e o HUB nos projetos da Secretaria que envolvam a Copa de 2014”.

Para o diretor geral do hospital, Armando Raggio, a presença do secretário Rafael Barbosa reafirma compromisso do GDF em ser parceiro do HUB. “Esta visita confirma a parceria que o Hospital da Universidade se propôs a fazer. Creio que os laços entre as duas instituições estão mais fortes no sentido da reabilitação do HUB como hospital universitário, sobretudo na oportunidade de compartilhar com o sistema local de saúde”, diz Raggio. E isto é importante, completa o diretor, porque beneficia o paciente, uma vez que torna possível assistir de forma mais adequada aos professores, estudantes e demais profissionais, que poderão prestar uma assistência de qualidade.

"Minha leitura é que o secretário Rafael Barbosa e o subsecretário Ivan Castelli ficaram bastante impressionados com o que viram, acenando inclusive com a possibilidade de outras cooperações, como ampliação dos serviços de ressonância magnética e tomografia", afirma vice-reitor da UnB, João Batista.

REHUF

O Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais é destinado à revitalização dos hospitais das universidades federais, integrados ao Sistema Único de Saúde (SUS). Um dos objetivos principais do programa é criar condições materiais e institucionais para que os hospitais universitários federais possam desempenhar plenamente suas funções de ensino, pesquisa, extensão e assistência. O Rehuf orienta-se pelas seguintes diretrizes:

01. Instituição de mecanismos adequados de financiamento, igualmente compartilhados entre as áreas da educação e da saúde, progressivamente, até 2012.
02. Adequação da estrutura física.
03. Recuperação e modernização do parque tecnológico.
04. Reestruturação dos recursos humanos.
05. Aprimoramento das atividades hospitalares vinculadas ao ensino, pesquisa e extensão, bem como à assistência à saúde, com base em avaliação permanente e incorporação de novas tecnologias em saúde.

Fonte: por Paulo Ribeiro - Assessoria de Comunicação do HUB


















http://www.maisbrasilia.com/mb2011/n..._em_obras.html
Reply With Quote
     
     
  #253  
Old Posted Oct 20, 2011, 8:12 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 5,656
Sobradinho cresce a uma taxa média anual de 4,9%


Vigésima cidade a ter as informações atualizadas pela Companhia pelo projeto da Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios - PDAD, o trabalho estimou 85.491 habitantes morando na área urbana de Sobradinho, com média de 3,4 pessoas por domicílio. Nos últimos sete anos, período compreendido entre as duas pesquisas realizadas pela Codeplan, Sobradinho teve uma Taxa Média Geométrica de Crescimento Anual de 4,9%, acima da taxa registrada para o Distrito Federal, de 2,3%, de acordo com os Censos de 2000 e 2010.

Conforme levantamento dos residentes na Região Administrativa (RA), 51,2% do contingente populacional são naturais do próprio Distrito Federal. Dos imigrantes, 42,9% são oriundos da Região Nordeste, 33,2% do Sudeste e 14,9% do Centro-Oeste, enquanto apenas 4,6% e 4,2% são do Sul e Norte do país, respectivamente. Em relação à origem por estados, Minas Gerais é o mais representativo (22,6%), seguido por Goiás (13,3%), Bahia (10,6%) e Piauí (10,2%).



Da população total de Sobradinho, 29,7% são estudantes, sendo que a maioria (53,2%) frequenta a escola pública. Em relação ao grau de instrução da população, 1,1% declararam ser analfabetos. A maior participação concentra-se na categoria dos que têm ensino médio completo (24,9%). O ensino fundamental incompleto é o segundo nível de escolaridade com maior representatividade (23,5%). O ensino superior completo, incluindo curso de especialização, mestrado e doutorado, representa 18,7%, bem acima do índice captado pela PDAD 2004, que foi de 9,4%.




Quanto ao domicílio, 99,4% das construções são permanentes e o tipo de residência predominante na localidade é a casa, que corresponde a 77,6% do total das moradias, seguido de apartamentos, com 20,8%. No tocante à forma de ocupação, a PDAD revelou que 73,5% dos entrevistados declararam que seus domicílios são próprios, sendo que 68,2% são quitados ou em aquisição e apenas 5,3% próprios em terrenos não legalizados. Os domicílios alugados representam 20,0%, enquanto que 5,6% são cedidos. Em Sobradinho, 98,9% dos domicílios estão ligados à rede geral de abastecimento de água. Quanto ao esgotamento sanitário, 92,6% dispõem desse serviço, havendo, ainda, 6,8% servidos por fossa séptica e 0,6% com fossa rudimentar.




A partir das informações coletadas no tocante à ocupação dos moradores de Sobradinho, observa-se que 41,8% têm atividade remunerada, enquanto 12,9% estão aposentados. Os desempregados somam 4,0% da população total. Entre os que trabalham, 27,3% desenvolvem suas atividades na administração pública (Federal e GDF) e 22,5% no comércio. Segundo a pesquisa, Sobradinho oferece 44,7% dos postos de trabalho; seguido por Brasília, com 41,1%.




A renda domiciliar média da população de Sobradinho apurada na pesquisa é da ordem de R$ 4.891,00, correspondente a 9,0 salários mínimos (SM) e a renda per capita é de R$ 1.462,00 (2,7 SM). Ao analisar a distribuição da renda domiciliar bruta mensal, segundo as classes de renda, com base em múltiplos de salários mínimos, verifica-se que a mais expressiva é a de mais de 5 até 10 SM, que concentra 26,5% dos domicílios, seguido das classes de mais de 2 até 5 SM (25,3%) e de mais de 10 até 20 SM (25,2%).



As pesquisas socioeconômicas têm demonstrado a existência de alta correlação entre a posse de bens e a renda domiciliar. Em Sobradinho, 73,5% dos domicílios possuem automóvel. A bicicleta é o segundo veículo com maior participação (27,2%) seguido por motocicleta (7,7%). Os demais veículos têm pouca relevância (0,8%), segundo a pesquisa.












http://www.jornaldebrasilia.com.br/s....php?id=370786
Reply With Quote
     
     
  #254  
Old Posted Oct 21, 2011, 12:41 AM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 5,656
Sobradinho ocupa a quarta posição no ranking de maior renda da Pdad



A cidade de Sobradinho aparece como a quarta maior renda entre as 20 Regições Administrativas contempladas pela Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios (Pdad). Lá, o ganho domiciliar médio mensal chega a R$ 4.891, isso equivale a nove salários mínimos. A pesquisa, feita pela Companhia de Desenvolvimento do DF (Codeplan), foi divulgada nesta quinta-feira (20/10).

Dados indicam que 15,2% dos moradores possuem ensino superior completo. O número de habitantes é de cerca de 71.584, sendo que 17,2% corresponde a idosos, isso é mais do que a média do DF, de 7,4%. No entanto, o indício de desenvolvimento é notado pela quantidade de trabalhadores, 44%, que desenvolvem atividade dentro da região. Outros 27,4% são representados por servidores públicos.












http://www.correiobraziliense.com.br...-da-pdad.shtml
Reply With Quote
     
     
  #255  
Old Posted Oct 21, 2011, 2:05 AM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 5,656
Apagão frequente vai render reajuste menor



Aneel vai usar índice que aponta falhas no fornecimento como componente do cálculo da tarifa



Para acabar com os problemas recorrentes de falhas no fornecimento de energia, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) quer incorporar no cálculo da tarifa a qualidade de serviço.

Assim, distribuidoras que deixarem de fazer investimentos e piorarem a qualidade do serviço prestado ao consumidor terão a tarifa reduzida.

A reguladora está criando um indicador, denominado Xq, que captará a evolução da qualidade de serviço. Ele levará em conta o número e a duração das interrupções de fornecimento das distribuidoras.

Com o Xq, se a distribuidora estiver melhorando a qualidade do fornecimento ano após ano, a tarifa poderá subir um pouco mais. Se estiver piorando, a tarifa vai ficar menor.

A agência reguladora é a responsável por definir anualmente a tarifa cobrada aos clientes pelas distribuidoras e, por consequência, indicar os volumes de investimento em qualidade.

Hoje, porém, a Aneel não tem poder para controlar se as empresas deixam de investir esses recursos em manutenção do sistema para usá-lo para outros fins, como distribuição de dividendos pelos acionistas.

Recorde de apagões

A escalada de apagões, iniciada nos últimos dois anos, confirmará 2011 como ano recorde de interrupções no fornecimento de energia. Este ano, segundo previsões do Instituto de Eletrotécnica e Energia (IEE), o consumidor deverá ficar 20 horas sem luz, superando a marca de 18,82 horas de 2009 e bem acima da média histórica de 16 horas.





http://www.destakjornal.com.br/readC...x?id=15,112984
Reply With Quote
     
     
  #256  
Old Posted Oct 21, 2011, 12:57 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 5,656
Arrecadação de setembro bate novo recorde e chega a R$ 805 milhões



A arrecadação tributária do Distrito Federal bateu novo recorde em setembro. Os números divulgados ontem ao Correio indicam o melhor resultado da história para o mês: entraram na conta do governo local quase R$ 805 milhões referentes ao pagamento de tributos. O montante representa uma variação nominal de 13,3% na comparação com setembro de 2010. Descontada a inflação do período, o aumento foi de 5,6%. No acumulado de 2011, a arrecadação alcançou R$ 7,2 bilhões, um salto real de 3,8% em relação aos primeiros noves meses do ano passado.

Em setembro, o GDF recolheu R$ 425,9 milhões somente com o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), o termômetro de qualquer economia. O destaque é para o setor de combustíveis, responsável por cerca de 20% da arrecadação com o tributo: R$ 761,3 milhões entre janeiro e setembro. Em seguida, aparece o comércio varejista, que, no período, rendeu aos cofres públicos R$ 733,6 milhões, um aumento de 7,5% sobre 2010. A indústria apresentou salto significativo: nos primeiros nove meses do ano passado, contribuiu com R$ 339,3 milhões e, este ano, R$ 386,4 milhões.

Prestes a deixar o cargo para assumir na semana que vem a Secretaria Executiva do Ministério do Turismo, o secretário de Fazenda do DF, Valdir Moysés Simão, acredita que as medidas adotadas pelo governo permitirão crescimento constante da arrecadação. Os balanços fiscais apontam superavit desde o início de 2011. “As ações implementadas vão garantir que os resultados continuem positivos. Criamos uma base sólida para isso”, comenta.

Convênio
Em março, a Secretaria de Fazenda firmou convênio com a Receita Federal, que tornou possível o cruzamento de dados para impedir informações divergentes. Três meses depois, o DF começou a receber parcela do ICMS em compras feitas pela internet. Com a obrigatoriedade da nota fiscal eletrônica desde o último dia 1º, o governo passou a ter acesso, praticamente em tempo real, a todas as notas fiscais emitidas em qualquer unidade da Federação relacionadas ao DF.

Além dessas medidas, Simão destaca o rigor no controle da entrada de mercadorias pelas BR-040 e BR-060, principalmente em parceria com a Polícia Rodoviária Federal (PRF). Na última reunião do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), no fim de setembro, o DF confirmou adesão ao Sistema Público de Escrituração Digital (Spde). Dessa forma, as empresas deixarão de transmitir informações ao Fisco por meio do Livro Fiscal Eletrônico, barateando custos e inibindo a sonegação.

Para o sucessor, ainda não definido, o secretário da Fazenda do DF deixa projetos prontos para serem concretizados e que, segundo ele, também ajudarão a impulsionar a arrecadação. Entre eles, está uma parceria com as operadoras de cartão de crédito que permitirá débito da parcela de ICMS na conta única do GDF no momento da compra. Atualmente, as empresas repassam ao governo o percentual do tributo ao fim de cada mês. “A mudança vai praticamente impedir a sonegação”, acredita Simão.

Quando assumiu o cargo, o secretário diz ter encontrado uma situação caótica, principalmente na área tecnológica. Ele assumiu o controle da área de informática, antes nas mãos de empresas terceirizadas, e iniciou um trabalho de modernização dos sistemas que será concluído em 15 dias, com a inauguração do data center destinado à gestão financeira, orçamentária e tributária de todo o governo. “A mudança dará mais segurança e celeridade aos sistemas”, diz.

Segurança
Ao fazer um balanço positivo dos nove meses e meio em que esteve à frente da pasta, Simão ressalta a convalidação dos benefícios de programas antigos, como o Pró-DF, o Tare e o Rea. Decisão no último mês acabou com a insegurança jurídica dos empresários que temiam ter de pagar a diferença dos créditos entre o regime normal de apuração do ICMS e o tratamento diferenciado previsto na legislação que instituiu os programas.

O que vem por aí
» Em novembro, começa a vigorar a Nota Fiscal de Serviços no DF.

» Até 1º de novembro, o governo enviará para apreciação dos distritais a tabela para cobrança do IPVA de 2012. Pela primeira vez, o GDF contratou a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) para pesquisar o valor dos veículos.

» Em 15 dias, a Secretaria de Fazenda deve inaugurar um data center destinado à gestão financeira, orçamentária e tributária de todo o governo.

» Projeto aprovado em outubro pela Câmara Legislativa regulamenta o Processo Administrativo Fiscal. Entre outros pontos, ele prevê que o contribuinte pague pela mercadoria apreendida e armazenada em depósito da Secretaria de Fazenda.

Recolhimento
Confira a evolução da arrecadação tributária (em bilhões), entre janeiro e setembro

2006 - 5.751.451,41
2007 - 5.972.338,97
2008 - 6.565.126,44
2009 - 6.473.983,82
2010 - 6.991.822,85







Entrevista - Valdir Moysés Simão
Depois do arrocho, os investimentos

O senhor assumiu a secretaria com a missão de “arrumar a casa”. Conseguiu?
Posso garantir que a Fazenda é uma secretaria bem diferente da que encontrei. Adotamos uma postura rígida de contenção de gastos, patrocinamos melhorias na área de tecnologia e os resultados aparecem no crescimento da arrecadação.

A maior dificuldade foi organizar a área de informática?
Certamente. O risco era de apagão total, o que comprometeria toda a gestão do governo. Estamos entregando em 15 dias um data center moderno, seguro, garantindo que os sistemas operacionais funcionarão corretamente.

O que fica para ser feito a curto prazo pelo seu sucessor?
Precisamos continuar investindo na informatização e trabalhar em um novo projeto de desenvolvimento econômico, em substituição ao atual Pró-DF. Acredito que até o fim do ano isso seja resolvido. Também é necessário resolver definitivamente um modelo de fortalecimento para o setor atacadista.

Durante a transição do governo, chegou a se falar em deficit milionário. Com as contas em dia, o sinal continua verde para investimentos?
Conseguimos uma redução significativa nas despesas de custeio. Temos hoje um resultado que permite que os investimentos sejam executados. Não tenho dúvida de que, principalmente a partir de 2012, os investimentos serão alavancados. Tivemos um trabalho muito árduo em relação a despesas a pagar herdadas do governo passado. Fizemos uma depuração dessas despesas e cancelamos aproximadamente R$ 350 milhões. Isso nos deu um certo alívio e a possibilidade de programar melhor as ações no segundo semestre.

Os gastos com pessoal estão bem próximos do limite permitido por lei.
De fato, eles estão bastante pressionados, por conta dos aumentos a servidores prometidos no passado. Mas estamos fazendo um controle rígido e vamos terminar o ano respeitando a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Sua atuação no GDF termina ao assumir o cargo no governo federal?
Disse ao governador Agnelo Queiroz que ainda me considero do quadro do GDF. Vou continuar ajudando, e quem sabe um dia voltarei a integrar a equipe de forma direta.





















http://www.correiobraziliense.com.br...-milhoes.shtml
Reply With Quote
     
     
  #257  
Old Posted Oct 21, 2011, 5:05 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 5,656
Bope esvazia escola do Paranoá após encontrar bomba de fabricação caseira


Um artefato explosivo foi encontrado por volta das 10h40 desta sexta-feira (21/10) no Centro de Ensino Darcy Ribeiro, no Paranoá, região administrativa a 26 quilômetros de Brasília. De acordo com informações da Central Integrada de Atendimento e Despacho (Ciade) da Polícia Militar, a bomba era de fabricação caseira.

Quando o esquadrão antibomba do Batalhão de Operações Especiais (Bope) chegou ao local, a direção da escola já havia retirado todos os alunos das salas de aula e o local foi evacuado. A bomba foi encontrada em um dos banheiros e levada para o lado de fora do prédio. Após o procedimento de explosão, segundo a polícia, foi constatado que a peça explosiva continha pólvora e outros produtos químicos ainda não identificados.

Os policiais continuam no colégio para fazer uma vistoria em todo o prédio. O Corpo de Bombeiros foi acionado para fazer a coleta do material, a limpeza e avaliação do local. Um equipe deve ir ao local nas próximas horas para fazer a perícia e identificar a substância que foi utilizada na fabricação da bomba.

Após a evacuação, a direção da escola resolveu suspender parte das aulas da manhã. As do turno vespertino também foram suspensas.







http://www.correiobraziliense.com.br...-caseira.shtml
Reply With Quote
     
     
  #258  
Old Posted Oct 21, 2011, 5:41 PM
GMF's Avatar
GMF GMF is offline
Registered User
 
Join Date: Jun 2011
Posts: 130
Quote:
Originally Posted by MAMUTE View Post
A arrecadação tributária do Distrito Federal bateu novo recorde em setembro. Os números divulgados ontem ao Correio indicam o melhor resultado da história para o mês: entraram na conta do governo local quase R$ 805 milhões referentes ao pagamento de tributos. O montante representa uma variação nominal de 13,3% na comparação com setembro de 2010. Descontada a inflação do período, o aumento foi de 5,6%. No acumulado de 2011, a arrecadação alcançou R$ 7,2 bilhões, um salto real de 3,8% em relação aos primeiros noves meses do ano passado.
Os jornais adoram publicar notícias do tipo, mas não vejo motivos reais.

Se a economia de um país está crescendo, o fato de a arrecadação subir (e consequentemente bater o recorde) é uma obrigação. Aliás, se descontarmos a inflação, o crescimento real de 3,8%, deve ser inferior ao do PIB. Em se considerando que ainda temos uma ineficiêncai fiscal, isso prova que não melhoramos.
Reply With Quote
     
     
  #259  
Old Posted Oct 22, 2011, 3:38 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 5,656
Mais de 500 construções do DF estão paradas e aguardam documentos


Quase 550 empreendimentos imobiliários do Distrito Federal estão parados por falta de documentos obrigatórios. O Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV) e o Relatório de Impacto de Trânsito (RIT), que liberam a construtora para receber o alvará, estão saindo com lentidão das mãos dos órgãos responsáveis do GDF. De acordo com o Sindicato da Indústria da Construção Civil do DF (Sinduscon-DF), com os documentos em mãos, o mercado teria uma movimentação de R$ 11 bilhões no setor e o preenchimento de quatro mil vagas de emprego. Há cerca de seis meses, os projetos de novos prédios estão sem decisão nas administrações regionais.



Segundo o Sinduscon-DF, o primeiro levantamento foi realizado em agosto deste ano e mostrou que mais de 220 empreendimentos estavam parados. No entanto, em um segundo estudo realizado, foi verificado que o número aumentou, chegando a 547, e por isso, na próxima segunda-feira, o sindicato vai apresentar ao governador Agnelo Queiroz o novo levantamento e pedir solução.



Por meio da Assessoria de Comunicação, o sindicato informa que a situação está complicada, já que com a paralisação não está criando emprego nem renda para o GDF. “Ainda estamos fechando um relatório com os valores, mas a situação está feia”. O sindicato ainda ressalta a deficiência que existe nas administrações para a emissão dos documentos. O sindicato preferiu não citar o nome dos empreendimentos até o encontro com o governador.








http://www.jornaldebrasilia.com.br/s....php?id=371095
Reply With Quote
     
     
  #260  
Old Posted Oct 23, 2011, 1:11 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 5,656
Serviço e construção civil abrangem 90% dos empregos formais em 2011 no DF



O mercado de trabalho em Brasília vai muito além do serviço público. Este ano, nove em cada 10 vagas formais criadas na capital não envolvem ministérios, tribunais ou casas legislativas. Serviços, com destaque para os mercados imobiliário e gastronômico, e construção civil responderam por quase 90% das oportunidades abertas entre janeiro e setembro — no país, o percentual é bem menor, de 54,5%. É o maior percentual de emprego nesses dois segmentos em toda a história do Distrito Federal. Para se ter uma ideia, no Brasil, para chegar a esse volume de vagas, é preciso incluir outros três setores: indústria, comércio e agropecuária. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho.

Mesmo com uma taxa de desemprego acima da média nacional — a terceira maior no último ranking do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) —, a capital federal sustenta a fama de ser um paraíso para quem procura trabalho. O custo de vida castiga cada vez mais os brasilienses, mas, em contrapartida, a chance de ser mais bem remunerado exercendo a mesma função é maior do que em outras capitais. O rendimento médio real dos ocupados no DF medido no último levantamento do Dieese — R$ 2.019 — supera em R$ 659 o observado no restante do país. Significa dizer que, na média, quem opta por Brasília ganha 48,5% a mais.

A suspensão de concursos por conta do aperto fiscal e a dispensa de comissionados no início do ano tiraram o peso do funcionalismo, que costuma chamar a atenção pelos altos salários ofertados. O segmento de serviços, como em todo o país, continua no topo do ranking dos que mais contratam. Mas no DF esse indicador é ainda mais significativo. Aqui, gerou 54,1% das novas vagas, contra uma média nacional de 40,4%. Nos últimos 10 anos, o setor só não ocupou a primeira posição em 2007 e 2009, quando perdeu a liderança para o comércio e para a construção civil, respectivamente.

Até setembro deste ano, o segmento de serviços, que inclui bares, restaurantes e hotéis, abriu 5.438 vagas. Rejane Almeida, 31 anos, conseguiu uma em um self-service da Asa Norte este mês. Vai ganhar cerca de R$ 700. “De caixa a ajudante de cozinha, sei de tudo um pouco”, diz a moradora de Santa Maria, que já trabalhou de secretária, babá e vendedora. Desde os 17 anos, ela garante o próprio sustento. Só ficou desempregada, por opção, na gravidez do segundo filho. “Brasília pode não ser o que a pessoa sempre sonhou, mas emprego tem”, diz.

Várias colegas de Rejane deixaram a terra natal para trabalhar na capital da República. Muitas, conta ela, se deram mal, mas a maioria mantém a ilusão de que aqui o emprego é mais fácil. Para o economista e professor da Universidade de Brasília (UnB) Carlos Alberto Ramos, o que atrai as pessoas são os salários. “Não há dinamismo no mercado, a taxa de desemprego é muito alta, mas a possibilidade de ganhar mais fala mais alto”, afirma. “As pessoas querem ter um bom salário, independentemente do custo de vida elevado”, acrescenta a economista do Dieese Adalgiza Amaral.

Coadjuvantes
A euforia em torno das oportunidades em Brasília preocupa o especialista em mercado de trabalho e também professor da UnB Jorge Pinho. Os serviços, opina ele, não conseguirão suprir todas as demandas por empregos qualificados. “É questão de um mínimo de racionalidade”, avalia. A industrialização do Entorno seria uma saída para ampliar o leque de oportunidades. “O DF não tem uma política de desenvolvimento industrial. Se tivesse, ficaria muito mais fácil potencializar os empregos no setor”, completa o economista-chefe da Federação das Indústrias do DF (Fibra), Diones Cerqueira.

Os números do Caged indicam declínio do emprego formal no comércio em 2011, ao contrário do observado nos últimos anos. A participação do setor na abertura de vagas caiu pela metade. O presidente em exercício da Federação do Comércio de Bens, Serviço e Turismo do DF (Fecomércio-DF), Miguel Setembrino, credita a queda a dois fatores: “demissões preventivas” movidas pela crise financeira mundial e migração de funcionários para o empreendedorismo individual. “Mas as vendas continuam em alta”, pondera, antes de citar os empregos temporários de fim de ano.

Áreas
O Ministério do Trabalho, responsável pelo Caged, considera serviços atividades desenvolvidas em instituições financeiras, relacionadas a transportes, comunicações, alimentação e hotelaria, além de serviços médicos e odontológicos e na área de ensino.

3º maior
A taxa medida pela Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) de agosto ficou em 12,3%, contra 10,9% da média nacional. O percentual em Brasília só não ficou atrás do registrado pelo Dieese em Salvador (15,6%) e Recife (13,8%).

10 mil oportunidades
Este ano, as oportunidades podem chegar a 10 mil. Pesquisa da Fecomércio aponta que 54% dos lojistas pretendem ampliar o quadro de funcionários. Desse percentual, 62% devem efetivar a mão de obra extra. Em 2010, 28,8% dos empresários consultados declararam intenção em contratar.













http://www.correiobraziliense.com.br...11-no-df.shtml
Reply With Quote
     
     
This discussion thread continues

Use the page links to the lower-right to go to the next page for additional posts
 
 
Reply

Go Back   SkyscraperPage Forum > Regional Sections > América Latina > Brasil > Regiões Metropolitanas Mundiais
Forum Jump


Thread Tools
Display Modes

Forum Jump


All times are GMT. The time now is 7:34 PM.

     

Powered by vBulletin® Version 3.8.7
Copyright ©2000 - 2014, vBulletin Solutions, Inc.