HomeDiagramsDatabaseMapsForumSkyscraper Posters
     

Go Back   SkyscraperPage Forum > Regional Sections > América Latina > Brasil > Regiões Metropolitanas Mundiais

Reply

 
Thread Tools Display Modes
     
     
  #1001  
Old Posted Aug 13, 2017, 1:00 AM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is online now
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 17,275
Será que não são os 2 hotéis do grupo BayPark... Esqueceram que o dono anda envolvido também com a Lavajato.

Ou será os hotéis do Royal Tulip e Golden Tulip... A quantidade de apartamentos bate....

Last edited by pesquisadorbrazil; Aug 13, 2017 at 11:57 PM.
Reply With Quote
     
     
  #1002  
Old Posted Aug 16, 2017, 9:31 AM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is online now
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 17,275
FECOMÉRCIO DEFENDE POTENCIAL DE BRASÍLIA, MAS IMPOSTOS E BUROCRCIA CONTINUAM DIFICULTANDO VINDA DA DISNEY PARA O PAÍS

A importância dos parques temáticos para a evolução do turismo e da economia de um País foi o tema de uma palestra proferida pelo vice-presidente mundial da Walt Disney Company, Greg Hale, realizada na tarde desta terça-feira (15), na sede da Confederação Nacional do Comércio, em Brasília. Ele destacou que países que receberam a Disney, como a França e Hong Kong, aumentaram o número de visitantes, além de terem registrado um visível incremento em suas economias. Sabendo da importância de atrair empreendimentos como este, desde o ano passado a Fecomércio-DF vem fazendo um esforço para destacar os diferenciais da capital federal e do Brasil como destino desses parques. A instituição reuniu investidores, propiciou encontros com autoridades e promoveu eventos que culminaram com a palestra ocorrida nesta terça. Os grandes obstáculos, no entanto, continuam sendo a burocracia e a alta carga tributária, que afastam do Brasil empresas como a Disney.


De acordo com estudo elaborado pelo Sistema Integrado de Parques e Atrações Turísticas (Sindepat), se o País fizer ajustes no ambiente de negócios, o segmento poderá investir cerca de R$ 1,9 bilhão e ser responsável pela geração de 56 mil empregos. Na visão do presidente da Fecomércio-DF, Adelmir Santana, Brasília precisa entrar na rota dos grandes investidores nacionais e internacionais. Ele diz que existem grupos interessados em aproveitar o solo brasileiro para investimentos. Porém, para isso acontecer o governo precisa ajudar. “É necessário que os governantes abram os olhos para os problemas. É preciso formular projetos, definir diretrizes claras e, o mais importante, criar condições necessárias para que os empreendimentos saiam do papel”, ressalta Adelmir Santana.

O presidente da Fecomércio-DF, que também preside a Câmara Especial de Articulação de Projetos Estruturantes da instituição, grupo formado com o interesse de trazer grandes projetos para a capital do País, tem procurado mostrar o potencial de Brasília. A Fecomércio reuniu, em 18 de janeiro de 2016, em um diálogo empresarial, na sede da CNTC, uma comitiva de 25 investidores, professores e universitários dos Estados Unidos interessados em conhecer os potenciais de investimento em Brasília. A comitiva foi formada por executivos de importantes empresas norte-americanas que cursam MBA na Universidade de Chapman, na Califórnia. Entre eles estavam o Diretor do Centro de Negócios Internacionais da Universidade de Chapman, Noel Murray, e o Executivo para Desenvolvimento Global e Relações Públicas da Walt Disney Company, Chris Lowe.

No dia 20 de julho de 2016, a Fecomércio também lançou a Câmara Especial de Articulação de Projetos Estruturantes. O grupo reúne empresários interessados em participar da elaboração de projetos que podem alavancar a economia brasiliense. Entre eles está à criação de uma cidade agrícola, a possibilidade de instalação de parques temáticos como a Disney e a viabilização da cidade aeroportuária, no Aeroporto JK, além de programas que visem à evolução da mobilidade urbana na capital do País. O governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, esteve presente na ocasião e se mostrou empolgado com os projetos.

Palestra

O vice- presidente da Disney,Greg Hale, ressaltou em sua palestra que o Brasil tem um clima perfeito, uma população muito grande e, sem dúvida, representa um mercado enorme. Além disso, segundo Greg, o Brasil é hoje o País que mais visita Orlando, na Flórida, para conhecer os parques temáticos. “Para se ter uma ideia de como a inclusão de parques mudam a economia de um País, Dubai percebeu que não poderia depender apenas do petróleo para todo o sempre. Então, eles decidiram que investir em entretenimento seria a resposta para ampliar a fonte de renda e expandir ainda mais a economia . Apenas este ano, já foram instalados três parques no País, que são de grandes marcas e atraíram milhares de visitantes”, disse. “A França é outro exemplo de sucesso da Disney, o parque recebe mais visitantes do que o Museu Louvre, ou até mesmo a Torre Eiffel ou o Arco do Triunfo”, concluiu.

Mas, apesar desses fatores positivos, Greg Hale faz a seguinte pergunta: porque os parques não vêm para o Brasil? Quem respondeu a esta indagação foi o presidente da Sistema Integrado de Parques e Atrações Turísticas (Sindepat), Alain Baldacci. “Temos uma carga tributária na fabricação e na importação de equipamentos para os parques funcionarem, como uma montanha russa, por exemplo, que no Brasil custa mais do que o dobro de outros mercados. Isso impede que os empresários façam os investimentos que precisamos”, disse Alain. “As tecnologias são complexas e de última geração. Para esse equipamento chegar ao Brasil, tem um frete caríssimo, além do imposto sobre importação que é de 20% acima do preço do produto, ainda tem o custo do ICMS, do PIS e Cofins. Quando se calcula o custo, chega-se um valor de mais de 3,5 milhões de dólares. Enquanto que para qualquer País da Europa, o mesmo equipamento custaria 1,400 milhões de dólares”, explicou.

Alain Baldacci também destacou a burocracia como outro empecilho. Na opinião dele, quando um investidor estrangeiro vem ao Brasil tentar fazer um investimento e olha o nosso arcabouço de negócio ele se assusta e fecha as portas para a novidade, tudo em função da complexidade enfrentada pelos empresários.

Fonte: http://www.fecomerciodf.com.br/fecom...y-para-o-pais/
Reply With Quote
     
     
  #1003  
Old Posted Aug 16, 2017, 9:32 AM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is online now
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 17,275
Olha que interessante, acabei de postar uma informação que o GF quer reduzir os impostos para parques temáticos, e surge essa informação da Disney.... Será que agora vai....

Imaginou ano que vem, começar as obras da Disney Brasília e dos Casinos também...

Em Brasília tem vários projetos...

Dos Casinos na região do Alphaville....

Dos parques temáticos da Disney e Six Flags...

E estão revivendo o projeto do parque aquático Went Wild...
Reply With Quote
     
     
  #1004  
Old Posted Aug 16, 2017, 12:00 PM
salengasss salengasss is offline
Registered User
 
Join Date: May 2011
Posts: 969
Tomara!!!!!!!!!
Reply With Quote
     
     
  #1005  
Old Posted Aug 16, 2017, 12:20 PM
don_quito don_quito is offline
Registered User
 
Join Date: Oct 2013
Posts: 134
Quote:
Originally Posted by pesquisadorbrazil View Post
FECOMÉRCIO DEFENDE POTENCIAL DE BRASÍLIA, MAS IMPOSTOS E BUROCRCIA CONTINUAM DIFICULTANDO VINDA DA DISNEY PARA O PAÍS

A importância dos parques temáticos para a evolução do turismo e da economia de um País foi o tema de uma palestra proferida pelo vice-presidente mundial da Walt Disney Company, Greg Hale, realizada na tarde desta terça-feira (15), na sede da Confederação Nacional do Comércio, em Brasília. Ele destacou que países que receberam a Disney, como a França e Hong Kong, aumentaram o número de visitantes, além de terem registrado um visível incremento em suas economias. Sabendo da importância de atrair empreendimentos como este, desde o ano passado a Fecomércio-DF vem fazendo um esforço para destacar os diferenciais da capital federal e do Brasil como destino desses parques. A instituição reuniu investidores, propiciou encontros com autoridades e promoveu eventos que culminaram com a palestra ocorrida nesta terça. Os grandes obstáculos, no entanto, continuam sendo a burocracia e a alta carga tributária, que afastam do Brasil empresas como a Disney.


De acordo com estudo elaborado pelo Sistema Integrado de Parques e Atrações Turísticas (Sindepat), se o País fizer ajustes no ambiente de negócios, o segmento poderá investir cerca de R$ 1,9 bilhão e ser responsável pela geração de 56 mil empregos. Na visão do presidente da Fecomércio-DF, Adelmir Santana, Brasília precisa entrar na rota dos grandes investidores nacionais e internacionais. Ele diz que existem grupos interessados em aproveitar o solo brasileiro para investimentos. Porém, para isso acontecer o governo precisa ajudar. “É necessário que os governantes abram os olhos para os problemas. É preciso formular projetos, definir diretrizes claras e, o mais importante, criar condições necessárias para que os empreendimentos saiam do papel”, ressalta Adelmir Santana.

O presidente da Fecomércio-DF, que também preside a Câmara Especial de Articulação de Projetos Estruturantes da instituição, grupo formado com o interesse de trazer grandes projetos para a capital do País, tem procurado mostrar o potencial de Brasília. A Fecomércio reuniu, em 18 de janeiro de 2016, em um diálogo empresarial, na sede da CNTC, uma comitiva de 25 investidores, professores e universitários dos Estados Unidos interessados em conhecer os potenciais de investimento em Brasília. A comitiva foi formada por executivos de importantes empresas norte-americanas que cursam MBA na Universidade de Chapman, na Califórnia. Entre eles estavam o Diretor do Centro de Negócios Internacionais da Universidade de Chapman, Noel Murray, e o Executivo para Desenvolvimento Global e Relações Públicas da Walt Disney Company, Chris Lowe.

No dia 20 de julho de 2016, a Fecomércio também lançou a Câmara Especial de Articulação de Projetos Estruturantes. O grupo reúne empresários interessados em participar da elaboração de projetos que podem alavancar a economia brasiliense. Entre eles está à criação de uma cidade agrícola, a possibilidade de instalação de parques temáticos como a Disney e a viabilização da cidade aeroportuária, no Aeroporto JK, além de programas que visem à evolução da mobilidade urbana na capital do País. O governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, esteve presente na ocasião e se mostrou empolgado com os projetos.

Palestra

O vice- presidente da Disney,Greg Hale, ressaltou em sua palestra que o Brasil tem um clima perfeito, uma população muito grande e, sem dúvida, representa um mercado enorme. Além disso, segundo Greg, o Brasil é hoje o País que mais visita Orlando, na Flórida, para conhecer os parques temáticos. “Para se ter uma ideia de como a inclusão de parques mudam a economia de um País, Dubai percebeu que não poderia depender apenas do petróleo para todo o sempre. Então, eles decidiram que investir em entretenimento seria a resposta para ampliar a fonte de renda e expandir ainda mais a economia . Apenas este ano, já foram instalados três parques no País, que são de grandes marcas e atraíram milhares de visitantes”, disse. “A França é outro exemplo de sucesso da Disney, o parque recebe mais visitantes do que o Museu Louvre, ou até mesmo a Torre Eiffel ou o Arco do Triunfo”, concluiu.

Mas, apesar desses fatores positivos, Greg Hale faz a seguinte pergunta: porque os parques não vêm para o Brasil? Quem respondeu a esta indagação foi o presidente da Sistema Integrado de Parques e Atrações Turísticas (Sindepat), Alain Baldacci. “Temos uma carga tributária na fabricação e na importação de equipamentos para os parques funcionarem, como uma montanha russa, por exemplo, que no Brasil custa mais do que o dobro de outros mercados. Isso impede que os empresários façam os investimentos que precisamos”, disse Alain. “As tecnologias são complexas e de última geração. Para esse equipamento chegar ao Brasil, tem um frete caríssimo, além do imposto sobre importação que é de 20% acima do preço do produto, ainda tem o custo do ICMS, do PIS e Cofins. Quando se calcula o custo, chega-se um valor de mais de 3,5 milhões de dólares. Enquanto que para qualquer País da Europa, o mesmo equipamento custaria 1,400 milhões de dólares”, explicou.

Alain Baldacci também destacou a burocracia como outro empecilho. Na opinião dele, quando um investidor estrangeiro vem ao Brasil tentar fazer um investimento e olha o nosso arcabouço de negócio ele se assusta e fecha as portas para a novidade, tudo em função da complexidade enfrentada pelos empresários.

Fonte: http://www.fecomerciodf.com.br/fecom...y-para-o-pais/
Isso seria um sonho para a cidade! Acho muito difícil acontecer, praticamente impossível, tomara que eu esteja errado.
Reply With Quote
     
     
  #1006  
Old Posted Aug 16, 2017, 12:43 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 11,969
Também espero que você esteja errado Mas se tratando de um mega empreendimento desse porte e sabendo da incompetência desse governo local, fico desanimado com as perspectivas
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #1007  
Old Posted Aug 16, 2017, 10:23 PM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is online now
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 17,275
Quote:
Originally Posted by don_quito View Post
Isso seria um sonho para a cidade! Acho muito difícil acontecer, praticamente impossível, tomara que eu esteja errado.
O problema é, desculpe a guerras de outro forum entre cidade vs cidade. Mas a Disney já cravou que quer porque quer a filial em Brasília. Detalhe, o namoro tem nada menos que 57 anos.

E eles foram categoricos com JK, queriam imunidade fiscal... Agora se essa isenção de impostos para parques temáticos é apenas o começo. Agora falta é outros impostos a serem isentos. Como de luz, de água, de iptu, de gás, tanto na esfera federal, estadual, municipal e até distrital. kkkk

Eu vi um relatório que não tem muito tempo, que Curitiba iria dar 40 anos de isenção de impostos... E eles não aceitaram.
Reply With Quote
     
     
  #1008  
Old Posted Aug 16, 2017, 11:01 PM
Maths2's Avatar
Maths2 Maths2 is offline
Registered User
 
Join Date: Jul 2011
Location: Brasília
Posts: 148
Minha mãe trabalha na secretaria de turismo e o que circula lá é que essa visita não foi só para uma palestra... Parece que as negociações estão avançando.
Reply With Quote
     
     
  #1009  
Old Posted Aug 16, 2017, 11:23 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 11,969
Deus te ouça
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #1010  
Old Posted Aug 17, 2017, 1:02 AM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is online now
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 17,275
Quote:
Originally Posted by Maths2 View Post
Minha mãe trabalha na secretaria de turismo e o que circula lá é que essa visita não foi só para uma palestra... Parece que as negociações estão avançando.
Mas com certeza, você deve estar sabendo aonde será a possivel localidade da Disney em Brasília. E eu tenho absoluta certeza, que não será dentro do Plano Piloto, leia-se área tombada e nem tão pouco a área tampão.

E pelo que fiquei sabendo, vai ficar na região do Tororó e Alphaville. Mas o problema seria..... Conectar essa região, com um sistema de transporte de massa do Aeroporto até a localidade.

Quer seja de metrô, trem, monotrilho.... Nada de BRTs é claro.

Agora também a Inframérica estava em tratativas com a Disney, mas para fazer algo bem inferior do que um parque completo. Seria apenas a Downtown da Disney apenas, um parque temático, o Six Flags e o Went Wild.
Reply With Quote
     
     
  #1011  
Old Posted Aug 17, 2017, 11:28 AM
salengasss salengasss is offline
Registered User
 
Join Date: May 2011
Posts: 969
O Alphaville com Cassinos, a Disney, e a Aceleradora de empresas que está sendo instituída, não vou pro Plano Piloto nunca mais nem pra passear hahahaha
Reply With Quote
     
     
  #1012  
Old Posted Aug 17, 2017, 11:46 AM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is online now
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 17,275
Como eu falei, se esses parques saírem do papel em Brasília, e o mesmo dos casinos, terão de ficar bem longe da área tombada, fora de áreas ambientais e se bobiar, fora da área atualmente habitada, para não ter interferências com alegações que o lugar é residencial e não pode ter comércio.
Reply With Quote
     
     
  #1013  
Old Posted Aug 19, 2017, 12:54 AM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is online now
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 17,275
HOUR USE

Hotel St. Paul lança hospedagem por hora


O Hotel St. Paul acaba de lançar um serviço exclusivo na cidade, o Hour Use. Pensando no viajante que tem voo marcado para o final do dia, mas terminou os compromissos antes do previsto, o St. Paul disponibilizou o uso do hotel e seus serviços por hora. Basta apresentar o voucher do voo e aproveitar o tempo livre para tomar um banho e relaxar. A hora é R$35,00 +10% e a permanência mínima é de 2 horas.

Para reservar, é só apresentar o voucher do seu voo na recepção do St. Paul, efetuar o pagamento referente às horas (+ 10% de taxa) e aproveitar o Hour Use com tranquilidade. O serviço está disponível para 1, 2 ou 3 pessoas, desde que todos apresentem o voucher do voo. O Hotel St. Paul é reconhecido na cidade por oferecer o melhor custo beneficio da categoria, sem abrir mão da comodidade e do estilo.

Fonte: http://www.estilozzo.com/index.php/l...11535-hour-use
Reply With Quote
     
     
  #1014  
Old Posted Aug 21, 2017, 1:05 PM
don_quito don_quito is offline
Registered User
 
Join Date: Oct 2013
Posts: 134
Quote:
Originally Posted by pesquisadorbrazil View Post
HOUR USE

Hotel St. Paul lança hospedagem por hora


O Hotel St. Paul acaba de lançar um serviço exclusivo na cidade, o Hour Use. Pensando no viajante que tem voo marcado para o final do dia, mas terminou os compromissos antes do previsto, o St. Paul disponibilizou o uso do hotel e seus serviços por hora. Basta apresentar o voucher do voo e aproveitar o tempo livre para tomar um banho e relaxar. A hora é R$35,00 +10% e a permanência mínima é de 2 horas.

Para reservar, é só apresentar o voucher do seu voo na recepção do St. Paul, efetuar o pagamento referente às horas (+ 10% de taxa) e aproveitar o Hour Use com tranquilidade. O serviço está disponível para 1, 2 ou 3 pessoas, desde que todos apresentem o voucher do voo. O Hotel St. Paul é reconhecido na cidade por oferecer o melhor custo beneficio da categoria, sem abrir mão da comodidade e do estilo.

Fonte: http://www.estilozzo.com/index.php/l...11535-hour-use
Vai virar um motel!
Reply With Quote
     
     
  #1015  
Old Posted Aug 21, 2017, 2:12 PM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is online now
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 17,275
Quote:
Originally Posted by don_quito View Post
Vai virar um motel!
Quase isso....

Mas creio que não, pois, só quem pode ser beneficiado com essa modalidade, é quem passagem comprada. O PO não quer perder a freguesia, pois quando os hotéis no Aeroporto estiverem prontos. Vai ser um DEUS nos acuda. Pois ninguém vai querer se hospedar no centro.

E ter que dividir espaço com prostitutas e políticos. Irão querer se hospedar nos hotéis do Aeroporto longe disso tudo. E só virão ao Plano Piloto, para apenas conhecer a parte turística. O famoso city tour apenas.
Reply With Quote
     
     
  #1016  
Old Posted Aug 21, 2017, 6:00 PM
salengasss salengasss is offline
Registered User
 
Join Date: May 2011
Posts: 969
Quote:
Originally Posted by pesquisadorbrazil View Post
Quase isso....

Mas creio que não, pois, só quem pode ser beneficiado com essa modalidade, é quem passagem comprada. O PO não quer perder a freguesia, pois quando os hotéis no Aeroporto estiverem prontos. Vai ser um DEUS nos acuda. Pois ninguém vai querer se hospedar no centro.

E ter que dividir espaço com prostitutas e políticos. Irão querer se hospedar nos hotéis do Aeroporto longe disso tudo. E só virão ao Plano Piloto, para apenas conhecer a parte turística. O famoso city tour apenas.
E Os Cassinos, e Disney (caso venham), o Plano vai sobrar mesmo pras putas e políticos
Reply With Quote
     
     
  #1017  
Old Posted Aug 21, 2017, 6:24 PM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is online now
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 17,275
E a ABIH e A ABRASEL estão com raivinha da Inframerica criando esse polo de entretenimento na região. Detalhe imunes a lei do SILENCIO.... Pois será uma área turísticas.
Reply With Quote
     
     
  #1018  
Old Posted Aug 22, 2017, 5:46 AM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is online now
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 17,275
Estou estranhando.... Acabei de ler no site do Sine Nacional, oferta de vagas de emprego para o hotel Radisson Blu Brasília... Será que procede mesmo, tem um mês que anunciaram. Será que eles pegaram um hotel novo, como o Alvorada ou das Nações e colocaram a bandeira ou estão convertendo um hotel já em funcionamento.


Em Breve - Brasília/DF
Reply With Quote
     
     
End
 
 
Reply

Go Back   SkyscraperPage Forum > Regional Sections > América Latina > Brasil > Regiões Metropolitanas Mundiais
Forum Jump


Thread Tools
Display Modes

Forum Jump


All times are GMT. The time now is 3:09 AM.

     

Powered by vBulletin® Version 3.8.7
Copyright ©2000 - 2017, vBulletin Solutions, Inc.