HomeDiagramsDatabaseMapsForum
     

Go Back   SkyscraperPage Forum > Regional Sections > América Latina > Brasil > Regiões Metropolitanas Mundiais


Reply

 
Thread Tools Display Modes
     
     
  #7081  
Old Posted Sep 2, 2019, 9:14 PM
fabiano's Avatar
fabiano fabiano is offline
Registered User
 
Join Date: May 2013
Location: Brasília
Posts: 1,962
Quote:
Originally Posted by pesquisadorbrazil View Post
E outra, considerar a mancha urbana de Brasília como de todos os bairros dentro do DF e não apenas do Plano Piloto.

Tem gente insistindo na tese que Taguatinga, Ceilândia, Sobradinho, Planaltina, Gama, Santa Maria não é Brasília.

Se fosse assim, porque então não temos em São Paulo, carros com placa Morumbi-SP, se a região do Morumbi é uma cidade satélite do município de São Paulo.

Que lá disfarçadamente chamam de sub-prefeitura as cidades-satélites de São Paulo.
A verdade é que existe um vácuo jurídico sobre o que é Brasília.

A PEC 255/2013 que iria colocar um ponto final nisso tudo, se não me engano foi arquivada.

Uma região administrativa não tem autonomia pra nada, tem muita gente que jura que administrador regional é o mesmo que prefeito. Se duvidar, tem menos poder que um síndico.
Reply With Quote
     
     
  #7082  
Old Posted Sep 4, 2019, 6:52 AM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is online now
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 21,686
Quote:
Originally Posted by fabiano View Post
A verdade é que existe um vácuo jurídico sobre o que é Brasília.

A PEC 255/2013 que iria colocar um ponto final nisso tudo, se não me engano foi arquivada.

Uma região administrativa não tem autonomia pra nada, tem muita gente que jura que administrador regional é o mesmo que prefeito. Se duvidar, tem menos poder que um síndico.
Vamos aguardar em breve teremos novidades.
Reply With Quote
     
     
  #7083  
Old Posted Sep 26, 2019, 10:40 AM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 12,902
Seis mil pessoas conseguem emprego no DF em agosto

O crescimento de 1,7% da economia da capital no segundo trimestre do ano fez com que taxa de desemprego se mantivesse praticamente estável

A taxa de desemprego no Distrito Federal se manteve estável em agosto deste ano. Um dos fatores que contribuiu para o índice foi o crescimento de 1,7% da economia da capital neste segundo trimestre. Seis mil pessoas foram contratadas, quantidade superior em comparação ao mês passado, quando apenas mil ocuparam vagas no mercado. Os dados da Pesquisa do Emprego e Desemprego (PED) foram divulgados nessa terça-feira (24/9/2019).

No período analisado, a taxa de desocupação em Brasília passou de 18,0% para 18,3%, entre os meses de julho e agosto de 2019.

Elaborado pela Secretaria do Trabalho (Setrab), Companhia de Planejamento (Codeplan) e o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), em parceria com a Fundação Seade, o estudo revela que o número de desempregados ficou em 313 mil.

O contingente de ocupados foi calculado em 1,3 milhão de pessoas. Os setores que contribuíram positivamente para este resultado foram a administração pública (1,7%), construção civil (1,5%) e a indústria da transformação (2,3%). Em contrapartida, houve queda no comércio (-0,4%) e nos serviços (-0,2%).

O número de assalariados no setor público cresceu 2%. No setor privado, houve redução do assalariamento sem carteira de trabalho assinada (-6,5%). Também houve acréscimo de 4% de trabalhadores autônomos e decréscimo de empregados domésticos de -3%.

“A conjuntura de aumento gradual do nível ocupacional está de acordo com as expectativas delineadas no início do ano. Houve aumento no rendimento médio dos ocupados e entre os assalariados, o que ajudou a potencializar os níveis de consumo local”, explica o gerente de Estudos Socioeconômicos da Codeplan, Jusçanio Umbelino de Souza.

Comportamento Anual

Entre agosto de 2018 e agosto de 2019, a taxa de desemprego diminuiu entre os jovens de 16 a 24 anos de 43,1% para 42,3% e se manteve estável para os negros de 20,5% para 20,2%. Segundo grupos de regiões administrativas, a taxa de desemprego diminuiu nas regiões de baixa renda, passando de 26,0% para 24,6%, e se manteve estável nas regiões de média-baixa renda, de 21,5% para 21,3%.

Com informações da Codeplan-DF




https://www.metropoles.com/distrito-...o-df-em-agosto
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #7084  
Old Posted Sep 26, 2019, 12:43 PM
fabiano's Avatar
fabiano fabiano is offline
Registered User
 
Join Date: May 2013
Location: Brasília
Posts: 1,962
Quanto menor a renda da região administrativa, maior a taxa de desemprego.
Reply With Quote
     
     
  #7085  
Old Posted Sep 30, 2019, 3:12 PM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is online now
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 21,686
Apesar que começa uns bocós inventando que não querem criação de polos de empregos nessas localidades, vide a Cidade Urbita, aonde pretendem criar comércio de grande porte e o povinho do contra preocupado com transito na localidade.
Reply With Quote
     
     
  #7086  
Old Posted Sep 30, 2019, 5:37 PM
fabiano's Avatar
fabiano fabiano is offline
Registered User
 
Join Date: May 2013
Location: Brasília
Posts: 1,962
Quote:
Originally Posted by pesquisadorbrazil View Post
Apesar que começa uns bocós inventando que não querem criação de polos de empregos nessas localidades, vide a Cidade Urbita, aonde pretendem criar comércio de grande porte e o povinho do contra preocupado com transito na localidade.
Pois é... Esse mesmo povo do contra, não dá/deu um pio quando estão/estavam invadindo/parcelando imensas áreas na região.

Pior ainda são moradores de condomínios irregulares serem contra tudo isso.
Reply With Quote
     
     
  #7087  
Old Posted Oct 1, 2019, 4:41 PM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is online now
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 21,686
Qual é pior.... o moradores que trabalha no Plano Piloto enfrentar 25 km de congestionamentos ou o morador não enfrentar congestionamentos e trabalhar perto da moradia?
Reply With Quote
     
     
  #7088  
Old Posted Oct 1, 2019, 5:17 PM
fabiano's Avatar
fabiano fabiano is offline
Registered User
 
Join Date: May 2013
Location: Brasília
Posts: 1,962
Quote:
Originally Posted by pesquisadorbrazil View Post
Qual é pior.... o moradores que trabalha no Plano Piloto enfrentar 25 km de congestionamentos ou o morador não enfrentar congestionamentos e trabalhar perto da moradia?
No caso do DF, o ideal é a descentralização dos empregos.
Reply With Quote
     
     
  #7089  
Old Posted Oct 5, 2019, 1:35 AM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is online now
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 21,686
Quote:
Originally Posted by fabiano View Post
No caso do DF, o ideal é a descentralização dos empregos.
Claro, por isso a Urbitá fará isso, mas quem disse que os pseudos moradores que criticam acreditam nisso.
Reply With Quote
     
     
  #7090  
Old Posted Oct 7, 2019, 12:47 PM
fabiano's Avatar
fabiano fabiano is offline
Registered User
 
Join Date: May 2013
Location: Brasília
Posts: 1,962
Quote:
Originally Posted by pesquisadorbrazil View Post
Claro, por isso a Urbitá fará isso, mas quem disse que os pseudos moradores que criticam acreditam nisso.
Pois é... Mas, não acredito que será uma grande descentralização. Na verdade, vai criar novos postos de trabalho, apenas isso. Assim como aconteceu com Águas Claras.

O que deveria ser feito é a transferência de muitos órgão federais da administração indireta, que pagam aluguéis absurdos, para esses locais.
Reply With Quote
     
     
  #7091  
Old Posted Oct 8, 2019, 5:58 PM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is online now
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 21,686
Quote:
Originally Posted by fabiano View Post
Pois é... Mas, não acredito que será uma grande descentralização. Na verdade, vai criar novos postos de trabalho, apenas isso. Assim como aconteceu com Águas Claras.

O que deveria ser feito é a transferência de muitos órgão federais da administração indireta, que pagam aluguéis absurdos, para esses locais.
Não atoa que esses locais foram projetados para serem locais de grande concentração de pessoas e empregos...

Eu fiquei pasmo com algo inusitado..... A região de Águas Claras não era para ser de uso mutiplo, mas sim, uso exclusivamente comercial e institucional. Li mais atentamente o PEOT 1977... Então o povo tanta aclama o Paulo Zimbres da criação de Águas Claras, mas enfim, ele deturpou o que era para ser.

Mas.... a deturpação foi melhor do que o original, pois no projeto original a região não poderia ter prédios com mais de 3 pavimentos.

Igual era Aguas Claras 1 (leia-se) Pistão Sul.
Reply With Quote
     
     
  #7092  
Old Posted Oct 9, 2019, 12:41 PM
fabiano's Avatar
fabiano fabiano is offline
Registered User
 
Join Date: May 2013
Location: Brasília
Posts: 1,962
Quote:
Originally Posted by pesquisadorbrazil View Post
Não atoa que esses locais foram projetados para serem locais de grande concentração de pessoas e empregos...

Eu fiquei pasmo com algo inusitado..... A região de Águas Claras não era para ser de uso mutiplo, mas sim, uso exclusivamente comercial e institucional. Li mais atentamente o PEOT 1977... Então o povo tanta aclama o Paulo Zimbres da criação de Águas Claras, mas enfim, ele deturpou o que era para ser.

Mas.... a deturpação foi melhor do que o original, pois no projeto original a região não poderia ter prédios com mais de 3 pavimentos.

Igual era Aguas Claras 1 (leia-se) Pistão Sul.
Pois é... Não adianta criar áreas que residam muito mais pessoas do que a capacidade de geração de empregos e o pior, o governo continuar centralizando a base da economia brasiliense, que é o serviço público.

Órgãos como CAPES, FUNAI, CNPq, DPU, PGFN, etc. pagam uma FORTUNA de aluguel. Se a ordem do atual governo federal é economizar e cortar gastos, deveriam começar por aí.
Reply With Quote
     
     
  #7093  
Old Posted Oct 21, 2019, 2:59 AM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is online now
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 21,686
Quote:
Originally Posted by fabiano View Post
Pois é... Não adianta criar áreas que residam muito mais pessoas do que a capacidade de geração de empregos e o pior, o governo continuar centralizando a base da economia brasiliense, que é o serviço público.

Órgãos como CAPES, FUNAI, CNPq, DPU, PGFN, etc. pagam uma FORTUNA de aluguel. Se a ordem do atual governo federal é economizar e cortar gastos, deveriam começar por aí.
Oras já tem isso, a fazenda do IBGE é fora do Plano Piloto. A fazenda da Embrapa, fica em Planaltina e por aí vai.
Reply With Quote
     
     
  #7094  
Old Posted Oct 21, 2019, 12:00 PM
fabiano's Avatar
fabiano fabiano is offline
Registered User
 
Join Date: May 2013
Location: Brasília
Posts: 1,962
Quote:
Originally Posted by pesquisadorbrazil View Post
Oras já tem isso, a fazenda do IBGE é fora do Plano Piloto. A fazenda da Embrapa, fica em Planaltina e por aí vai.
Mas, é pífio. Não descentraliza em quase nada.

Um órgão qualquer desses, emprega aí brincando, 1.000 pessoas, entre servidores, terceirizados, estagiários e menores aprendizes.
Reply With Quote
     
     
  #7095  
Old Posted Oct 22, 2019, 1:19 AM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is online now
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 21,686
DF ganhará um dos centros de reciclagem mais modernos do país


O investimento de R$ 53 milhões no complexo deve gerar 750 postos de trabalho para catadores

O Distrito Federal irá ganhar um dos mais modernos e estruturados complexos de reciclagem do país. Com previsão de entrega para abril de 2020, o espaço – situado próximo à Cidade do Automóvel – conta com investimentos na ordem de R$ 53 milhões e deve gerar 750 postos de trabalho para os catadores de materiais recicláveis.

A área de 80 mil metros quadrados vai abrigar dois centros de triagem e reciclagem (CTR) e uma central de comercialização (CC) de materiais recicláveis. O Centro de Comercialização está 98% concluído, enquanto um centro de triagem está 70% pronto e o outro 50%.

Central de triagem é o local que recebe inicialmente os resíduos que vêm da coleta seletiva. Esse material é separado, classificado, pesado, prensado e então transportado para a central de comercialização, que, por sua vez, é onde ocorre o processo de beneficiamento, estocagem e comercialização. Todo esse trabalho será feito com aparelhos de última geração e instalações com acessibilidade.

A construção do complexo de reciclagem trabalha quatro vertentes fundamentais para o melhor uso dos resíduos e coleta seletiva no Distrito Federal: técnica, econômica, social e ambiental. O caráter técnico visa a recuperação desses rejeitos, de materiais que iriam para o aterro e, com a nova estrutura, voltam para a cadeia produtiva de reciclagem.

A questão econômica e social diz respeito à contratação de catadores, a geração de renda e a rentabilidade no mercado de reciclagem. Não menos importante, a causa ambiental agradece. Afinal, os resíduos deixam de ser enterrados.

O DF possui hoje duas centrais de triagem em funcionamento, uma no Setor P Sul, em Ceilândia, e a outra no Scia. A previsão é que para 2020 mais três sejam entregues: em Brazlândia, Sobradinho e São Sebastião. A viabilização dessas unidades faz com que o trabalho com resíduos ocorra em estruturas adequadas e acaba com o custo de aluguel de galpões improvisados.

“O DF hoje coleta aproximadamente três mil toneladas de resíduos urbanos. Uma parcela desses resíduos vai para o aterro sanitário. A expectativa é com a ampliação da coleta seletiva esse número passe a cinco mil toneladas por dia”, explica Glauco Amorim da Cruz, coordenador de implementação da política de resíduos sólidos da Secretaria de Meio Ambiente (Sema).

O complexo de reciclagem é fruto de um contrato de colaboração firmado entre o GDF e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A Companhia Urbanizadora de Brasília (Novacap) viabilizou a obra e a Secretaria do Meio Ambiente atuou como executora do contrato. O Serviço de Limpeza Urbana (SLU) vai gerir e operar o espaço junto a cooperativas e associações de catadores.

Por meio do SLU, o GDF mantém 29 contratos com cooperativas e associações, envolvendo 1.213 catadores de recicláveis que atuam na prestação de serviços de coleta seletiva e triagem. Ofertar um espaço com estrutura e maquinário adequados ajuda o serviço de coleta e reciclagem no DF crescer.

“A nossa intenção é que ele seja um grande centro de integração entre as centrais de cooperativas do DF. Vamos ter otimização, eficiência e eficácia no processamento de resíduos recicláveis na capital”, aponta Francisco Mendes, assessor especial da diretoria técnica do SLU.

Fonte: https://gpslifetime.com.br/conteudo/...dernos-do-pais
Reply With Quote
     
     
  #7096  
Old Posted Oct 22, 2019, 7:10 PM
fortescue fortescue is offline
Registered User
 
Join Date: Mar 2012
Posts: 216
Terracap faz acordo com tribo indígena e viabiliza a conclusão da via W9
Famílias que viviam no trecho por onde passará a via serão realocadas para uma reserva na imediações do Noroeste

A Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) e as comunidades indígena Kariri-Xocó e Tuxá assinaram um acordo para transferência das famílias da tribo, residentes no Setor Habitacional Noroeste, para uma área de 14 hectares na imediações do próprio bairro. A ação vai permitir a conclusão da via W9 no Noroeste.

Ao todo, 16 famílias serão transferidas para o local onde será construída a Reserva Indígena Kariri-Xocó e Tuxá do Bananal-DF. De acordo com o termo de compromisso, assinado na sexta-feira (18/10), a área será doada pela Terracap à União e administrada pela Fundação Nacional do Índio (Funai).

Oito das 16 famílias serão realocadas de forma imediata para residências provisórias até que as fixas fiquem prontas. O acordo entre as parte tem o objetivo de concluir a construção da via W9, que permite o tráfego de veículos entre o Setor de Transporte Norte (STN) e a DF-040, próximo ao Setor de Recreação Pública Norte (SRPN). Parte do trecho onde passará a via é, atualmente, ocupado pelas comunidades indígenas.

A Terracap informa que vai fazer obras na área destinada às comunidades. Dentro de um ano, a região vai ganhar infraestrutura, que inclui sistema de abastecimento, esgoto e energia. Serão construídas também 16 unidade habitacionais, uma guarita, um centro de convivência indígena, sete ocas, um terreiro e uma casa de produção de farinha.

Correio Braziliense
Reply With Quote
     
     
  #7097  
Old Posted Oct 23, 2019, 1:17 AM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is online now
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 21,686
Quote:
Originally Posted by fortescue View Post
Terracap faz acordo com tribo indígena e viabiliza a conclusão da via W9
Famílias que viviam no trecho por onde passará a via serão realocadas para uma reserva na imediações do Noroeste

A Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) e as comunidades indígena Kariri-Xocó e Tuxá assinaram um acordo para transferência das famílias da tribo, residentes no Setor Habitacional Noroeste, para uma área de 14 hectares na imediações do próprio bairro. A ação vai permitir a conclusão da via W9 no Noroeste.

Ao todo, 16 famílias serão transferidas para o local onde será construída a Reserva Indígena Kariri-Xocó e Tuxá do Bananal-DF. De acordo com o termo de compromisso, assinado na sexta-feira (18/10), a área será doada pela Terracap à União e administrada pela Fundação Nacional do Índio (Funai).

Oito das 16 famílias serão realocadas de forma imediata para residências provisórias até que as fixas fiquem prontas. O acordo entre as parte tem o objetivo de concluir a construção da via W9, que permite o tráfego de veículos entre o Setor de Transporte Norte (STN) e a DF-040, próximo ao Setor de Recreação Pública Norte (SRPN). Parte do trecho onde passará a via é, atualmente, ocupado pelas comunidades indígenas.

A Terracap informa que vai fazer obras na área destinada às comunidades. Dentro de um ano, a região vai ganhar infraestrutura, que inclui sistema de abastecimento, esgoto e energia. Serão construídas também 16 unidade habitacionais, uma guarita, um centro de convivência indígena, sete ocas, um terreiro e uma casa de produção de farinha.

Correio Braziliense
Sei não, está me cheirando a sabotagem.... Cadê as outras tribos? Se não assinaram, o documento não tem validade.
Reply With Quote
     
     
End
 
 
Reply

Go Back   SkyscraperPage Forum > Regional Sections > América Latina > Brasil > Regiões Metropolitanas Mundiais
Forum Jump


Thread Tools
Display Modes

Forum Jump


All times are GMT. The time now is 2:45 AM.

     

Powered by vBulletin® Version 3.8.7
Copyright ©2000 - 2019, vBulletin Solutions, Inc.