HomeDiagramsDatabaseMapsForum About
     

Go Back   SkyscraperPage Forum > Regional Sections > América Latina > Brasil > Regiões Metropolitanas Mundiais


Reply

 
Thread Tools Display Modes
     
     
  #61  
Old Posted Apr 3, 2012, 4:38 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 12,952
Só mais uma propaganda enganosa, igual ao setor park sul, que em algumas propagandas chamam de asa sul E viva o Brasil
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #62  
Old Posted Apr 6, 2012, 11:40 AM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 12,952
Obras no Setor Noroeste provocam assoreamento no Lago Paranoá

Relatório da Caesb, feito no início de 2011, aponta problema ambiental Terracap afirma ter investido R$ 30 milhões em sistema de drenagem.

Depois que começaram as construções no Setor Noroeste, no Distrito Federal, a Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb) alertou para o risco de assoreamento do Lago Paranoá.

Em 2011, a diretoria de engenharia da Caesb encaminhou ao GDF um relatório sobre o problema. O documento diz que na área da Ponte do Bragueto, no extremo norte do lago, foi verificado grande crescimento da área assoreada, com vegetação em uma larga faixa antes ocupada pelo Lago Paranoá. O motivo seria a descarga de águas pluviais do Setor Noroeste.

Já faz um ano que a Terracap foi comunicada do dano ambiental. A assessoria de imprensa da empresa informou que já foram investidos cerca de R$ 30 milhões em um sistema de drenagem, que já estaria em operação.

Mas o problema persiste no Setor Noroeste, onde não há bocas de lobo na maioria das pistas. Em alguns pontos do bairro o trabalho para instalar a tubulação para captar água da chuva começou, mas não foi concluído.

Algumas construtoras tiveram que improvisar um desvio para drenar a água das obras. Uma lagoa foi formada dentro do Parque Burle Marx, que depois segue para o sistema de drenagem pluvial, onde ocorre o encontro do Ribeirão do Bananal com o Lago Paranoá.

A água despejada no lago chega totalmente suja. A terra acumulada na tubulação já entupiu uma das saídas do sistema de drenagem.

E o assoreamento do Lago Paranoá, denunciado pela Caesb, se agrava a cada dia.

Para a analista em urbanismo e meio ambiente, Mônica Veríssimo, as obras no Setor Noroeste não estão obedecendo as normas da licença ambiental.

“O Noroeste é tudo, menos um bairro ecológico. É possível ver que a vegetação vem sendo retirada para abertura de vias. Sem contar que a água drenada não poderia ser levada para o Bananal, o que vem acontecendo diariamente.”













http://g1.globo.com/distrito-federal...noa-no-df.html
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #63  
Old Posted Apr 6, 2012, 12:29 PM
emblazius emblazius is offline
Flamenguista
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília
Posts: 554


Foi confirmada pela Secretaria do Meio Ambiente do Distrito Federal – SEMAHR e pelo Instituto Brasília Ambiental - IBRAM, a data de 14 de Abril de 2012 para o evento de assinatura da Licença de Implantação do Bairro Tororó.

O Evento contará com a presença do Governador, do Vice e de outras autoridades, e será realizado no Condomínio Ecológico Parque do Mirante, no sábado dia 14 de abril de 2012, as 9:30h. Haverá um café da manhã que seguirá com um churrasco para o almoço, na área de lazer do condomínio.
__________________
Podemos escolher o que semear, mas somos obrigados a colher aquilo que plantamos
Reply With Quote
     
     
  #64  
Old Posted Apr 10, 2012, 8:37 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 12,952
Donos de 1450 poços e cisternas irregulares serão multados ainda este mês



A partir da segunda quinzena de abril, 1450 moradores de Vicente Pires, Samambaia e São José que, mesmo tendo acesso à água da Caesb continuam se utilizando de poços para captação de água subterrânea passarão a ser multados pela Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa). Eles não respeitaram o acordo do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) e estão sujeitos às penalidades previstas em lei e podem ser multados em até R$ 10 mil.

Apesar de amplamente alertados, eles foram refratários ao tamponamento dos poços, medida indispensável ao processo de licenciamento do setor habitacional e exigência para a concessão da futura escrituração dos terrenos. Os usuários que querem ter suas situações regularizadas ainda podem tamponar seus poços, seguindo as orientações técnicas, e encaminhar à ADASA o “termo de responsabilidade por obturação de poço”.

Nos próximos dias a ADASA vai abrir processo individual contra os 1450 irregulares (1247 de Vicente Pires, 741 de Samambaia e 206 de São José). Segundo o chefe da área de Fiscalização da Superintendência de Recursos Hídricos, Hudson Rocha de Oliveira, todos eles foram amplamente alertados e notificados sobre a necessidade de tamponar seus poços, processo que começou em 2008, segundo critérios estabelecidos no TAC Vicente Pires.

Ainda este mês será realizada uma ampla operação de fiscalização, com envolvimento da ADASA, CAESB e Polícia Militar. Quem optar pela solução do problema antes da blitz, pode fazer o tamponamento dos poços (obturação) obedecendo às regras estabelecidas pela ADASA para evitar contaminações no lençol freático. Para que a operação tenha caráter definitivo, deve-se usar brita e terra e, na superfície, colocar um “selo sanitário”, com uso de calda de concreto.

Na chamada área do TAC de Vicente Pires, que engloba ainda São José e Samambaia, foram identificados 3.466 poços. Destes, 2.194 foram regularizados nos últimos anos. Cerca de 400 estão localizados em área de Proteção Ambiental –onde as residências não recebem água da CAESB- e ainda deverão ser mantidos em operação.













http://www.jornaldebrasilia.com.br/s....php?id=398370
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #65  
Old Posted Apr 12, 2012, 5:26 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 12,952
Magela fala em construir novo bairro para atender ao Paranoá




O Residencial, segundo Magela, terá infraestrutura completa: ruas asfaltadas, água, luz e escritura

Cumprindo sua promessa de entregar mais moradias à população, o governo Agnelo lança o Edital de implantação do Conjunto Habitacional Paranoá Park, cujo projeto inicial prevê prédios de apartamentos para acomodar 5 mil famílias, através do programa Morar Bem, da Secretaria de Habitação, Regularização e Desenvolvimento Urbano (Sedhab).

No passado, durante muitos e muitos anos, a ocupação fundiária da área do futuro Paranoá Park foi promessa de campanha eleitoral de vários candidatos a cargos políticos, como uma moeda de troca por votos.

Com suas falsas promessas e discursos mentirosos, muitos políticos se elegeram e granjearam cargos, mas depois evitavam o povo e não cumpriam a palavra.

Já o governo Agnelo vai resolver a questão. "Estamos dando prioridade a este projeto. O conjunto habitacional será implantado na cidade do Paranoá e as unidades residenciais poderão ser adquiridas através do pagamento de prestações baixas, a preços populares, com financiamento pelo Banco de Brasília (BRB), Caixa Econômica Federal ou Banco do Brasil", conforme o secretário de Habitação, Geraldo Magela (PT), explica à reportagem do Jornal das Cidades.

Os apartamentos serão construídos em área de propriedade da Terracap, portanto sem qualquer impedimento jurídico, nas imediações do terreno onde também será implantado o campus da UnB no Paranoá.

O GDF já planeja abrir licitação pública para escolha da empresa de construção e iniciar a implantação do projeto do Paranoá Park (veja o mapa ). A empresa selecionada será responsável pela elaboração e aprovação do Estatuto Ambiental para obtenção das licenças necessárias.

Lista - De acordo com os critérios estabelecidos pela política habitacional, os apartamentos serão entregues às famílias inscritas e com melhor pontuação no novo cadastro da Sedhab, pela Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab) ou através de cooperativas habitacionais, com renda mensal de até R$1.600,00 e em conformidade com a lei distrital 3.877/2006, no âmbito do programa federal Minha Casa Minha Vida.

O secretário Magela tem expectativa de que as obras do Paranoá Park sejam iniciadas sem demora "no máximo até o início do próximo ano". Antes das obras, o terreno precisará passar pela fase dos estudos ambientais pelos técnicos.

Segundo Magela, "trata-se de um projeto inovador e ousado, para o benefício da casa própria à população". Os prédios terão 4 andares, com apartamentos de dois quartos e área total de 46 m2 (cada unidade). 5% das moradias serão destinados ao atendimento de cotas para deficientes físicos e pessoas idosas.

O Residencial Paranoá Park terá infraestrutura completa: ruas asfaltadas, água encanada e luz. Além disso, serão destinados lotes para igrejas e colégios. Também haverá áreas para lojas comerciais e praças com equipamentos públicos de lazer.

Mais informações sobre o programa Morar Bem podem ser obtidas pela internet, através do seguinte endereço: www.morarbem.df.gov.br.

Escrituras - Também para a reportagem do Jornal das Cidades, o secretário Magela falou sobre a questão da falta de regularização fundiária da cidade do Paranoá e o problema da não escrituração dos imóveis da localidade, um assunto que há décadas incomoda a população.

De acordo com Magela, o GDF está empenhado em encontrar uma solução para a irregularidade da cidade, "mas existe um grave entrave provocado pela falta de comunicação dos herdeiros das antigas fazendas, que mais tarde se transformaram nos aglomerados urbanos irregulares que existem hoje na região".

Segundo Magela, "o GDF está determinado em resolver a questão para satisfação de todos, entretanto espera que os herdeiros, ou seus representantes legais, também tenham interesse no desfecho positivo desse impasse histórico".

Para confirmar seu argumento, Magela lembrou que o GDF já implantou a campanha "Regularizar para morar legal" que visa dar agilidade aos processos de regularização fundiária no DF de forma legal e transparente, com mais celeridade aos processos, permitindo um desenvolvimento ordenado e com qualidade de vida para a população.








http://palanquecapital.com.br/2640/M...er-ao-Paranoa/
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #66  
Old Posted Apr 12, 2012, 7:14 PM
Jota's Avatar
Jota Jota is offline
Registered User
 
Join Date: Sep 2011
Posts: 3,488
Baseado só nesta imagem, acho que deve ficar ali naquele triangulo entre a DF-015 ou EPTM (estrada Parque Tamanduá , nem sabia que esse nome existia) o Paranoá e uma estrada de terra.

E agora tudo leva o nome de Park??? Que ridiculo.

Reply With Quote
     
     
  #67  
Old Posted Apr 12, 2012, 7:21 PM
Jota's Avatar
Jota Jota is offline
Registered User
 
Join Date: Sep 2011
Posts: 3,488
edit
Reply With Quote
     
     
  #68  
Old Posted Apr 12, 2012, 7:35 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 12,952
É ai mesmo, o Paranoá vai se tornar um triangulo bem grandão, ou quase isso, espero que façam esse condomínio ou expansão do paranoá tipo o setor mangueiral, mas com a fiação toda aterrada...
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #69  
Old Posted Apr 14, 2012, 2:55 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 12,952
Setor Tororó recebe licença ambiental neste sábado


Dois meses após a aprovação da viabilidade ambiental do Setor Habitacional Tororó – situado às margens da DF-140 –, pelo Conselho de Meio Ambiente do DF (Conam), a região recebe, hoje, a licença de instalação do Instituto Brasília Ambiental (Ibram). Isso significa que as obras de construção da infraestrutura básica e comum aos seis mil moradores do setor, como saneamento e drenagem pluvial, podem ser iniciadas.

Da mesma forma, a licença ambiental de instalação para todo o setor permite que as licenças ambientais individuais dos condomínios possam ser emitidas. Alguns esperam por mais de 20 anos para concluir o processo.

Com menos de 20 condomínios implementados, a área ocupada compreende apenas 25% de seu potencial. O Tororó ainda suporta perto do equivalente a seis vezes o total de moradores atuais. A previsão é de que a capacidade populacional chegue a, no máximo, 40 mil pessoas.

A região tem 90% de seu terreno localizado em área particular, próximo à DF-140 e ao Jardim Botânico. Esse fator faz com que o processo de regularização seja ainda mais simples, pois o maior empecilho encontrado pelos parcelamentos irregulares é a questão fundiária.












http://www.jornaldebrasilia.com.br/s....php?id=398983
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #70  
Old Posted Apr 18, 2012, 8:30 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 12,952
Moradores de Vicente Pires fecham a Estrutural em protesto contra derrubadas




População fecha a Estrutural em protesto a ação do Governo do Distrito Federal


Oito edificações construídas em áreas do GDF e da União estavam na mira das derrubadas da Agefis durante operação do Comitê de Combate ao Uso Irregular do Solo, nesta quarta-feira (18). A ação ocorreu em Vicente Pires, teve inicio às 9 horas, e estava prevista no cronograma de ações contra o parcelamento ilegal. Assim que a derrubada começou os moradores se irritaram com a ação do GDF. Segundo os moradores da região as casas que foram derrubadas já estavam completamente construídas, as que ainda estavam em condtrução permaneceram intactas.



Na tentativa de parar a ação os invasores interditaram a Via Estrutural e causaram um engarrafamento de vários quilometros. Seis das edificações estavam localizadas na Chácara 126, rua 10A, um condomínio de alto padrão. Algumas ainda em fase de construção. A área pertence à União e está em processo de regularização. Novas construções e reformas, no entanto, estão proibidas, em respeito ao que foi acordado em Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), assinado em 2006 entre o GDF e o Ministério Público do Distrito Federal.

Com o protesto a Agefis não concluiu as derrubadas. Das 8 construções previstas para irem ao chão, 3 foram deixadas em pé. O administrador de Vicente Pires foi até o local e negociou com os manifestantes. Ficou acordado que as derrubadas estão suspensas e uma reunião será marcada com o GDF para decidir a situação do moradores da região.














http://www.alo.com.br/noticias/ultim...Noticia=165091
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #71  
Old Posted Apr 20, 2012, 1:32 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 12,952
Projeto de lei enviado à CLDF regulariza o cercamento dos condomínios



Projeto de lei enviado à Câmara Legislativa esta semana pode colocar um ponto final à longa novela dos muros e guaritas nos condomínios horizontais do DF. Os moradores pedem agilidade na votação. Hoje vence o prazo dado pela Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis-DF) para a derrubada das portarias de três deles: Estância Jardim Botânico, Quintas da Alvorada e Solar da Serra, todos localizados no Jardim Botânico.

O cercamento dos parcelamentos já estava previsto no artigo 122 do Plano Diretor de Ordenamento Territorial (PDOT), aprovado em 2009. A irregularidade se mantinha, no entanto, pela falta de regulamentação. Questões como a concessão das vias públicas internas ao condomínio e a contrapartida dada pela administração do parcelamento para o Governo do Distrito Federal (GDF) foram resolvidas. O condomínio receberá, após a aprovação de seu projeto urbanístico, uma concessão de direito real de uso onerosa.

Ela incidirá sobre as áreas que não correspondem à propriedade particular de cada morador, ou seja, as que são de uso comum, como as vias internas de tráfego de veículos. O condomínio, por outro lado, terá como sua responsabilidade a manutenção paisagística da área; coleta de resíduos e destinação adequada; manutenção, ampliação e conservação das redes de abastecimento do água, esgoto e iluminação nas áreas comuns; além do controle de acesso às áreas fechadas do loteamento e vigilância nestes espaços.



“De acordo com o projeto de lei, as áreas públicas serão concedidas legalmente ao condomínio. É a mesma situação que vivemos hoje, mas dentro da legalidade. Não vai mudar absolutamente nada. O governador já orientou e honrou seu compromisso. Pedimos que a votação seja logo, para que não ocorra qualquer ação constrangedora para quem tem os muros e as guaritas. Da minha parte e do governador, os moradores podem ficar tranquilos”, declara o secretário de Habitação, Regularização e Desenvolvimento Urbano do DF (Sedhab-DF), Geraldo Magela.

A presidente da União dos Condomínios e Associações de Moradores no DF (Única-DF), Júnia Bittencourt, explica que o PDOT estabelece duas modalidades de parcelamento: o condomínio urbanístico – regulamentado pela Lei Complementar 710/2005 – e o loteamento urbano. No primeiro, a legislação é clara quanto à impossibilidade de contemplar os condomínios em regularização, somente os que surgirem após sua publicação.

A partir dessa discussão, surgiu a lei elaborada pela Sedhab e assinada, na noite de quarta-feira, pelo governador, que trata dos loteamentos urbanos. “Esse projeto é um alento para quem esperou tanto. Porém, enquanto não for lei, continuamos com esse problema. Buscamos um bom entendimento junto à Agefis e vamos aguardar a tramitação”, diz.











http://www.jornaldebrasilia.com.br/s....php?id=399845
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #72  
Old Posted Apr 21, 2012, 6:25 PM
dummed dummed is offline
Registered User
 
Join Date: Feb 2012
Posts: 17
AlphaVille abre loja conceito no CasaPark

18 de abril de 2012



A AlphaVille Urbanismo inaugurou na quarta-feira, dia 11 de abril, sua loja-conceito no CasaPark. A proposta do novo espaço é criar uma estrutura que funciona como uma vitrine de produtos da companhia, na qual o público poderá ter um primeiro contato com o empreendimento. Segundo o diretor de vendas e marketing da AlphaVille, Fábio Valle, o objetivo é reafirmar o compromisso com o cliente e proporcionar conforto e praticidade por meio da loja num ponto estratégico em Brasília. “Queremos facilitar o contato do público brasiliense com o projeto da AlphaVille Urbanismo, queremos que eles se sintam seguros ao adquirir nossos projetos”, ressalta Valle. A loja do CasaPark leva a assinatura da arquiteta Ângela Brito, e foi desenvolvida em parceria com a AlphaVille Urbanismo. Ângela também assina o projeto de decoração do Welcome Center, que funciona no local do empreendimento. A loja conceito da AlphaVille Urbanismo fica no 2º Piso, loja 226. Para mais informações: 3233-3021, ou pelo site – http://www.alphaville.com.br/.


http://www.casapark.com.br/alphavill...o-no-casapark/
Reply With Quote
     
     
  #73  
Old Posted May 15, 2012, 12:53 AM
emblazius emblazius is offline
Flamenguista
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília
Posts: 554
A beleza sempre foi um dos componentes fundamentais da Arquitetura. Hoje, ela está presente em quase todos os objetos que consumimos: do celular ao carro, a beleza faz a diferença.
 
Agora você tambem pode usufruir do desenho de um dos melhores escritórios de Arquitetura da cidade (clique sobre as imagens para ampliar).
 
A casa é composta de 1 suíte mais 2 quartos, banheiro social, terraço superior, sala de estar, de jantar, lavabo, cozinha, completas dependências de serviço e varanda com churrasqueira. Tudo construído com os melhores materiais.
 
Com todo o conforto de um projeto pensado para lhe proporcionar uma qualidade de vida superior, com um mínimo de manutenção. No tamanho certo (177m2 de área útil) para você e sua família.
 
E mais: o terreno (515 m2) lhe permitirá, no futuro, construir  piscina e quadra de areia.
Para completar, um belo jardim frontal pronto para recebê-lo e aos seus amigos.
 
E o melhor: acessível financeiramente e prontinha para você morar!
 
O bom, bonito e barato existe. E é aqui.
 
Clique em informações e conheça melhor essa OPORTUNIDADE.
informações
preço arquitetura localização
Diferentemente bela. No mínimo!


Fonte: http://e2arquitetos.com.br/crbst_e2%...1y2wqofz9gpqbu
__________________
Podemos escolher o que semear, mas somos obrigados a colher aquilo que plantamos
Reply With Quote
     
     
  #74  
Old Posted May 22, 2012, 9:45 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 12,952
Drenagem e pavimentação para o condomínio Sol Nascente



A Secretaria de Obras avança no processo de drenagem e pavimentação asfáltica do condomínio Sol Nascente, em Ceilândia. No próximo dia 05, será realizada a Audiência Pública, uma das etapas que antecedem o processo licitatório. As obras estão orçadas em R$ 255 milhões e beneficiarão mais de 100 mil moradores, incluindo os deficientes que serão contemplados com a acessibilidade prevista nos projetos.

O objetivo da audiência é apresentar os projetos existentes, esclarecer dúvidas, ouvir a comunidade e colher informações que possam colaborar com os planos de engenharia de drenagem e pavimentação com acessibilidade. “Esse é mais um passo para que a região possa receber as obras que vão reduzir significativamente os problemas causados pela poeira e pela lama”, explica o secretário de Obras, David de Matos.

Após a conclusão das formalidades da audiência pública será dado início à licitação das obras na região. Serão asfaltados 188 km de vias e construídos 66 km de redes para captação de águas pluviais. As obras de drenagem vão solucionar os problemas de erosão e desmoronamento, acabando com os constantes transtornos que a população tem com a chegada das chuvas. “O resultado disso é qualidade de vida para os moradores da região”, diz o secretário.

Toda a comunidade local está convidada a participar da audiência. O edital de convocação foi publicado no Diário Oficial do DF e nos jornais locais de ontem (21/05). A documentação completa com mais informações, inclusive edital e regulamento, está disponível no site da Secretaria de Obras (www.so.df.gov.br). Para facilitar o acesso dos interessados, a audiência será realizada no Auditório da Administração de Ceilândia, situada na QNM 13, das 9h às 13h.









http://www.jornaldebrasilia.com.br/s...404493&secao=N
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #75  
Old Posted May 31, 2012, 3:19 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 12,952
Setor noroeste

Obras embargadas



ICMBio alega que obras causam danos ambientais ao Parque Nacional


O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), autarquia vinculada ao Ministério do Meio Ambiente, realizou embargo às obras do Setor de Habitações Coletivas Noroeste, por meio da suspensão da licença que autorizava o trabalho das construtoras, expedida pelo Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos do DF (Ibram). No entanto, na tarde de ontem (30), centenas de operários, de diversas construtoras, desrespeitavam a decisão ao darem continuidade às incorporações embargadas.


Apesar da suspensão, na tarde de ontem, centenas de operários continuavam trabalhando

Conforme alega o ICMBio, as obras do novo setor habitacional estão causando danos ambientais ao Parque Nacional de Brasília, que se localiza próximo aos canteiros de obras, e também à Área de Proteção Ambiental (APA) do Planalto Central. Por esta infração, há uma multa que já totaliza R$ 100 mil e por lançar resíduos sólidos no entorno do parque e da APA em desacordo com a legislação ambiental, foram acrescidos outros R$ 500 mil. O descumprimento do embargo já foi informado ao Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT).

No posicionamento da autarquia, o embargo está vinculado ao cumprimento por parte da Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) às regras da licença ambiental. Como empreendedor do licenciamento, o órgão do GDF descumpriu, reiteradamente, as condicionantes da licença emitida pelo Ibram. “A Terracap é o empreendedor que recebeu o licenciamento. Antes do parcelamento esperamos que ela tenha colocado dentro do processo de licitação as clausulas que obrigam as construtoras a cumprir as condicionantes. Por isso ela é a responsável pelas multas”, explica o coordenador geral de proteção ambiental do ICMBio, Paulo Carneiro.

Segundo o coordenador, a Terracap não implementou o sistema de águas pluviais nem deu destinação correta à terra resultante das obras que, irregularmente, estava sendo canalizada e despejada em áreas de conservação, contribuindo para a degradação ambiental. Com a constatação, a Terracap está recebendo multa diária de R$ 15 mil, juntamente com o embargo das obras, até que se regularize os procedimentos. “O ideal é que o sistema de drenagem estivesse pronto antes das obras, mas isso não aconteceu e nós temos relatos de que alguns materiais foram dispensados no córrego Bananal. Não somos contra as obras nem o parcelamento do solo devidamente estudado. O problema é que sem planejamento o impacto ambiental pode ser grande”, garante Carneiro.

O Ibram, por meio da assessoria de imprensa, afirmou que recebeu a solicitação de embargo e que o Setor Noroeste possui diversas condicionantes. Devido a isso ainda está analisando as ponderações do ICMBio. A Terracap, por sua vez, não se pronunciou.








http://www.alo.com.br/noticias/ultim...Noticia=169132
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #76  
Old Posted Jun 2, 2012, 5:02 PM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is offline
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 21,969
Quote:
Originally Posted by dummed View Post
AlphaVille abre loja conceito no CasaPark

18 de abril de 2012



A AlphaVille Urbanismo inaugurou na quarta-feira, dia 11 de abril, sua loja-conceito no CasaPark. A proposta do novo espaço é criar uma estrutura que funciona como uma vitrine de produtos da companhia, na qual o público poderá ter um primeiro contato com o empreendimento. Segundo o diretor de vendas e marketing da AlphaVille, Fábio Valle, o objetivo é reafirmar o compromisso com o cliente e proporcionar conforto e praticidade por meio da loja num ponto estratégico em Brasília. “Queremos facilitar o contato do público brasiliense com o projeto da AlphaVille Urbanismo, queremos que eles se sintam seguros ao adquirir nossos projetos”, ressalta Valle. A loja do CasaPark leva a assinatura da arquiteta Ângela Brito, e foi desenvolvida em parceria com a AlphaVille Urbanismo. Ângela também assina o projeto de decoração do Welcome Center, que funciona no local do empreendimento. A loja conceito da AlphaVille Urbanismo fica no 2º Piso, loja 226. Para mais informações: 3233-3021, ou pelo site – http://www.alphaville.com.br/.


http://www.casapark.com.br/alphavill...o-no-casapark/
E por falar no Alphaville, eu estive no stand, não para saber do empreendimento em si, mas de outro na entrada dele, e advinhem, é verdade mesmo, o 2o shopping IGUATEMI em Brasília será praticamente a beira da DF 140.

Eu já havia confirmado com a empresa Iguatemi de São Paulo e agora mais essa. O pior, que tem gente afirmando que o Alphaville virou mico. Como assim mico?

Queriam construir tudo igualzinho ao Lamoeste ops, Noroeste? Sem infraestrutura. As pessoas pensam que não tem planejamento o local, queriam que logo em seguida do lançamento do 1o residencial, fosse lançado o 2o residencial?

As pessoas nem sabem que somente de condominios de casas, o local vai abrigar 15 condominios. O local tem o planejamento para estar totalmente concluído em 15 ou 20 anos.

Os corretores de plantão do forum, queriam que fosse vendidos 33 mil lotes em poucos meses. Sem contar que o 2o Alphaville está previsto para esse mês. Para despero do JC Gontijo que nem shopping center descente vai ter. E adivinhe aonde o povo desses condominios irao comprar. Lógico, nos hipermercados e shoppings localizados no Alphaville.
Reply With Quote
     
     
  #77  
Old Posted Jun 3, 2012, 5:58 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 12,952
Negócios

Gafisa assumirá controle total da Alphaville Urbanismo



Aquisição dos 20% da empresa que ainda não pertenciam à Gafisa deverá ser concluída ainda este ano; transação será de, no máximo 368,7 milhões de reais




Empreendimento da Gafisa: companhia assumirá 100% da rentável Alphaville Urbanismo

A Gafisa assumirá o controle integral da Alphaville Urbanismo, empresa da qual já detém 80% do capital social. A aquisição da participação restante deverá ocorrer ainda este ano, conforme fato relevante divulgado pela Gafisa. No documento, a companhia destaca que a fatia de 20% "equivalerá a, no máximo, R$ 368,7 milhões, sujeito ainda a pequeno ajuste adicional previsto no acordo de investimentos" acertado entre as empresas.

A operação marcará a conclusão de uma transação iniciada em 2006, quando a Gafisa celebrou acordo de investimento para assumir participação inicial de 60% na Alphaville Urbanismo. Em 2010, a fatia foi ampliada para 80% e, a princípio, esperava-se que a Gafisa fosse negociar a participação restante ainda no ano passado. O prazo, posteriormente revisado para janeiro deste ano, não chegou a ser cumprido.

O documento aponta que essa terceira etapa do acordo já está em andamento e será concluída ainda em 2012. As primeiras providências para que o novo acordo seja efetivado incluem a contratação de avaliações econômico-financeiras e cálculo de ajustes previstos no acordo de investimento entre as empresas.

De acordo com o fato relevante, a Gafisa e os acionistas da Alphaville Urbanismo ainda não definiram a estrutura para que o acordo seja implementado.

A Alphaville respondeu por 54% dos lançamentos realizados pela Gafisa no primeiro trimestre deste ano, ou R$ 249 milhões de um total de R$ 464 milhões em lançamentos. As vendas contratadas da Alphaville no trimestre alcançaram R$ 182 milhões, do total de R$ 408 milhões de vendas contratadas do grupo Gafisa. A companhia também respondeu por 13,4% da receita líquida total da Gafisa no trimestre, ou R$ 123,9 milhões de um total de R$ 927,8 milhões.










http://exame.abril.com.br/negocios/e...ille-urbanismo
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #78  
Old Posted Jun 4, 2012, 6:40 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 12,952
Estrutura de condomínios foi tema de debate político



A regulamentação de muros e portarias dos condomínios horizontais do Distrito Federal foi tema de discussão na Câmara Legislativa na quinta-feira (31). Parlamentares levaram a plenário questões levantadas pelos condôminos




A discussão do projeto de Lei nº 897/2012, de autoria do Poder Executivo, foi proposta pelos deputados Agaciel Maia e Eliana Pedrosa. O PL foi enviado à Câmara no final de abril e encontra-se em análise na Comissão de Assuntos Fundiários (CAF) e deverá ser apreciado ainda em outras duas comissões antes de ser votado em plenário pelos parlamentares. A audiência foi aberta pela deputada Eliana Pedrosa, que em seu discurso falou do substitutivo apresentado por ela e pelo deputado Agaciel Maia e da importância da discussão com os moradores.

Ao cumprimentar os presentes, o deputado Agaciel Maia lembrou mais uma vez que os condomínios evitaram a favelização de Brasília. “Sabemos quanto custa pacificar uma favela, como acontece em vários locais do Rio de Janeiro”. Para ele, o governo não tem condições de oferecer segurança “e, por isso mesmo, não tem sentido querer acabar com algo que ele não tem nenhum custo, além de gerar muitos empregos, citou Maia, lembrando que no decorrer do ano passado apresentou indicação solicitando ao governo o envio desse PL à Câmara.

Durante a audiência, Maia lembrou que já houve um avanço nos assuntos dos condomínios, apesar da lentidão. “Hoje o PL já é uma realidade, mas ainda temos um grande percurso a percorrer. Já avançamos com a chegada do projeto nesta Casa e com a criação da secretaria dos Condomínios”. Eliana Pedrosa elogiou a atuação de Agaciel, lembrando que, na audiência pública de outubro do ano passado, foi ele quem lançou a ideia da secretaria dos Condomínios, quando muitos não acreditaram. “O senhor foi incansável. O governo se rendeu e criou a secretaria. Agora, é esse projeto que chega e, mesmo com as necessidades de adequação, irá dar tranquilidade a todos os moradores, disse Eliana.

“Teimosia” rende casa própria

A história de luta dos moradores de condomínios não foi esquecida. Em um vídeo, os representantes dos residenciais mostraram parte de sua história. “Os condomínios foram se organizando com a teimosia dos moradores”, disse o presidente da Associação dos Moradores do Jardim Botânico (AJAB), Luiz Carlos Lula Guimarães. “No passado já fomos muito perseguidos. Essa luta tem sido constante e só quem já passou por tantas coisas é que sabe como é difícil”, disse, lembrando, inclusive, as inúmeras promessas de regularização e os certificados de regularização distribuídos em governos passados.

Também participaram do encontro o secretário adjunto da Secretaria de Habitação (Sedhab), Rafael Oliveira, que falou da existência de uma situação fática e da obrigação do Estado em resolver. “Por isso o projeto encaminhado; para que os condomínios se mantenham fechados”.

O secretário dos Condomínios, Wellington Luiz, parabenizou o deputado Agaciel Maia e a deputada Eliana pela iniciativa do debate e disse que “a idéia é resolver a situação existente. Nós viemos para resolver e por isso mesmo o PL vai tramitar de forma rápida, sim. Agora aperfeiçoado, ele será aprovado o mais rápido possível”, comentou com relação ao projeto das portarias, dizendo que é uma covardia a derrubada de casas e portarias.

Diversas lideranças foram ouvidas durante a audiência, mas foi o depoimento da moradora do Villages Alvorada, no Lago Sul, Tatiana Montezuna, uma das fundadoras do Movimento Morar Legal, no ano de 2002, que mais chamou a atenção. “Vivemos essa ameaça de derrubada há muitos anos. Em 2004, enfrentamos máquinas e tratores que estiveram em nosso condomínio para derrubada da portaria. Não derrubaram, mas existe uma ação na Justiça e agora o caso é muito pior. Perdemos em primeira e segunda instância a ação movida pelo Ministério Público. Temos 60 dias para derrubar nossa portaria sob pena de termos que pagar uma multa diária de R$ 20 mil”, emocionou-se.

Agaciel Maia pediu que fosse distribuído aos presentes cópia do substitutivo apresentado por ele e pela deputada Eliana Pedrosa. “Queremos contemplar todos os condomínios implantados e aqueles com processo de regularização em andamento. Até mesmo porque, em todos estes anos, o governo regularizou apenas cinco residenciais e somente estes seriam contemplados, continuando os demais na mesma situação de insegurança”, explicou o parlamentar.

Moradores querem segurança jurídica
A presidente da Associação Unica, Júnia Bittencourt, lembrou que há muitos anos os moradores de condomínios buscam uma lei que garanta a permanência dos condomínios fechados. Ela lembrou ainda que o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado em 2007 não prevê o fechamento dos residenciais e que a regularização que o governo faz é de loteamento aberto, sem muros e sem portarias. Segundo ela, o Estatuto da Cidade abriu uma brecha na legislação e trouxe um avanço para os moradores, uma vez que agora os estados podem legislar sobre uso e ocupação do solo. “O fato é que os condomínios existem a nível de Brasil. Temos que regulamentar a situação”.

Com relação à celeridade na tramitação do projeto na Câmara, a deputada Eliana Pedrosa deixou claro para os presentes que “quando é para o bem da comunidade, essa é a convicção de todos os parlamentares”. A parlamentar aproveitou para pedir o envio de um ofício a todos os órgãos envolvidos, pedindo cautela com relação à notificação de derrubada de portaria.

Já a representante dos moradores do Setor Arniqueira, Telma Rufino, foi enfática ao dizer que os governos passados foram omissos. “Isso é um absurdo”, disse, aproveitando, em seguida, para elogiar a criação da secretaria dos Condomínios e o envio do projeto de lei das portarias.









http://comunidade.maiscomunidade.com...OLITICO.pnhtml
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #79  
Old Posted Jun 20, 2012, 3:32 AM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 12,952
Decreto que autorizava a construção em condomínios irregulares do DF é suspenso




O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) obteve, nesta terça-feira, 19, decisão favorável na ação direta de inconstitucionalidade (ADI) proposta contra o Decreto 29.562/2008, que autorizava a construção de edificações em parcelamentos de solo irregulares, utilizando-se parâmetros urbanísticos de áreas próximas. A ação foi proposta em 2009 após solicitação da Promotoria de Justiça de Defesa da Ordem Urbanística (Prourb).

O MPDFT sustentou a inobservância da exigência de lei complementar específica para o tratamento da matéria, a ser discutida e aprovada pela Câmara Legislativa. Para o órgão, a adoção automática de parâmetros urbanísticos referentes a outros loteamentos ou áreas próximas viola a Lei Orgânica do Distrito Federal sobre o assunto, que visa a promover a ocupação ordenada do território, com o devido respeito ao meio ambiente.

Aponta-se, ainda, a afronta direta ao artigo 289 da Lei Orgânica, que estabelece que os projetos de parcelamento de solo no Distrito Federal terão sua aprovação condicionada à apresentação de estudo de impacto ambiental e apresentação do respectivo relatório, o que também não foi considerado pelo decreto questionado.









http://www.jornaldebrasilia.com.br/s....php?id=408876
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #80  
Old Posted Jun 20, 2012, 4:14 PM
Jota's Avatar
Jota Jota is offline
Registered User
 
Join Date: Sep 2011
Posts: 3,488
Mais que ideia bizonha é essa? Quer dizer que poderia fazer uma construção com base na norma que rege outra área?? Mas quem é o idiota que cria essas coisas?
Reply With Quote
     
     
This discussion thread continues

Use the page links to the lower-right to go to the next page for additional posts
 
 
Reply

Go Back   SkyscraperPage Forum > Regional Sections > América Latina > Brasil > Regiões Metropolitanas Mundiais
Forum Jump


Thread Tools
Display Modes

Forum Jump


All times are GMT. The time now is 8:50 AM.

     

Powered by vBulletin® Version 3.8.7
Copyright ©2000 - 2020, vBulletin Solutions, Inc.