HomeDiagramsDatabaseMapsForum
     

Go Back   SkyscraperPage Forum > Regional Sections > América Latina > Brasil > Infraestrutura & Transporte

Reply

 
Thread Tools Display Modes
     
     
  #661  
Old Posted Dec 22, 2017, 6:10 PM
fortescue fortescue is offline
Registered User
 
Join Date: Mar 2012
Posts: 154
Code:
Passageiros 2017 - Valor Acumulado  (2016/Variação %) 

                2017          2016        Var %

 1 - GRU    34.298.000    33.399.326     + 2,69%  
 2 - CGH    19.858.594    18.905.990     + 5,04%  
 3 - BSB    15.368.469    16.464.108     - 6,65%  
 4 - GIG    13.358.655    13.393.733     - 0,26%   [ Dados Jan/Out ]
 5 - CNF     9.223.221     8.786.618     + 4,97%  
 6 - VCP     8.554.976     8.471.534     + 0,98%  
 7 - SDU     8.413.277     8.257.523     + 1,89%  
 8 - POA     7.276.199     6.979.220     + 4,26%  
 9 - REC     7.009.895     6.200.767     +13,05%  
10 - SSA     6.953.015     6.833.204     + 1,75%  
11 - CWB     6.149.305     5.806.907     + 5,90%  
12 - FOR     5.379.944     5.157.943     + 4,30%  
13 - FLN     3.458.687     3.192.629     + 8,33%  
14 - BEL     3.003.910     2.947.174     + 1,93%  
15 - GYN     2.829.301     2.748.307     + 2,95%  
16 - VIX     2.737.871     2.840.907     - 3,63%  
17 - CGB     2.612.023     2.587.521     + 0,95%  
18 - MAO     2.354.513     2.416.678     - 2,57%  
19 - NAT     2.171.902     2.070.582     + 4,89%  
20 - IGU     1.973.975     1.681.636     +17,38%  
21 - MCZ     1.857.883     1.802.265     + 3,09%  
22 - SLZ     1.432.743     1.374.985     + 4,20%  
23 - NVT     1.422.618     1.350.646     + 5,33%  
24 - CGR     1.388.827     1.332.546     + 4,22%  
25 - JPA     1.193.068     1.287.460     - 7,33%  
26 - AJU     1.112.638     1.109.302     + 0,30%  
27 - UDI     1.007.493       959.148     + 5,04%  
28 - THE       998.949       982.918     + 1,63%  
29 - LDB       804.932       840.043     - 4,18%
Code:
Passageiros Domésticos 2017 - Valor Acumulado  (2016/Variação %) 

                2017          2016        Var %

 1 - GRU    21.538.000    21.052.826     + 2,30%  
 2 - CGH    19.858.050    18.905.990     + 5,04%  
 3 - BSB    14.946.710    15.885.015     - 5,91%  
 4 - GIG     9.816.943     9.743.950     + 0,75%   [ Dados Jan/Out ]
 5 - CNF     8.833.969     8.498.583     + 3,95%  
 6 - SDU     8.413.256     8.257.440     + 1,89%  
 7 - VCP     8.068.359     8.056.283     + 0,15%  
 8 - POA     6.880.663     6.648.149     + 3,50%  
 9 - REC     6.678.540     5.977.894     +11,72%  
10 - SSA     6.663.017     6.552.607     + 1,68%  
11 - CWB     6.098.018     5.763.433     + 5,81%  
12 - FOR     5.152.352     4.953.974     + 4,00%  
13 - FLN     3.263.900     3.015.189     + 8,25%  
14 - BEL     2.885.599     2.816.089     + 2,47%  
15 - GYN     2.829.301     2.748.306     + 2,95%  
16 - VIX     2.737.785     2.840.895     - 3,63%  
17 - CGB     2.612.021     2.587.519     + 0,95%  
18 - MAO     2.246.728     2.298.761     - 2,26%  
19 - NAT     2.100.229     1.990.709     + 5,50%  
20 - IGU     1.913.453     1.618.758     +18,21%  
21 - MCZ     1.847.939     1.800.069     + 2,66%  
22 - SLZ     1.432.719     1.374.984     + 4,20%  
23 - NVT     1.422.432     1.350.450     + 5,33%  
24 - CGR     1.388.815     1.332.533     + 4,22%  
25 - JPA     1.190.326     1.287.460     - 7,54%  
26 - AJU     1.112.638     1.109.302     + 0,30%  
27 - UDI     1.007.313       958.980     + 5,04%  
28 - THE       998.949       982.914     + 1,63%  
29 - LDB       804.928       840.043     - 4,18%
Code:
Passageiros Internacionais 2017 - Valor Acumulado (2016/Variação %) 

                2017          2016        Var %

 1 - GRU    12.760.000    12.346.500     + 3,35%  
 2 - GIG     3.541.712     3.649.783     - 2,96%   [ Dados Jan/Out ]
 3 - VCP       486.617       415.251     +17,19%  
 4 - BSB       421.759       579.093     -27,17%  
 5 - POA       395.536       331.071     +19,47%  
 6 - CNF       389.252       288.035     +35,14%  
 7 - REC       331.355       222.873     +48,67%  
 8 - SSA       289.998       280.597     + 3,35%  
 9 - FOR       227.592       203.969     +11,58%  
10 - FLN       194.787       177.440     + 9,78%  
11 - BEL       118.311       131.085     - 9,74%  
12 - MAO       107.785       117.917     - 8,59%  
13 - NAT        71.673        79.873     -10,27%  
14 - IGU        60.522        62.878     - 3,75%  
15 - CWB        51.287        43.474     +17,97%  
16 - MCZ         9.944         2.196     +352,82%  
17 - JPA         2.742
Code:
Movimentação Últimos 12 Meses (Anualizada) - Dez 2016 até Nov 2017

                 Mês Atual        Mês Anterior         Um ano Atrás
                Dez16-Nov17        Nov16-Out17          Dez15-Nov16

 1 - GRU        37.495.000          37.244.000          36.862.326
 2 - CGH        21.769.561          21.726.618          20.641.623
 3 - BSB        16.851.514          16.809.701          18.251.008
 4 - GIG                 -          16.067.943          16.111.840
 5 - CNF        10.071.917           9.995.273           9.764.064
 6 - VCP         9.408.694           9.459.280           9.338.512
 7 - SDU         9.221.659           9.207.348           9.058.477
 8 - POA         7.945.722           7.883.814           7.697.305
 9 - SSA         7.646.169           7.622.607           7.643.727
10 - REC         7.620.804           7.486.426           6.807.438
11 - CWB         6.728.236           6.710.739           6.401.042
12 - FOR         5.928.490           5.899.514           5.745.393
13 - FLN         3.802.493           3.775.682           3.532.346
14 - BEL         3.339.249           3.362.092           3.258.494
15 - GYN         3.097.792           3.076.128           3.035.993
16 - VIX         3.017.130           3.037.767           3.154.683
17 - CGB         2.865.061           2.870.568           2.872.470
18 - MAO         2.589.287           2.598.349           2.705.419
19 - NAT         2.417.669           2.423.356           2.321.094
20 - IGU         2.143.455           2.101.444           1.846.408
21 - MCZ         2.050.687           2.036.975           2.001.950
22 - SLZ         1.578.605           1.565.351           1.540.092
23 - NVT         1.543.009           1.505.858           1.495.599
24 - CGR         1.515.288           1.506.203           1.470.197
25 - JPA         1.323.988           1.338.729           1.422.747
26 - AJU         1.228.927           1.227.717           1.235.225
27 - THE         1.102.005           1.101.468           1.096.801
28 - UDI         1.098.675           1.094.887           1.061.459
Code:
Movimentação Total Mensal - Somente NOVEMBRO 2017 (2016/Variação %) 

              Nov 2017      Nov 2016      Var %

 1 - GRU     3.152.000     2.901.000     + 8,65%  
 2 - CGH     1.842.110     1.799.167     + 2,39%  
 3 - BSB     1.447.560     1.405.747     + 2,97%  
 4 - GIG          ????
 5 - CNF       847.273       770.629     + 9,95%  
 6 - SDU       770.772       756.461     + 1,89%  
 7 - VCP       727.782       778.368     - 6,50%  
 8 - POA       719.255       657.347     + 9,42%  
 9 - REC       667.204       532.826     +25,22%  
10 - SSA       610.154       586.592     + 4,02%  
11 - CWB       554.431       536.934     + 3,26%  
12 - FOR       473.032       444.056     + 6,53%  
13 - FLN       322.609       295.798     + 9,06%  
14 - BEL       266.278       289.121     - 7,90%  
15 - GYN       261.528       239.864     + 9,03%  
16 - VIX       231.946       252.583     - 8,17%  
17 - CGB       229.465       234.972     - 2,34%  
18 - MAO       195.536       204.598     - 4,43%  
19 - IGU       190.613       148.602     +28,27%  
20 - NAT       185.989       191.676     - 2,97%  
21 - MCZ       171.227       157.515     + 8,71%  
22 - NVT       152.847       115.696     +32,11%  
23 - CGR       128.629       119.544     + 7,60%  
24 - SLZ       128.074       114.820     +11,54%  
25 - AJU        99.293        98.083     + 1,23%  
26 - JPA        95.236       109.977     -13,40%  
27 - UDI        92.277        88.489     + 4,28%  
28 - THE        85.789        85.252     + 0,63%  
29 - LDB        74.955        73.871     + 1,47%
Code:
Detalhamento Movimentação Mensal novembro 2017 (2016/Variação %) 

           Nov 2017        Domest Nov      Var %    Inter Nov      Var %

 1 - GRU  3.152.000 >>      2.042.000     +10,86%    1.110.000     + 4,82%
 2 - CGH  1.842.110 >>      1.842.094     + 2,39%           16        ---
 3 - BSB  1.447.560 >>      1.409.363     + 3,01%       38.197     + 1,63%
 4 - GIG       ???? >>            ---        ---          ---        ---
 5 - CNF    847.273 >>        806.497     + 7,70%       40.776     +87,13%
 6 - SDU    770.772 >>        770.772     + 1,89%          ---        ---
 7 - VCP    727.782 >>        685.378     - 7,33%       42.404     + 9,42%
 8 - POA    719.255 >>        680.020     + 8,54%       39.235     +27,20%
 9 - REC    667.204 >>        633.301     +23,39%       33.903     +73,34%
10 - SSA    610.154 >>        587.845     + 4,24%       22.309     - 1,57%
11 - CWB    554.431 >>        549.042     + 2,90%        5.389     +61,06%
12 - FOR    473.032 >>        449.979     + 6,32%       23.053     +10,60%
13 - FLN    322.609 >>        313.258     + 9,11%        9.351     + 7,45%
14 - BEL    266.278 >>        257.409     - 7,21%        8.869     -24,31%
15 - GYN    261.528 >>        261.528     + 9,03%          ---        ---
16 - VIX    231.946 >>        231.945     - 8,17%            1        ---
17 - CGB    229.465 >>        229.464     - 2,34%            1        ---
18 - MAO    195.536 >>        185.422     - 4,49%       10.114     - 3,29%
19 - IGU    190.613 >>        185.268     +29,15%        5.345     + 3,71%
20 - NAT    185.989 >>        177.843     - 2,72%        8.146     - 7,99%
21 - MCZ    171.227 >>        170.723     + 8,52%          504        ---
22 - NVT    152.847 >>        152.830     +32,11%           17        ---
23 - CGR    128.629 >>        128.629     + 7,60%          ---        ---
24 - SLZ    128.074 >>        128.058     +11,53%           16        ---
25 - AJU     99.293 >>         99.293     + 1,23%          ---        ---
26 - JPA     95.236 >>         94.828     -13,77%          408        ---
27 - UDI     92.277 >>         92.277     + 4,28%          ---        ---
28 - THE     85.789 >>         85.789     + 0,63%          ---        ---
29 - LDB     74.955 >>         74.955     + 1,47%          ---        ---
Reply With Quote
     
     
  #662  
Old Posted Dec 30, 2017, 3:42 AM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is offline
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 19,464
Aparenta que a tendência no aeroporto é aumentar a movimentação, eu espero. Creio que agora em diante, mensalmente irá fechar no azul.
Reply With Quote
     
     
  #663  
Old Posted Feb 6, 2018, 5:46 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 12,402
EMPRESAS AÉREAS HUMILHAM PASSAGEIROS ENCURTANDO ESPAÇO ENTRE CADEIRAS


ANAC LIBERA EMPRESAS PARA DEFINIR DISTÂNCIA ENTRE POLTRONAS



ENCURTAR DISTÂNCIA ENTRE CADEIRAS PARA CABER MAIS GENTE, FATURAR MAIS, E O PASSAGEIRO QUE SE LIXE: A LÓGICA NA LATAM DESDE OS TEMPOS DA TAM.


Costuma-se dizer que as empresas reguladas capturaram as regras (e vontades) das agências reguladoras. Parece ser o caso das empresas aéreas, que conseguem o que querem na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), como a instituição da cobrança de bagagem, criando um negócio milionário, e até o fim da exigência de distância mínima entre poltronas. Agora, as empresas é que decidem, abrindo o caminho para abusos. Há 18 projetos na Câmara sobre o tema, mas não andam. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Nos aviões da Latam, por exemplo, para a maior parte dos passageiros passou a ser impossível, por exemplo, abrir a mesinha.

O assento à frente, na Latam, fica a 30cm do nariz do passageiro, que fica sujeito a ferimentos com freadas bruscas, na aterrisagem.

A distância entre poltronas dificulta o acesso do passageiro ao assento. Na chilena Latam, todos viajam entalados, desrespeitados, humilhados.

Empresas livres ara torturar

Além de caro, pegar um voo no Brasil se torna cada vez mais desconfortável. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) não estipula um espaço mínimo entre poltronas. A decisão fica a cargo da empresa fabricante da aeronave e da companhia área. No entanto, durante o processo de certificação, a Anac avalia se o espaço útil permite que o avião seja evacuado em até 90 segundos.

Em 2010, o órgão criou o Selo Anac. “O Programa de Avaliação Dimensional tem como objetivo orientar e informar o consumidor do transporte aéreo regular de passageiro, no ato da compra, sobre as características do assento que lhe será fornecido para a classe econômica – seja para voos nacionais, seja para voos internacionais”, informou a agência.

A Resolução nº 135, de 9 de março de 2010, cria cinco categorias de espaço: A, com mais de 73 cm entre poltronas; B, entre 71 cm e 73 cm; C, espaço de 69 cm e 71 cm entre as poltronas; D, de 67 cm a 69 cm de espaço entre as fileiras; e E, menos de 67 cm entre os assentos.

Em nota, a Avianca informa que toda a frota da companhia está classificada na categoria A, com mais de 73 cm entre poltronas. “A Avianca Brasil oferece o maior espaço entre poltronas aos clientes, sendo a única no país a conquistar a categoria "A" do Selo Dimensional Anac em todas as fileiras de assentos de todas as suas aeronaves”.

Já a Latam possui em sua frota aeronaves nas faixas A, B e C. Segundo o levantamento da Anac realizado no fim de 2016, a empresa dispõe de 50 aviões na categoria A; 84, na B; e 34 na C. Os passageiros da Azul viajam em aviões na faixa A (45 aeronaves) e na B (79 aeronaves). Ainda de acordo com o levantamento da ANAC, a Gol possui 86 aeronaves com fileiras com mais de 73 cm; 20 entre 71 cm e 73 cm; 12 na categoria C, ou seja, espaço de 69 cm e 71 cm entre poltronas; quatro aviões na faixa D; e um na faixa E.

Em relação ao descumprimento das categorizações informadas por cada empresa, a Anac diz que “qualquer descumprimento aos regulamentos da ANAC são passíveis de sanções, que vão de advertência à multa.” As aferições presentes no levantamento da agência são feitas pelas próprias companhias.

Serviço à parte

Como se o preço das passagens e agora do despacho de bagagens já não fossem salgados o suficiente, quem quiser viajar com mais conforto precisa pagar pelo espaço. Na Gol, a promessa é de 10 cm a mais entre os assentos e 50% mais de reclinação. O custo da “mordomia” é de R$ 55 por passageiro.

Na Latam, é preciso pagar R$ 29 em voos nacionais para usufruir de mais espaço entre as fileiras. O serviço custa 25% menos se for adquirido pelo call center ou durante o check-in online. A Azul cobra pelo menos R$ 25 por mais espaço. Já a Avianca não possui o serviço.






http://www.diariodopoder.com.br/noti...?i=96044856096
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #664  
Old Posted Feb 7, 2018, 3:04 AM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is offline
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 19,464
O Brasileiro não pode crescer. Tem que ficar baixinho para caber nas poltronas.
Reply With Quote
     
     
  #665  
Old Posted Feb 15, 2018, 10:26 AM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is offline
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 19,464
Inframerica participa de feira internacional com mais de 300 aeroportos do mundo


A Inframerica, administradora dos aeroportos de Brasília e de Natal, viaja a Quito, no Equador, para participar da Routes America 2018, feira de negócios de aviação civil que reúne os principais representantes do setor. No total, mais de 300 representantes de aeroportos, 80 de companhias aéreas e 800 agentes de todo o mundo vão comparecer ao evento.

A conferência acontece de 13 a 15 de fevereiro e oferece palestras, encontros de debate entre os participantes e outras oportunidades para as empresas expandirem suas redes de contatos. Com a participação no Routes America, a Inframerica busca apresentar o trabalho que vem sendo realizado nos aeroportos sob sua administração e considera o evento uma ótima oportunidade para apresentar projetos e criar relacionamentos com os mais influentes profissionais da região.

Recentemente considerados o 4º aeroporto mais pontual do mundo (OAG, 2017) e o melhor aeroporto brasileiro da categoria de até 5 milhões de passageiros por ano (Ministério dos Transportes, 2017), os aeroportos de Brasília e Natal, respectivamente, vêm demonstrando crescimento nas operações e na infraestrutura.


A reunião de tantas empresas e profissionais é uma oportunidade real para que se desenvolvam novas rotas entre aeroportos e se amplie a ligação entre as cidades e países. “Brasília e Natal ocupam posições geográficas e operacionais bastante importantes no cenário da aviação civil brasileira. Acreditamos no potencial de expansão de ambos aeroportos e investimos nisto. Para tanto, buscamos contato com empresas e companhias aéreas estrangeiras para internacionalizar ainda mais a importância dos nossos Aeroportos”, explica Jorge Arruda, presidente da Inframerica.

Os aeroportos de Brasília e Natal são terminais aéreos de grande importância tanto no cenário nacional quanto internacional da aviação civil. Ocupando posições geográficas privilegiadas, os aeroportos têm alta capilaridade e fácil saída para outros terminais da América e Europa. O aeroporto da capital federal é um dos maiores hubs domésticos do Brasil e investe na expansão das operações internacionais para aproveitar ainda mais seu potencial de operar como porta de entrada do Brasil.


Informações pela Assessoria de Imprensa da Inframerica.

Fonte: http://www.aeroin.net/inframerica-fe...rtos-do-mundo/
Reply With Quote
     
     
  #666  
Old Posted Feb 15, 2018, 10:38 AM
salengasss salengasss is offline
Registered User
 
Join Date: May 2011
Posts: 1,123
A Inframerica vive indo nestas feiras, mas não acontece nada além disso!
Reply With Quote
     
     
  #667  
Old Posted Feb 15, 2018, 12:57 PM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is offline
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 19,464
Quote:
Originally Posted by salengasss View Post
A Inframerica vive indo nestas feiras, mas não acontece nada além disso!
Sale, nos dias atuais, conseguir voo internacional é igual conseguir uma fábrica importante ou mesmo montadora de carro...

Tem que puxar muito saco, oferecer isenção de impostos e tal.... Uma parte a Inframerica faz, mas a outra, entra os políticos como sempre.
Reply With Quote
     
     
  #668  
Old Posted Feb 18, 2018, 10:02 AM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 12,402
DEMANDA AÉREA DE PASSAGEIROS SUBIU, DIZ ANAC. MENOS QUE PREÇOS DAS PASSAGENS


ALTA AINDA NÃO COMPENSOU RETRAÇÃO. PREÇOS NÃO ENTRARAM NA PAUTA

FOTO: EBC

GOL E A LATAM PERMANECERAM NA LIDERANÇA NO MERCADO DOMÉSTICO


A demanda por transporte aéreo doméstico (medida em passageiros-quilômetros pagos transportados, ou RPK) cresceu 5,7% em dezembro ante igual mês de 2016, informou a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Com isso, o indicador encerrou o ano passado com alta de 3,2%, após ter retraído 5,7% em 2016.

Já a oferta de assentos (assentos-quilômetros ofertados, ou ASK) aumentou 3,2% em dezembro na base de comparação anual, mantendo a tendência de crescimento pelo sexto mês consecutivo. No acumulado de 2017, a oferta registrou expansão de 1,4%, depois de ter caído 5,9% em 2016.

A taxa de aproveitamento em voos domésticos atingiu níveis recordes tanto em dezembro quanto no resultado acumulado de 2017. No último mês do ano, mostrou a quinta alta consecutiva (+2,4% na base anual) e alcançou 83,2%, maior nível para dezembro na série histórica, iniciada em 2000. Em 2017, o indicador ficou em 81,5%, com variação positiva de 1,8% em relação a 2016 e também um recorde na série histórica.

A Gol e a Latam permaneceram na liderança no mercado doméstico no acumulado de 2017, com 36,2% e 32,6%, respectivamente, da demanda. A Azul alcançou participação de 17,8% no período, enquanto a Avianca respondeu por 12,9%. "A participação das concorrentes das duas líderes de mercado avançou 6,7% na comparação com 2016, respondendo por 31,2% da demanda doméstica em 2017", afirma a Anac, em nota.

Por sua vez, o transporte doméstico de carga paga e correio alcançou 42,52 mil toneladas em dezembro, correspondendo a uma alta de 7,9% ante igual mês de 2016. No acumulado do ano, o indicador registrou crescimento de 1,8%, com um total de 426,1 mil toneladas.

Passageiros transportados. De acordo com Anac, as empresas brasileiras transportaram, em voos domésticos e internacionais, um total de 98,98 milhões de passageiros pagos em 2017, um aumento de 2,93% em relação a 2016. Em voos internacionais foram transportados 8,35 milhões de passageiros pagos, configurando uma alta anual de 11,7%. No mercado doméstico, os embarques cresceram 2,2% em 2017, passando para 90,62 milhões.

Internacional. A demanda internacional das aéreas brasileiras subiu 10,5% em dezembro na comparação anual, representando a 15ª alta consecutiva. Ao mesmo tempo, a oferta cresceu 11,7%, mantendo a tendência de elevação pelo 14º mês seguido. No mês, foram transportados 776 mil passageiros pagos em voos internacionais, maior nível para o período na série histórica iniciada em 2000.

No acumulado de 2017, a demanda neste mercado cresceu 12% frente a 2016, enquanto a oferta aumentou 10,6%.

Por sua vez, a taxa de aproveitamento dos assentos em voos de empresas brasileiras no mercado internacional atingiu 82,9% no mês, 1,1% abaixo do verificado em dezembro de 2016 - a quinta baixa consecutiva, após uma sequência de 14 meses de expansão. Mas, no ano de 2017 como um todo, o indicador acumulou alta de 1,3% ante 2016, atingindo o patamar de 84,8%, maior nível anual da série histórica. (AE)








http://www.diariodopoder.com.br/noti...?i=96545494612
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #669  
Old Posted Feb 23, 2018, 9:29 PM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is offline
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 19,464
Latam vai suspender voos diretos que ligam o Rio de Janeiro ao Recife, Salvador e Fortaleza!

Má notícia para os cariocas e fluminenses! A Latam vai suspender a partir de 25 de março as operações diretas entre o Aeroporto do Galeão e as cidades de Fortaleza, Recife e Salvador. Com a mudança, os passageiros que quiserem viajar com a Latam entre essas cidades terão de fazer conexões em Brasília ou em São Paulo.

Se você tem voo marcado com a Latam nessas rotas e ainda não foi avisado, é bom procurar a cia, para que a surpresa não seja ainda mais desagradável. Além do maior tempo de viagem, algumas conexões ficaram bem longas. Os passageiros afetados têm direito a reacomodação ou reembolso sem custos.

A companhia informou que está em contato com os passageiros e agências de viagem impactados para informar as alterações. Destacou ainda que a quantidade de voos diários e diretos entre Guarulhos e as cidades de Fortaleza, Salvador, Maceió e Natal foi aumentada – e uma nova frequência diária entre Congonhas e Recife foi criada.

Os cariocas já tinham perdido grande parte dos voos internacionais que a Latam operava entre o Galeão e destinos na Europa e Estados Unidos, além de uma drástica redução de frequência para outros destinos nacionais. Felizmente, os voos diretos entre Rio de Janeiro e São Luís ou Natal permanecem inalterados. Além disso, a GOL e a Avianca continuam oferecendo ligações diretas e sem paradas para quem embarca no Rio de Janeiro com direção a essas capitais nordestinas!

A Latam está cada vez mais concentrada no mercado de São Paulo, mantendo apenas Brasília como segundo hub (centro de operações) doméstico.

Agradecemos a contribuição dos leitores Jorge Frutuoso e Leandro Mota.

Fonte: http://www.melhoresdestinos.com.br/l...-nordeste.html
Reply With Quote
     
     
  #670  
Old Posted Mar 8, 2018, 1:10 AM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 12,402
Congresso aprova acordo que põe fim à limitação de voos entre Brasil e EUA


Pelas regras atuais, são permitidos apenas 301 voos entre os dois países







https://www1.folha.uol.com.br/mercad...il-e-eua.shtml
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #671  
Old Posted Mar 8, 2018, 1:23 AM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is offline
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 19,464
Agora para completar, falta as aumento da participação acionária de empresas estrangeiras no capital das aéreas brasileiras.
Reply With Quote
     
     
  #672  
Old Posted Mar 8, 2018, 11:15 AM
salengasss salengasss is offline
Registered User
 
Join Date: May 2011
Posts: 1,123
Quote:
Originally Posted by MAMUTE View Post
Congresso aprova acordo que põe fim à limitação de voos entre Brasil e EUA


Pelas regras atuais, são permitidos apenas 301 voos entre os dois países

https://www1.folha.uol.com.br/mercad...il-e-eua.shtml
Até que enfim!
Reply With Quote
     
     
  #673  
Old Posted Mar 8, 2018, 6:54 PM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is offline
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 19,464
Quote:
Originally Posted by salengasss View Post
Até que enfim!
E tem novidades Sale.... Poderemos ter voo direto de Brasília a Roma... Hoje saiu uma matéria a respeito. Mas ainda tem que ser confirmada, e já descartaram o Nordeste.

Se não for Brasília, pode ser Belo Horizonte, Florianopolis ou Porto Alegre. Mas no forum Radar, dá conta que o HUB da Avianca em Brasília, já garantiria o voo para Brasília, pois anunciaram hoje, codeshare Avianca e Alitalia...
Reply With Quote
     
     
  #674  
Old Posted Mar 8, 2018, 6:56 PM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is offline
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 19,464
Codeshare com Avianca e nova rota: Alitalia investe no BR


A estratégia de negócios adotada pela Alitalia após entrar em administração extraordinária mostra o Brasil como grande surpresa. Em dezembro, por exemplo, as rotas partindo do Rio de Janeiro e São Paulo rumo a Roma obtiveram a maior taxa de ocupação de toda a malha global da empresa, um dos resultados que fizeram com que a companhia investisse ainda mais no País. Nos próximos meses, um acordo de codeshare junto à Avianca deverá ser anunciado para ampliar ainda mais as conexões da aérea italiana por aqui.

"O Brasil é um dos mercados-chave nesse momento de recuperação que temos vivido", destacou o country manager da Alitalia em solo brasileiro, Carlos Antunes, em entrevista exclusiva ao Portal PANROTAS. Segundo ele, o País saltou de 5º para 3º nos negócios globais da aérea em 2017. Neste ano, porém, com um aumento de 44% na oferta de voos, a expectativa é de que se torne o vice-líder, atrás apenas da Itália.

A taxa de ocupação de 85% é outro destaque positivo que mostra o potencial da conexão aérea entre Brasil e Itália, de acordo com Antunes. Até por isso, a Alitalia já estuda a possibilidade de pousar seus aviões em um novo aeroporto brasileiro, além de Guarulhos e Galeão. "Isso já é tratado pelo alto escalão da empresa, mas posso dizer que não será no Nordeste", revelou.

"AGENTES SÃO FUNDAMENTAIS"
Se o momento da Alitalia no Brasil é comemorado, muito se deve à atuação dos agentes de viagens. Isso porque, segundo Antunes, eles representam "bem mais do que a metade" do share de vendas da empresa por aqui e estiveram ao lado da empresa no momento mais delicado.

"Desde que entramos em administração extraordinária, eles nunca viraram as costas para nós. Pelo contrário, nos apoiaram desde o início", destacou Carlos Antunes.

Em resposta a esse apoio, a Alitalia comanda uma blitz de vendas no Rio de Janeiro com o objetivo de visitar mais de 50 agências de viagens e encher os voos rumo a Roma. Além disso, também levará uma comissão com dez CEOs e donos das principais agências brasileiras à convenção anual de vendas. O objetivo: otimizar o relacionamento com o trade.

"O Brasil contará com uma das maiores delegações no evento. Lá, mostraremos Roma sob a perspectiva da Alitalia, com experiências, networking e capacitação aos nossos principais parceiros", concluiu o executivo.

O FUTURO DA ALITALIA
Muito se especula sobre o futuro da Alitalia e as possibilidades de compra das ações que pertencem ao governo da Itália (51%). Ao Portal PANROTAS, porém, Carlos Antunes revelou que o alto escalão da empresa admite que ainda não há uma proposta na mesa que seja atraente a uma possível venda, que só deverá ser selada em um "pacote completo".

"O negócio não sairá se chegarem propostas apenas por slots, por exemplo. A vontade [do governo] é que a Alitalia seja vendida como um todo, para que o mercado aéreo não sinta tanto os efeitos dessa transação", completou.

Fonte: http://www.panrotas.com.br/noticia-t...br_153887.html
Reply With Quote
     
     
  #675  
Old Posted Mar 9, 2018, 11:05 AM
salengasss salengasss is offline
Registered User
 
Join Date: May 2011
Posts: 1,123
Quote:
Originally Posted by pesquisadorbrazil View Post
E tem novidades Sale.... Poderemos ter voo direto de Brasília a Roma... Hoje saiu uma matéria a respeito. Mas ainda tem que ser confirmada, e já descartaram o Nordeste.

Se não for Brasília, pode ser Belo Horizonte, Florianopolis ou Porto Alegre. Mas no forum Radar, dá conta que o HUB da Avianca em Brasília, já garantiria o voo para Brasília, pois anunciaram hoje, codeshare Avianca e Alitalia...
Se concretizar este voo para FCO será bom demais!
Reply With Quote
     
     
  #676  
Old Posted Mar 10, 2018, 6:25 PM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is offline
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 19,464
Klein amplia frota da Icon neste ano, de olho na Copa

Antes de abril acabar, os funcionários que trabalham na rua João Pessoa, 83, em São Caetano do Sul, não mais vão ouvir a chegada ou a partida do helicóptero Agusta, que diariamente transporta o empresário Michael Klein. Ele vai deixar, depois de mais de quarenta anos, de dar expediente no quinto andar do prédio que abrigou a primeira loja da Casas

A nova base de trabalho de Klein será a avenida Jurandir, colada ao aeroporto de Congonhas, na zona sul da capital paulista, sede da Icon Aviation, a empresa de aviação executiva do empresário. "A aviação já toma mais de 50% do meu dia. Isso só vai só aumentar. No varejo eu estou apenas no conselho, tenho atuação passiva" diz Klein. Ele é membro do

Na Icon Aviation, diz Klein, a situação é diferente. Ele comanda diretamente a empresa, que vem crescendo. "Vamos crescer 40% este ano", disse o empresário ao Valor, em entrevista dada ainda em sua sala na Casas Bahia, decorada com maquetes de aeronaves.

A ironia é que a aviação, que hoje tira Klein do mundo do varejo, entrou na rotina do empresário por causa da Casas Bahia, onde ele começou a trabalhar em 1969 como gerente financeiro. "Nos anos 90, a gente estava abrindo lojas. No interior de São Paulo, não dava para ir de carro. Demorava muito. Então, em 1994, compramos nosso primeiro helicóptero

Em 2012, quando a Casas Bahia já era do Grupo Pão de Açucar, os novos donos avisaram Klein que as aeronaves não teriam mais serventia. Naquele ano, a frota da empresa somava três helicópteros e quatro jatos. "Depois de estudar o que fazer com os ativos, decidimos criar uma empresa de táxi aéreo".

Dois anos depois, no 2014 da Copa do Mundo, estreava a CB Air, ou Capital Brasileiro Air - e não Casas Bahia Air, porque a marca também fora vendida pelos Klein ao Pão de Açúcar. Naquele mesmo ano, a empresa conseguiu fechar contratos grandes como o transporte de delegados e convidados da Fifa.

A Via Varejo foi posta à venda pelo Grupo Pão de Açúcar há mais de um ano, mas Klein não parece interessado em recomprar a Casas Bahia. Ele diz que aproveita na aviação o que aprendeu no varejo. "A empresa de aviação não deixa de ser varejo. No varejo, você realiza sonhos de pessoas, que querem um bem. Na aviação, você realiza sonhos de viagem, par

Na aviação executiva, o empresário disputa espaço com 120 empresas de táxi aéreo, segundo registros na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). O mercado é pulverizado. No segmento de fretamento para passageiros e serviços de hangaragem a concorrência é mais concentrada em companhias como a mineira Líder Aviação e a paulista TAM AE.

Na Icon, Klein não gasta tempo ou recursos em campanhas publicitárias de massa, como fazia nas Casas Bahia, mas investe em comunicação direta com os usuários de aviação executiva.

Saber comprar e vender é outro ativo que ajuda Klein nessa etapa nova da vida empresarial. Na Casas Bahia, aprendeu a comprar e vender eletrodomésticos, móveis e imóveis. Na Icon, passou a comprar aeronaves de olho na demanda dos passageiros - executivos e empresários usuários da aviação executiva. Diz que viu maior interesse por aviões mais confor

O empresário também entrou no mercado comprando aeronaves de proprietários que queriam fazer caixa ou reduzir custos fixos de manutenção. "Temos clientes hoje que eram donos de aeronave. Eles venderam [aeronaves] pra gente, mas continuaram fretando os voos", conta. "Na aviação executiva, não é como na aviação regional, que você assume o risco de co

Mas para o modelo de negócio rodar, é preciso consolidar uma carteira de clientes que dê giro aos ativos. Avião é rentável voando; no solo representa custo. Por isso, em agosto de 2016, quando a empresa de táxi aéreo de Michael Klein tinha 12 aeronaves e dois hangares, o empresário fez a compra mais agressiva, assumindo a concorrente Global Aviatio

Com o negócio, aprovado pelo Cade no fim de 2016, a empresa de Klein aumentou a frota para 32 unidades - sendo 12 próprias e as demais modelos de terceiros que a Global apenas gerenciava, sob contratos de administração - e dez hangares. A companhia ganhou novo nome, Icon Aviation.

Depois, em setembro do ano passado, a Icon comprou outra empresa, a Morro Vermelho Táxi Aéreo, do Grupo Camargo Corrêa, assumindo mais três aeronaves e mais um hangar, no aeroporto de Congonhas. "O ano de 2017 foi de integração das duas empresas. Algumas pessoas tiveram que se adaptar, outras não se adaptaram. Agora está tudo certo. Todo mundo sabe

Por isso, afirma ele, a empresa tem condições de mais que triplicar o ritmo de crescimento da receita em 2018, ante 2017, quando o faturamento aumentou 12%, para R$ R$ 158 milhões, abaixo da meta inicial, que era de R$ 200 milhões. "A economia está melhor, e isso ajuda. Mas estamos mais preparados este ano", acrescenta.

A Icon Aviation tem hoje 25 aeronaves, sendo 17 próprias e oito de terceiros sob gestão - desde helicópteros Agusta 109 Power, com capacidade para seis pessoas, até um Gulfstream G550, com capacidade para transportar 18 passageiros em rotas longas. Este avião pode voar de São Paulo a Moscou, sem escala, e custa cerca de US$ 60 milhões. Neste ano, a

Fazer voos com o Gulfstream para a Rússia é um dos planos de Klein neste ano. Ele quer vender pacotes para os jogos da Copa do Mundo, em parceria com agências de viagem de luxo. A Icon também está entrando no mercado de compartilhamento de aeronaves, para concorrer com a Prime Fraction e a Avantto. Vai também operar rotas fixas de temporada.

No compartilhamento de aeronave, que a Icon lança este mês, serão comercializadas três cotas de avião ou cinco cotas por helicóptero. Os donos dessas cotas têm direito a um número determinado de horas por ano. "Se o cotista não fizer uso de suas horas, ele pode colocar a aeronave em nossa plataforma de serviço de taxi aéreo, o que reduz para ele os

O serviço de compartilhamento terá uma cláusula de saída. Isso permite ao cotista vender, após um período determinado no contrato, sua participação na aeronave a um preço de mercado. "Isso dá liquidez ao ativo", afirma Galvão.

A Icon também vai operar mais rotas fixas neste ano, um modelo de negócio testado em janeiro e fevereiro. Foram feitos voos de São Paulo a Angra dos Reis e Paraty nos fins de semana, sempre nos mesmos horários.

Klein projeta gerar mais receita com a intermediação na venda de aeronaves. Em 2017 foram feitas 14 transações, de novos e usados. "Queremos fazer pelo menos 1,5 transação por mês", disse. Ele projeta crescer 28% nesse tipo de negócio neste ano.

Segundo Klein, a economia está mais aquecida, levando mais empresários e executivos a usar o táxi aéreo. Ele nota a maior demanda, por exemplo, entre empresários do agronegócio. Por isso, diz, a Icon está comprando mais duas aeronaves este ano, uma delas um turboélice da fabricante suíça Pilatus, capaz de pousar em pistas de terra.

Klein diz que os investimentos na Icon têm sido feitos com capital próprio. "É como financiamento de carro. Você dá uma entrada e financia o resto", brinca, sem abrir quanto investiu desde a aquisição da primeira aeronave.

"Vamos abrir pelo menos mais duas bases neste ano", diz Klein, citando um novo hangar em Brasília e mais um a ser definido, entre Rio de Janeiro e uma cidade do Nordeste. O plano é começar a oferecer voos a partir de Brasília e do Rio, além de São Paulo.

O presidente da Icon descarta buscar recursos no mercado de capitais ou emitir dívida para alavancar a empresa, pelo menos no curto e médio prazos. "Só se aparecer uma concorrente estrangeira de táxi aéreo para entrar com força no Brasil e a gente precisar se reforçar. Mas, por enquanto, não vejo necessidade", diz Klein.

Ao transferir seu escritório para São Paulo, Klein diz que vai ficar mais próximo dos 320 funcionários da Icon. Perguntado se a mudança é temporária, se a Via Varejo pode voltar a ocupar mais espaço em sua agenda, Klein responde, sem hesitar: "Não quero mais ser ativo no varejo".

Fonte: http://www.valor.com.br/empresas/536...e-olho-na-copa
Reply With Quote
     
     
  #677  
Old Posted Mar 10, 2018, 6:28 PM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is offline
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 19,464
Inclusive o Hangar de Brasília já está pronto com o nome, aparenta que seja aonde era a Lider Taxi Aéreos.
Reply With Quote
     
     
  #678  
Old Posted Apr 4, 2018, 4:02 PM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is offline
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 19,464
Gol e Boeing assinam acordo de manutenção da frota 737 Max


A Gol assinou com a Boeing um acordo de Airplane Health Management direcionado à frota 737 Max. Segundo a fabricante norte-americana, a companhia brasileira terá a partir de agora um entendimento maior sobre o sistema e o design de sua tão esperada aeronave, tal como uma compreensão mais apurada sobre manutenção operacional de frota. A medida prevê maior eficiência e menor custo operacional.

O primeiro B737 Max 8 da Gol chega em breve, e a frota é previsa para retomar os voos da aérea brasileira aos Estados Unidos, inclusive com bilhetes à venda. Serão quatro voos diários, de Brasília e Fortaleza a Orlando e Miami.

A Boeing declarou toda sua estima à aviação na América Latina, região em que, segundo estudo de 2017 da própria fabricante, a aviação comercial cresce 5% ao ano. Os americanos esperam que os serviços relacionados ao setor movimentarão US$ 530 bilhões até 2036.

Fonte: https://www.panrotas.com.br/aviacao/...ax_154520.html
Reply With Quote
     
     
  #679  
Old Posted Apr 29, 2018, 5:35 PM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is offline
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 19,464
Achei bem interessante essa tabela dos HUBs brasileiros...


Fonte: http://diariodonordeste.verdesmares....mage/image.jpg
Reply With Quote
     
     
  #680  
Old Posted Aug 3, 2018, 2:36 AM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 12,402
Companhias aéreas estrangeiras de baixo custo começam a entrar no Brasil

Cobrança de bagagem foi o principal fator de atração das empresas ao país, segundo Anac




https://www1.folha.uol.com.br/mercad...o-brasil.shtml
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
This discussion thread continues

Use the page links to the lower-right to go to the next page for additional posts
 
 
Reply

Go Back   SkyscraperPage Forum > Regional Sections > América Latina > Brasil > Infraestrutura & Transporte
Forum Jump


Thread Tools
Display Modes

Forum Jump


All times are GMT. The time now is 2:12 AM.

     

Powered by vBulletin® Version 3.8.7
Copyright ©2000 - 2018, vBulletin Solutions, Inc.