HomeDiagramsDatabaseMapsForum
     

Go Back   SkyscraperPage Forum > Regional Sections > América Latina > Brasil > Regiões Metropolitanas Mundiais

Reply

 
Thread Tools Display Modes
     
     
  #5581  
Old Posted Mar 3, 2016, 8:34 PM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is offline
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 19,464
Piada atrás de piada, criar uma gigantesca APA em cima de várias APAs... Só no Brasil mesmo.
Reply With Quote
     
     
  #5582  
Old Posted Mar 4, 2016, 3:37 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 12,402
Governo quer PPP no Parque da Cidade, mas garante não onerar usuários


Foto: Carlos Granda/CLDF

"O governo não tem nenhum modelo ainda, estamos num processo técnico embrionário"


Representantes de restaurantes, quiosques, parque de diversões, hípica e kart do Parque da Cidade se reuniram no plenário da Câmara Legislativa nesta quinta-feira (3), para participar de comissão geral sobre o projeto de parceria público-privada do governo para gerir a área. Os comerciantes alegam falta de diálogo com o GDF e temem serem retirados do parque. Já o governo garante que irá ouvir os comerciantes e que não haverá cobrança adicional para o cidadão.

"O governo não tem nenhum modelo ainda, estamos num processo técnico embrionário", explicou o secretário de Economia e Desenvolvimento Sustentável, Arthur Bernardes.

À frente do debate, o deputado Chico Vigilante (PT) insistiu ser preciso tranquilizar os 43 permissionários que atuam no parque, alguns dos quais há mais de 30 anos. "Esses trabalhadores estão lá legalmente, gerando empregos e renda", destacou. Para ele, o governo deve se reunir com representantes dos comerciantes e apresentar as regras para a manutenção deles no espaço. "Eles podem ser parceiros na implementação do modelo de concessão que o governo decidir", apontou.

"Ouvimos falar de PPP para o parque, mas nunca fomos chamados para sugestões ou para dirimir dúvidas", reclamou o vice-presidente da Associação do Parque da Cidade, Marco Ferreira. Na mesma linha, Marcelo Márcio, do Nicolândia, disse esperar "no mínimo, ser ouvido".

"O GDF tem cometido o erro de não dialogar em várias áreas. O projeto pode ser excelente, não tem havido transparência", comentou o deputado Ricardo Vale (PT). Para ele, o parque pode ser aprimorado sem excluir os que já estão estabelecidos.

Reclamações de falta de diálogo estiveram nos pronunciamentos dos demais participantes, que criticaram qualquer proposta de privatização do local. "Por que privatizar? Vejo omissão por parte do governo, que deixou o parque abandonado", disse a gerente de eventos do Carreira Kart.

Privatização – O secretário Arthur Bernardes fez questão de reforçar que o GDF não irá privatizar o local. "Está havendo uma confusão de informações e fico feliz de poder esclarecer: o governo é contra a privatização do parque. Queremos fazer investimentos, melhorá-lo, assim como o governo federal fez com a concessão do aeroporto de Brasília. O parque está mal cuidado, estamos avaliando as experiências de outros lugares no Brasil e exterior", disse.

Questionado sobre a possibilidade de passar a cobrar por estacionamento, por exemplo, Bernardes garantiu que não irá onerar os frequentadores. "Ainda não há um modelo de concessão, mas sabemos que ninguém vai pagar para entrar, para usar banheiro ou para beber água. Não haverá qualquer cobrança adicional para o usuário", assegurou.

O subsecretário de Parceria Público-Privada do GDF, Luiz Alberto Grande, ainda reforçou: "O parque é público e continuará público, mas é preciso melhorar sua condição e manutenção e, para isso, buscar um processo melhorado de gestão".

Segundo Bernardes, são necessários R$ 600 mil para a manutenção mensal do parque, ao passo que os permissionários contribuem apenas com R$ 24 mil por mês. "Do jeito que está não dá para ficar", adiantou. Vigilante sugeriu a concessão do pavilhão de exposições para exploração privada, como forma de arrecadar mais recursos.

História – O deputado Agaciel Maia (PTC) citou a máxima "Antiguidade é posto" para apoiar a continuidade dos empresários já estabelecidos no Parque da Cidade. Ele contou se lembrar da fundação do local: "No início era isolado, nenhum comerciante queria estar lá". Para ele, "não é justo" fazer uma concessão e tirá-los de onde estão. "Muitos foram para lá quando ninguém queria. O parque é grande, é possível desenvolver novos projetos sem expulsá-los", concluiu.

Discursos semelhantes foram feitos por outros participantes. Natália Pereira, funcionária do Nicolândia, destacou, por exemplo, que o parque de diversões, com sua roda gigante, já se tornou um cartão portal de Brasília.












http://fatoonline.com.br/conteudo/17...a&p=de&i=1&v=0
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #5583  
Old Posted Mar 4, 2016, 3:38 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 12,402
Governo do DF retoma processo para vender parte de sua dívida ativa


Instituições financeiras podem apresentar propostas para comprar débitos de contribuintes com o GDF. Medida pode render R$ 300 milhões aos cofres públicos

Foto: DANIEL FERREIRA/METRÓPOLES



Depois de tentativa frustrada no ano passado, o Governo do DF retomou o processo de securitização (venda) de parte da dívida ativa. Nesta sexta-feira (4/3) foi publicada a carta-convite para que instituições financeiras apresentem propostas de compra de passivos reconhecidos por inadimplentes e que começaram a ser pagos em forma de parcelamentos pelos contribuintes que aderiram ao Refis. O processo deve render, em 2016, no mínimo, R$ 300 milhões aos cofres públicos, e a dívida ativa do DF é de cerca de R$ 16 bilhões.

A medida passou pelo crivo dos deputados distritais em 9 de junho de 2015, mas, em função da terceira etapa do Programa de Incentivo à Regularização Fiscal (Refis), o GDF optou por adiar o início do processo para este ano.

Se a securitização fosse feita no ano passado, uma instituição financeira poderia assumir parcelamentos de um contribuinte em débito com o Executivo local e a pessoa poderia depois negociar por meio do Refis, o que traria instabilidade na hora de calcular a carteira de crédito e, consequentemente, incerteza ao investidor.

A medida é mais uma tentativa do governador Rodrigo Rollemberg (PSB) de reforçar as receitas do GDF, que passa pela mais grave crise financeira de sua história. A securitização nada mais é do que a reunião de passivos em títulos que podem ser comercializados no mercado de capitais.

O governo justifica a medida como vantajosa pelo fato de poder receber o valor integral das dívidas. Os lucros de quem assumir a responsabilidade dos débitos são os juros, os rendimentos e as taxas provenientes dos financiamentos. Pelas previsões do Executivo, o processo deve ser concluído em meados deste ano.

Todas as transações relacionadas à venda de carteiras de créditos serão feitas pela DF Gestão de Ativos AS, empresa pública constituída no fim de 2015 exclusivamente para gerir essas operações. O Governo do DF, por meio da Secretaria de Fazenda, detém 99% do capital da empresa, e o Banco de Brasília (BRB), 1%.

Inconstitucional

O governo federal também tenta vender parte de sua dívida ativa. Porém, a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) apresentou parecer, no ano passado, em que afirma que são inconstitucionais dois projetos que tramitam no Congresso Nacional e tratam da venda da dívida ativa da União.

No documento, a procuradoria afirma que o repasse de créditos da dívida para a cobrança por entidades privadas, ou mesmo outras formas, como a securitização da dívida, ferem princípios como indisponibilidade do interesse público e da igualdade tributária.

“Seja com fulcro em normas constitucionais explícitas, seja com base naquelas de cunho implícito, a cessão de créditos inscritos em dívida ativa da União para entidades privadas revela-se eivada de patente inconstitucionalidade”, afirma o texto.

No parecer, a PGFN diz que qualquer tentativa de alienar créditos inscritos em dívida ativa da União para entidades privadas fere o princípio de indisponibilidade do interesse público: “Os créditos públicos, notadamente aqueles já inscritos em dívida ativa são, via de regra, inalienáveis e indisponíveis“. (Com informações da Agência Brasília e Agência Estado)













http://www.metropoles.com/distrito-f...a-divida-ativa
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #5584  
Old Posted Mar 4, 2016, 3:52 PM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is offline
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 19,464
Acredito que nenhuma PPP será viabilizada nesse governo, nem tão pouco obras consorciadas. Quem nem querem fazer em algumas cidades, aonde o empreendedor ganha o direito de fazer um grande shopping e o mesmo BANCA obras de infra-estrutura, como viadutos, ferrovias e por ai vai.
Reply With Quote
     
     
  #5585  
Old Posted Mar 5, 2016, 7:40 PM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is offline
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 19,464
TCDF vai utilizar ferramenta da Sefaz para identificar sobrepreço em licitações

O Tribunal de Contas do Distrito Federal vai utilizar um programa de acompanhamento de notas fiscais eletrônicas da Secretaria de Fazenda do DF para identificar possíveis irregularidades em preços de produtos e serviços adquiridos pelo Governo do DF. O presidente do TCDF, Conselheiro Renato Rainha, e o Secretário de Fazenda do DF, João Antônio Fleury, assinaram um termo de cooperação nesta terça-feira, 1º de março de 2016, para permitir ao Tribunal utilizar o chamado Mapa de Preços, que é referência nacional.

O software possui mais de 300 milhões de produtos e serviços cadastrados na base de dados. E, com esse volume de informações, o programa permite fazer diversas análises comparativas. O TCDF vai utilizar a ferramenta para fiscalizar os preços praticados em licitações. Com o programa, é possível comparar, por exemplo, os valores pagos por um hospital particular e por um público em um mesmo medicamento num mesmo período.

O presidente do TCDF lembrou o caso de um pregão para a compra de um remédio que foi suspenso pela Corte. Havia uma diferença de mais de 18.000% entre o preço previsto na licitação e o preço praticado no mercado. “Esse programa vai nos ajudar e muito a verificar a economicidade das contratações públicas do DF”, disse o Conselheiro Renato Rainha.

Fonte: http://faxinageral.com/tcdf-vai-util...em-licitacoes/
Reply With Quote
     
     
  #5586  
Old Posted Mar 5, 2016, 7:44 PM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is offline
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 19,464
FIM DOS TEMPOS....

Um software substituir pessoas, é uma piada das grossas. Então os auditores do TC não tem tempo para ler um edital, e ver as propostas das empresas que disputam o mesmo?

Esquecem que o software pode ser manipulado ou até hackeado, uma pessoa não. Isso que sempre falei, meu pai mesmo, quando na ativa, via isso na ponta do lápis, nem precisava de calculadora ou pc.

Hoje em dia, para desempenhar a mesma função do meu pai, precisa de 4 pessoas de nível superior. Detalhe, isso no TCU. Tempo para ler as propostas não tem, mas para depois das 15 horas ficar jogando paciência, postando no facebook, twitter e whatszapp eles tem de sobra.
Reply With Quote
     
     
  #5587  
Old Posted Mar 7, 2016, 10:28 AM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 12,402
STJ MANDA RETIRAR TODOS OS INVASORES DO PARQUE DAS COPAÍBAS


PARQUE DAS COPAÍBAS, FICA ENTRE AS QUADRAS QL 26 E 28 LAGO SUL

Divulgação


Nesta semana, o Parque das Copaíbas, localizado entre a QL 26 e 28 do Lago Sul, pertencente à Área de Proteção Ambiental do Lago Paranoá, recebeu uma boa notícia. O ministro do Superior Tribunal de Justiça – STJ, Napoleão Nunes Maia Filho, decidiu pela retirada dos invasores do Parque, que há décadas degradam o local. Os ocupantes têm 30 dias para deixarem a área.

O ministro analisou o recurso ordinário em mandado de segurança em relação à ocupação da área pública. O mandado de segurança havia sido interposto pela associação dos moradores do Parque e, liminarmente, garantiu o direito de permanecer no local. O ministro Napoleão Filho, no entanto, analisou o recurso e decidiu pela desocupação, pois se tratando de área localizada em Parque Ecológico de proteção ambiental não há que se falar em direito liquido e certo à ocupação, restando perfeitamente legal o ato do Poder Público que determina a desocupação imediata da área.

“As normas que asseguram o Direito à Moradia constituem um direito a prestações, cujo conteúdo pressupõe uma tarefa de concretização e de mediação do legislador ordinário, não conferindo ao cidadão um direito imediato a uma prestação efetiva, já que não é diretamente aplicável, nem exequível por si mesmo”, afirmou o ministro na decisão.

Ainda, conforme o ministro, não há como reconhecer a ilegalidade no ato do Estado de disciplinar a utilização da área e zelar para que sua destinação seja preservada. É justamente por estar inserida em área de preservação ambiental que incumbe ao Estado o gerenciamento da área, exercendo regularmente o direito de restringir o uso e o gozo da propriedade em favor do interesse da coletividade.

Parque das Copaíbas

Criado em 1996, o Parque das Copaíbas, localizado entre a QL 26 e 28 do Lago Sul, pertence à Área de Proteção Ambiental do Lago Paranoá. Há 20 anos, no entanto, a área está sofrendo com degradação ambiental por causa de invasões urbanas. Desde 2013, os invasores da região deveriam ter sido removidos, a pedido da Justiça, mas nada aconteceu até agora. A cerca que protegia o parque foi arrancada em diversos pontos para permitir invasões e livre trânsito.

A história começou em 1960, quando o chefe dos ocupantes, um biólogo da Embrapa chamado Genaro Ribeiro de Paiva entrou na região. Ele já foi condenado por invasão, mas ainda permanece na área. Genaro Paiva é dono de uma das principais mansões na área do Parque das Copaíbas. Em sua defesa, alega que se instalou no local para ajudar a preservá-lo. Entretanto, árvores foram derrubadas e animais foram forçados a ceder seu habitat para que ele erguesse sua residência.

O presidente do extinto Instituto Vida Verde, Anthony Brandão, protocolou em 2012, uma Ação Civil Pública para desocupação do parque. Existe um projeto da instituição para revitalização e adoção da área, mas que até agora não foi acatado pelos órgãos competentes. O IVV investiu mais de R$ 50 mil nesse projeto. A iniciativa partiu como um apoio à Lei Distrital (Decreto 27.472 de 06/12/2006), que instituiu o projeto Adote um Parque.

Com isso, o TJDFT julgou procedente ação civil pública movida pelo IVV condenado a Terracap, o DF e o Instituto Brasília Ambiental - Ibram a não só demarcar o parque, mas a realizar sua efetiva reparação e conservação, incluindo-se aí a retirada dos invasores. Em 2015, o Instituto deixou de existir, por essa razão o escritório Jacoby Fernandes & Reolon Advogados Associados, até então patrono da causa, intimou o Ministério público para assumir o polo ativo da ação com o fito de promover a execução da sentença de 1º grau.




http://www.diariodopoder.com.br/noti...?i=50547387482
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #5588  
Old Posted Mar 7, 2016, 5:44 PM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is offline
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 19,464
Nem com ordem do STJ o povo vai sair dali, apesar que tem interesses dos próprios moradores (ministros é claro), legislando em causa própria é mole ou quer mais.
Reply With Quote
     
     
  #5589  
Old Posted Mar 7, 2016, 7:04 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 12,402
Mais uma tentativa. Saúde aumenta controle sobre as escalas dos servidores



Novas regras foram publicadas para coibir alterações informais e ilegalidades na frequência

Foto: ISTOCK



A Secretaria de Saúde do DF está fazendo mais uma tentativa para controlar a escala dos servidores da rede pública local. Uma série de novas regras foi anunciada pela pasta, para tentar coibir irregularidades no cumprimento do horário e do local de trabalho. Entre as principais mudanças estão a emissão obrigatória, pela chefia, de ordem de serviço para registrar o ponto em local diferente do que está estipulado na escala.

No horário de almoço, em vez de ter que aguardar apenas 10 minutos para registrar o retorno, o profissional deverá aguardar, pelo menos, 50 minutos, para que o sistema reconheça a marcação do término do intervalo. Por mês, só podem ser feitas duas justificativas por esquecimento de crachá e outras duas quando o servidor esquecer de marcar a entrada e saída no ponto eletrônico.

Caso o registro não seja feito, o servidor também não terá condições de inserir horas trabalhadas a mais. Além disso, haverá limitação das horas excedentes que podem chegar a duas horas diárias e 20 horas mensais.

“Todo esse trabalho visa a transparência das escalas, que são publicadas no Siga Brasília. Com essas limitações, a marcação de ponto deverá ser fiel à escala pré-definida. Hoje, as unidades de saúde sofrem muito com servidores trabalhando fora da escala e é isso que queremos evitar”, destacou o presidente da Comissão do Ponto Eletrônico e das Escalas da Secretaria de Saúde, Tiago Amaral.

Ele alerta que, embora seja possível fazer algumas compensações de horários por atrasos, esse benefício não é um direito, mas uma concessão da chefia. “O servidor pode chegar até 30 minutos atrasado e compensar no mesmo dia, desde que a chefia concorde”, disse, ao lembrar que antes não havia limitação diária para chegar atrasado. Com isso, alguns profissionais trabalhavam menos do que o estipulado em alguns dias e compensavam depois, prejudicando o andamento dos serviços.

Responsabilização

Segundo Amaral, quando for constatada possibilidade de ilegalidade, a comissão enviará relatório para os responsáveis pelas unidades e para a Corregedoria da Saúde, que irá investigar. No caso de descumprimento das regras, o servidor e sua chefia poderão ser responsabilizados administrativamente, civil e penalmente.

Outra mudança foi a criação oficial da comissão, o que conferiu maior autonomia ao grupo, que ficou vinculado diretamente ao gabinete do secretário de Estado. “Nós zelamos pelo cumprimento dos horários. Queremos fazer com que o servidor deixe de fazer alterações via banco de horas para fazer via escala”, finalizou.

Nos próximos dias serão realizadas palestras em todas as regionais para informar os servidores sobre as mudanças. O cronograma será divulgado em breve. Entre 2011 e 2015, a Corregedoria de Saúde do Distrito Federal abriu 878 Processos Administrativos Disciplinares (PADs) para investigar profissionais da rede de saúde pública. A maior parte deles refere-se a médicos (483), seguidos por auxiliares de enfermagem (224). Um dos principais motivos para a abertura dos processos diz respeito a escalas médicas e carga horária não cumpridas de forma correta. (Informações da Secretaria de Saúde do DF)





http://www.metropoles.com/distrito-f...dos-servidores
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #5590  
Old Posted Mar 7, 2016, 7:05 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 12,402
Já já o Sindicato dos médicos se posiciona contra, querem apostar?
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #5591  
Old Posted Mar 7, 2016, 7:11 PM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is offline
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 19,464
Uai se fosse só os médicos, os policiais e também os professores irão na mesma onda, nem falo dos outros órgãos do GDF.
Reply With Quote
     
     
  #5592  
Old Posted Mar 9, 2016, 10:34 AM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 12,402
CANAL PLUVIAL ESTOURA AO LADO DA SEDE DO SEBRAE NACIONAL


CANAL DE ÁGUAS PLUVIAIS ESTOUROU E ABRIU BURACO AO LADO DO EDIFÍCIO

Divulgação


O canal de águas pluviais ao lado do prédio da sede do Sebrae Nacional na 605 Sul estourou e após a forte chuva desta terça (8), abrindo um profundo buraco. A erosão provocada pela água motivou o registro de ocorrência de desabamento ou desmoronamento junto ao Corpo de Bombeiros.

De acordo com a assessoria de imprensa do Sebrae, agentes da Defesa Civil foram ao local fazer uma avaliação inicial e garantiram não haver risco para a estrutura do Sebrae. Uma equipe da Terracap será acionada amanhã para fazer os reparos necessários, pois o órgão não possui plantão noturno.









http://www.diariodopoder.com.br/noti...?i=50811699742
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #5593  
Old Posted Mar 9, 2016, 10:39 AM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 12,402
Migração de empregados públicos para o regime estatutário é questionada pela Procuradoria-Geral do DF


De autoria do Poder Legislativo, emenda à Lei Orgânica que autoriza a medida é ilegal, segundo o governo


A Procuradoria-Geral do Distrito Federal ingressou com uma ação direta de inconstitucionalidade para tornar sem efeito a Emenda à Lei Orgânica nº 93, que permite a empregados públicos contratados até outubro de 1988 mudarem do regime celetista para o estatutário. A medida publicada no Diário Oficial do DF de sexta-feira (4) atenta contra a estrutura de previdência do serviço público e contém outros vícios de iniciativa, segundo avaliação da PGDF.

O projeto de emenda à Lei Orgânica, de autoria do deputado distrital Wellington Luiz (PMDB), foi aprovado pela Câmara Legislativa em 4 de novembro do ano passado. Se for mantida a alteração, cerca de 23 mil empregados públicos poderão optar por deixarem de ser regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e se transformarem em estatutários, o que lhes garante estabilidade e aposentadoria integral.

A maioria deles está lotada na Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap), na Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), na Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal (Emater-DF), na Sociedade de Abastecimento de Brasília (SAB) e na Sociedade de Transportes Coletivos de Brasília (TCB).

Desequilíbrio

A minuta elaborada pela Procuradoria-Geral embasa os argumentos para o pedido de veto da emenda parlamentar. Um deles é que a matéria tratada encontra-se entre aquelas reservadas à iniciativa ao governador do Distrito Federal; o outro é que a medida viola o princípio do concurso público, uma vez que as seleções para celetistas e estatutários são diferentes.

Por fim, a consideração de que a emenda atenta contra a previdência do Distrito Federal. "São empregados que sempre contribuíram com o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e, agora, passariam a ser custeados pelo Instituto de Previdência dos Servidores do DF (Iprev-DF). Além de causar um impacto na previdência, é inconstitucional", classifica o procurador do Distrito Federal Marlon Tomazette.

Segundo o diretor-presidente do Iprev, Roberto Moisés dos Santos, a migração da massa de empregados públicos para o regime estatutário causaria um desequilíbrio no Iprev, sobretudo por não haver o repasse do tempo de contribuição desses empregados do INSS ao Iprev: "Vai onerar bastante, principalmente porque o INSS não vai fazer essa compensação".

A relatora do processo no Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) é a desembargadora Ana Maria Amaranto, que ainda não proferiu sentença sobre o assunto.




http://www.agenciabrasilia.df.gov.br...ral-do-df.html
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #5594  
Old Posted Mar 9, 2016, 4:41 PM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is offline
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 19,464
Uai normal isso, diz para o EnrolaUmBeck e para o Reguffe.
Reply With Quote
     
     
  #5595  
Old Posted Mar 10, 2016, 1:40 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 12,402
GDF CONSEGUE ESTRAGAR O 'NA HORA', ÚNICO SERVIÇO QUE FUNCIONAVA BEM


ANTES ÁGIL, AGORA O SERVIÇO IMPÕE ESPERA DE MAIS DE 4 HORAS



A QUALIDADE DO SERVIÇO DETERIOROU DESDE A MUDANÇA DA EMPRESA QUE O OPERAVA.


O governo do DF conseguiu estragar o único serviço público que merecia elogios, o Na Hora. Ao contrário do que acontecia até há cerca de um ano, quando o novo governo assumiu, agora há espera de mais de quatro horas para a obtenção de documentos.
Um pai estava inconformado. Chegou às 8h da manhã no posto do Na Hora da Rodoviária do Plano Piloto, como mostra as senhas que tinha às mãos, e às 12h ainda não tinha sido atendido. Ele acompanhava o filho, ainda criança, para tirar o RG.

Ele não era caso único. Dezenas de pessoas impacientes esperam há horas por atendimento. O serviço Na hora foi criado para que, sob agendamento, os cidadãos possam tirar documentos ou renová-los sem demora, mas a qualidade do serviço, sempre muito elogiada, deteriorou muito desde o início do governo de Rodrigo Rollemberg (PSB).

Em junho de 2015, o governo do DF rompeu contrato com a empresa BRB2, que operava o serviço, e contratou uma outra, ATP, provocando o caos no Na Hora. Existem unidades do Na Hora na Rodoviária, Taguatinga, Ceilândia, Gama, Riacho Fundo e Sobradinho.











http://www.diariodopoder.com.br/noti...?i=50855233526
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #5596  
Old Posted Mar 10, 2016, 3:59 PM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is offline
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 19,464
E ainda tem gente batendo palmas para um enrolador desses. O povo merece que elege.
Reply With Quote
     
     
  #5597  
Old Posted Mar 10, 2016, 4:03 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 12,402
No DF, contadores são suspeitos de sonegar R$ 100 milhões em impostos


Cerca de 20 empresas são suspeitas; grupo movimentou R$ 650 milhões Operação Hi Fi foi deflagrada nas primeiras horas desta quinta-feira.

Foto: Jéssica Nacimento/G1

O delegado Jeferson Lisboa (ao microfone) durante entrevista sobre operação de combate a sonegação de impostos em Brasília nesta quinta-feira (10)


A Polícia Civil do Distrito Federal investiga dez empresas de contabilidade e dez distribuidoras de bebidas suspeitas de usar ao menos 30 empresas fantasmas com o objetivo de sonegar impostos. O grupo movimentou R$ 650 milhões durante as investigações e deixou de recolher aos cofres públicos cerca de R$ 100 milhões, segundo a polícia. O grupo atuava há pelo menos dois anos.

De acordo com a Coordenação de Repressão aos Crimes contra o Consumidor, à Ordem Tributária e a Fraudes (Corf), os suspeitos recolhiam impostos em valores bem menores do que os devidos. Em vez de pagarem os R$ 100 milhões devidos, por exemplo, os contadores recolheram R$ 34 mil aos cofres públicos nas operações fraudulentas.

"Dez empresas de contabilidade do Distrito Federal estão envolvidas. Uma delas é a terceira maior do Brasil, está localizada em Taguatinga e se chama Prestacon. Temos a certeza de que os donos das empresas sabiam de todo o envolvimento dos funcionários no crime. Eles acreditavam que não iam ser descobertos", disse o delegado Jeferson Lisboa.

A Prestacon atua no mercado desde 1991 e ocupa um prédio de 930 metros quadrados no centro de Taguatinga. A empresa tem 90 funcionários e diz em sua página na internet ter adquirido ao longo dos anos “uma vasta experiência em uma trajetória de grande sucesso”.

Os policiais apreenderam cem computadores na empresa nesta manhã. Procurada pelo G1, a Prestacon informou que não havia ninguém para comentar a operação da polícia, mas que a empresa estava funcionando normalmente.

"Os contadores que davam a ideia, essa 'solução', para os empresários, geralmente donos de depósitos de bebida e de cereais. Os donos, por exemplo, chegavam até essas empresas e reclamavam dos impostos. Os contadores diziam: 'Olha, sonegar imposto não é muito certo, mas é a solução", afirmou o delegado.

Lisboa disse que as empresas-fantasmas eram instaladas geralmente em casas simples, apartamentos fechados e até em laboratórios de remédios. As regiões de Sobradinho, Ceilandia e Estrutural eram escolhidas para abrigarem os locais.

"Os suspeitos movimentam as empresas como se fossem depósitos de bebidas. No entanto, eram apartamentos, casas e salas. A Polícia Civil concedeu 17 mandados de busca e apreensão em Planaltina, Park Way, Taguatinga, Ceilândia e Vicente Pires, entre outras cidades", afirmou Lisboa.

Nenhum suspeito foi preso. Eles receberam mandado de condução coercitiva (quando o suspeito é encaminhado para a delegacia para prestar depoimento, mesmo contra a vontade dele, e depois liberado).

As investigações fazem parte da Operação Hi Fi, deflagrada nas primeiras horas desta quinta e ocorreram com parceria da Secretaria da Fazenda. De acordo com a Polícia Civil, a participação de cada envolvido no suposto esquema está sendo verificada. Os suspeitos podem responder por falsidade ideológica e uso de documento falsos. Se condenados, a pena pode chegar a dez anos de prisão.









http://g1.globo.com/distrito-federal...-impostos.html
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #5598  
Old Posted Mar 10, 2016, 4:03 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 12,402
No DF tudo é Mafia
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #5599  
Old Posted Mar 10, 2016, 4:15 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 12,402
Empresários se reúnem com governador e cobram mais atenção para o setor



Os comerciantes reclamaram de burocracia para tirar alvará de construção e disseram que têm investido menos na capital

Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília

Empresários reunidos com o governador Rodrigo Rollemberg


Empresários dos setores da construção civil, hoteleiro, de lojas, farmacêutico e dos Sindicatos dos Comércios Varejista e Atacadista Distrito Federal se reuniram na quarta-feira (9), com o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, no Setor de Indústria e Abastecimento. No encontro, os empresários apresentaram ao chefe do Executivo as principais reinvindicações de seus setores, bem como as preocupações com os rumos da economia local.

Reivindicações

Os comerciantes reclamaram de burocracia para tirar alvará de construção e disseram que têm investido menos na capital. Rollemberg reforçou a importância das empresas para a economia de Brasília. "O mercado imobiliário dá à população poder de compra e movimenta o comércio", exemplificou o governador. Ele propôs reunir-se mensalmente com o grupo para debater soluções que também estimulem o crescimento da cidade.

Também participaram da reunião o chefe da Casa Civil, Sérgio Sampaio; os secretários de Economia e Desenvolvimento Sustentável, Arthur Bernardes, de Fazenda, João Antônio Fleury, de Gestão do Território e Habitação, Thiago de Andrade; e as secretárias de Planejamento, Orçamento e Gestão, Leany Lemos, e da Segurança Pública e da Paz Social, Márcia de Alencar.












http://fatoonline.com.br/conteudo/17...a&p=de&i=1&v=0
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #5600  
Old Posted Mar 11, 2016, 1:05 AM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is offline
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 19,464
Cobrar mais atenção em que. Esses sanguessugas, sugam isenções de impostos e depois saem daqui para outro estado. Não tem que dar mais nada, eles que se virem.
Reply With Quote
     
     
This discussion thread continues

Use the page links to the lower-right to go to the next page for additional posts
 
 
Reply

Go Back   SkyscraperPage Forum > Regional Sections > América Latina > Brasil > Regiões Metropolitanas Mundiais
Forum Jump


Thread Tools
Display Modes

Forum Jump


All times are GMT. The time now is 2:54 AM.

     

Powered by vBulletin® Version 3.8.7
Copyright ©2000 - 2018, vBulletin Solutions, Inc.