HomeDiagramsDatabaseMapsForumSkyscraper Posters
     
Welcome to the SkyscraperPage Forum.

Since 1999, SkyscraperPage.com's forum has been one of the most active skyscraper enthusiast communities on the web.  The global membership discusses development news and construction activity on projects from around the world, alongside discussions on urban design, architecture, transportation and many other topics.  SkyscraperPage.com also features unique skyscraper diagrams, a database of construction activity, and publishes popular skyscraper posters.

Go Back   SkyscraperPage Forum > Regional Sections > América Latina > Brasil > Notícias do Brasil - Imprensa Nacional

Reply

 
Thread Tools Display Modes
     
     
  #121  
Old Posted Dec 5, 2011, 12:56 AM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 5,635
Carlos Lupi pede exoneração do Ministério do Trabalho


Saída vem após denúncias e recomendação da Comissão de Ética.
Carlos Lupi diz sofrer 'perseguição política e pessoal da mídia'.



O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, apresentou neste domingo (4) o seu pedido de exoneração, informou sua assessoria de imprensa. Em seu lugar, ficará interinamente, segundo o Palácio do Planalto, o secretário-executivo da pasta, Paulo Roberto Pinto.

Com a saída, Lupi encerra uma trajetória que teve início em março de 2007, no governo do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Por indicação do PDT, permaneceu no cargo no começo do governo Dilma Rousseff, em 2011.

Lupi diz que sofreu "perseguição política e pessoal da mídia". "Tendo em vista a perseguição política e pessoal da mídia que venho sofrendo há dois meses sem direito de defesa e sem provas; levando em conta a divulgação do parecer da Comissão de Ética da Presidência da República – que também me condenou sumariamente com base neste mesmo noticiário sem me dar direito de defesa -- decidi pedir demissão do cargo que ocupo, em caráter irrevogável", informou, por meio de nota à imprensa.

6º a cair após suspeitas de irregularidades
Ele é o sétimo ministro a não completar o primeiro ano do mandato da presidente Dilma, sendo o sexto a cair após denúncias de irregularidades. Antes dele, já deixaram o cargo: Antonio Palocci (Casa Civil), Alfredo Nascimento (Transportes), Nelson Jobim (Defesa), Pedro Novais (Turismo), Wagner Rossi (Agricultura) e Orlando Silva (Esportes).

As denúncias contra o ministro Lupi começaram há cerca de um mês, no começo de novembro, quando surgiu a informação de que haveria um esquema de cobrança de propina de ONGs contratadas para capacitar trabalhadores.

Em 12 de novembro, reportagem a revista Veja informou que ele teria utilizado um avião alugado por um empresário dono de ONG, que, por sua vez, tem contratos com o Ministério do Trabalho. Até hoje, ainda não foi esclarecido quem pagou pelo avião.

Além disso, outra denúncia, de que ele teria trabalhado, durante cinco anos, na Câmara Municipal do Rio e, ao mesmo tempo, seria funcionário-fantasma na Câmara dos Deputados, também complicou sua vida. A Procuradoria-Geral da República diz que acúmulo de cargos públicos, em tese, é crime.

Comissão de Ética da Presidência
Lupi também deixa a pasta após a Comissão de Ética da Presidência da República ter recomendado sua demissão. Para os integrantes da Comissão de Ética da Presidência, as explicações do ministro do Trabalho não foram satisfatórias, pois ele não conseguiu informar quem pagou pelo avião particular usado por ele em uma viagem ao Maranhão, em 2009.





O colegiado recomendou à presidente a exoneração de Lupi do cargo porque classificou como “insatisfatórias” as explicações dadas pelo ministro às diversas acusações que vêm sofrendo. Marília Muricy, da Comissão de Ética, afirmou, em relatório, que “é inequívoca a falta de zelo na conduta do denunciado” e destacou que, “mesmo alertado pelos órgãos de controle, não tomou medidas hábeis para evitar as ocorrências que hoje culminam como uma enxurrada de denúncias”.

Declarações polêmicas
Dono de estilo próprio, Lupi tem por costume dar declarações polêmicas. Recentemente, disse que só sairia do cargo "abatido à bala", o que não foi bem recebido no Palácio do Planalto. No dia seguinte, se desculpou com a presidente Dilma Rousseff. "Presidente, desculpe se eu fui agressivo, não foi minha intenção, eu te amo", declarou na ocasião.

Carlos Lupi, que já foi jornaleiro em Ipanema e que se diz herdeiro do brizolismo, deixa o cargo com a marca de milhões de empregos atingidos. Durante sua gestão no Ministério do Trabalho, colheu números altos na criação de empregos formais por conta do forte ritmo de crescimento da economia brasileira e da formalização de microempreendedores. Entre 2007 e outubro de 2011, foram criados mais de oito milhões de empregos com carteira assinada.
O colegiado recomendou à presidente a exoneração de Lupi do cargo porque classificou como “insatisfatórias” as explicações dadas pelo ministro às diversas acusações que vêm sofrendo. Marília Muricy, da Comissão de Ética, afirmou, em relatório, que “é inequívoca a falta de zelo na conduta do denunciado” e destacou que, “mesmo alertado pelos órgãos de controle, não tomou medidas hábeis para evitar as ocorrências que hoje culminam como uma enxurrada de denúncias”.

Declarações polêmicas
Dono de estilo próprio, Lupi tem por costume dar declarações polêmicas. Recentemente, disse que só sairia do cargo "abatido à bala", o que não foi bem recebido no Palácio do Planalto. No dia seguinte, se desculpou com a presidente Dilma Rousseff. "Presidente, desculpe se eu fui agressivo, não foi minha intenção, eu te amo", declarou na ocasião.

Carlos Lupi, que já foi jornaleiro em Ipanema e que se diz herdeiro do brizolismo, deixa o cargo com a marca de milhões de empregos atingidos. Durante sua gestão no Ministério do Trabalho, colheu números altos na criação de empregos formais por conta do forte ritmo de crescimento da economia brasileira e da formalização de microempreendedores. Entre 2007 e outubro de 2011, foram criados mais de oito milhões de empregos com carteira assinada.
O colegiado recomendou à presidente a exoneração de Lupi do cargo porque classificou como “insatisfatórias” as explicações dadas pelo ministro às diversas acusações que vêm sofrendo. Marília Muricy, da Comissão de Ética, afirmou, em relatório, que “é inequívoca a falta de zelo na conduta do denunciado” e destacou que, “mesmo alertado pelos órgãos de controle, não tomou medidas hábeis para evitar as ocorrências que hoje culminam como uma enxurrada de denúncias”.

Declarações polêmicas
Dono de estilo próprio, Lupi tem por costume dar declarações polêmicas. Recentemente, disse que só sairia do cargo "abatido à bala", o que não foi bem recebido no Palácio do Planalto. No dia seguinte, se desculpou com a presidente Dilma Rousseff. "Presidente, desculpe se eu fui agressivo, não foi minha intenção, eu te amo", declarou na ocasião.

Carlos Lupi, que já foi jornaleiro em Ipanema e que se diz herdeiro do brizolismo, deixa o cargo com a marca de milhões de empregos atingidos. Durante sua gestão no Ministério do Trabalho, colheu números altos na criação de empregos formais por conta do forte ritmo de crescimento da economia brasileira e da formalização de microempreendedores. Entre 2007 e outubro de 2011, foram criados mais de oito milhões de empregos com carteira assinada.
O colegiado recomendou à presidente a exoneração de Lupi do cargo porque classificou como “insatisfatórias” as explicações dadas pelo ministro às diversas acusações que vêm sofrendo. Marília Muricy, da Comissão de Ética, afirmou, em relatório, que “é inequívoca a falta de zelo na conduta do denunciado” e destacou que, “mesmo alertado pelos órgãos de controle, não tomou medidas hábeis para evitar as ocorrências que hoje culminam como uma enxurrada de denúncias”.

Declarações polêmicas
Dono de estilo próprio, Lupi tem por costume dar declarações polêmicas. Recentemente, disse que só sairia do cargo "abatido à bala", o que não foi bem recebido no Palácio do Planalto. No dia seguinte, se desculpou com a presidente Dilma Rousseff. "Presidente, desculpe se eu fui agressivo, não foi minha intenção, eu te amo", declarou na ocasião.

Carlos Lupi, que já foi jornaleiro em Ipanema e que se diz herdeiro do brizolismo, deixa o cargo com a marca de milhões de empregos atingidos. Durante sua gestão no Ministério do Trabalho, colheu números altos na criação de empregos formais por conta do forte ritmo de crescimento da economia brasileira e da formalização de microempreendedores. Entre 2007 e outubro de 2011, foram criados mais de oito milhões de empregos com carteira assinada.
O colegiado recomendou à presidente a exoneração de Lupi do cargo porque classificou como “insatisfatórias” as explicações dadas pelo ministro às diversas acusações que vêm sofrendo. Marília Muricy, da Comissão de Ética, afirmou, em relatório, que “é inequívoca a falta de zelo na conduta do denunciado” e destacou que, “mesmo alertado pelos órgãos de controle, não tomou medidas hábeis para evitar as ocorrências que hoje culminam como uma enxurrada de denúncias”.

Declarações polêmicas
Dono de estilo próprio, Lupi tem por costume dar declarações polêmicas. Recentemente, disse que só sairia do cargo "abatido à bala", o que não foi bem recebido no Palácio do Planalto. No dia seguinte, se desculpou com a presidente Dilma Rousseff. "Presidente, desculpe se eu fui agressivo, não foi minha intenção, eu te amo", declarou na ocasião.

Carlos Lupi, que já foi jornaleiro em Ipanema e que se diz herdeiro do brizolismo, deixa o cargo com a marca de milhões de empregos atingidos. Durante sua gestão no Ministério do Trabalho, colheu números altos na criação de empregos formais por conta do forte ritmo de crescimento da economia brasileira e da formalização de microempreendedores. Entre 2007 e outubro de 2011, foram criados mais de oito milhões de empregos com carteira assinada.






http://g1.globo.com/politica/noticia...-trabalho.html
Reply With Quote
     
     
  #122  
Old Posted Dec 5, 2011, 12:58 AM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 5,635
O tiro foi certeiro, já que ele afirmou, nem a bala deixaria o ministério
Reply With Quote
     
     
  #123  
Old Posted Dec 8, 2011, 2:12 PM
GMF's Avatar
GMF GMF is offline
Registered User
 
Join Date: Jun 2011
Posts: 130
O cenário político do DF é de dar medo.

De um lado a turma do Roriz, de outro a turma do PT chefiada pela dupla Paulo Tadeu/Agnelo. Fala-se em Rollemberg, mas não confio muito nele; me disseram que ele fez muito rolo quando tava no Ministério da Ciência e Tecnologia, tanto que nem pensaram em reconduzir ele.

Acho que nas próximas eleições vou de Toninho do PSOL ou de Reguffe.
Reply With Quote
     
     
  #124  
Old Posted Dec 8, 2011, 3:13 PM
Similar Similar is offline
Registered User
 
Join Date: Sep 2011
Posts: 164
Quote:
Originally Posted by GMF View Post
O cenário político do DF é de dar medo.

De um lado a turma do Roriz, de outro a turma do PT chefiada pela dupla Paulo Tadeu/Agnelo. Fala-se em Rollemberg, mas não confio muito nele; me disseram que ele fez muito rolo quando tava no Ministério da Ciência e Tecnologia, tanto que nem pensaram em reconduzir ele.

Acho que nas próximas eleições vou de Toninho do PSOL ou de Reguffe.
Eo Filipelli? Sei que ele vem das hostes rorizistas, mas não conseguiram até agora colocá-lo na linha de fogo, mesmo tendo mudado de lado. Será ao menos competente?
Reply With Quote
     
     
  #125  
Old Posted Dec 9, 2011, 7:05 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 5,635
Paulo Tadeu pede que MP apure o caso


O Secretário de Estado de Governo do Distrito Federal, Paulo Tadeu entregou, hoje, à Procurada Geral de Justiça do DF e Territórios, Eunice de Carvalhido um documento no qual solicita que o órgão apure os fatos envolvendo o policial militar João Dias. Este, na última quarta-feira, invadiu o gabinete do secretário, no Palácio do Buriti, agrediu duas servidores que estão no local e jogou uma bolsa com cerca de R$ 200 mil no qual afirmou ser dinheiro de corrupção. “Importante que a toda verdade aparece para a sociedade. Não podemos assistir que uma pessoa haja de selvageria e invada o Palácio e fique impune diante do poder Judiciário”, avaliou Paulo Tadeu. Segundo ele, o Ministério acatou o pedido e o encaminhará para o promotor dar inicio ao processo


O Secretário de Estado de Governo do Distrito Federal, Paulo Tadeu pediu que todas acusações e atos do policial passem por uma rigorosa investigação

O secretário pediu que todas acusações e atos do policial passem por uma rigorosa investigação. “Precisamos saber a origem do dinheiro. E quem são as pessoas que estão por trás desta armação que o GDF está sendo vitima”, completou o secretário. Paulo Tadeu lembrou que até o momento, João Dias não apresentou nenhuma prova que disse ter contra governo. “Desta história tiramos duas conclusões, ele é mentiroso ou chantagista que esta usando provas que diz ter para extorquir pessoas, sejam empresário, pessoas do governo, ou até mesmo de oposição”, afirmou. As cédulas do dinheiro foram recolhidas e a origem destas será apurada pela perícia do Instituto de Criminalística da Polícia Civil

No depoimento que prestou a Policia Civil, João disse ter ido ao gabinete devolver o dinheiro que o irmão de Paulo Tadeu, Ricardo, acompanhado de uma secretária identificada como Paula e mais duas pessoas, haviam lhe entregado no último domingo. Entretanto, o secretário apresentou documentos – passagens áreas e reservas de hotel – de que seu irmão estaria no Rio de Janeiro com a esposa no dia que o policial afirmou os ter recebido em casa. “Estas provas derrubam a denúncia de que o meu irmão junto a estas pessoas citadas por ele teriam o procurado e entregue uma mala com dinheiro”, afirmou Paulo Tadeu. De acordo com os bilhetes da companhia área, Ricardo e a esposa seguiram para o Rio de Janeiro na quinta-feira (1) e retornado à Brasília na segunda -feira (4), às 00h49. Paulo Tadeu apresentou também ingressos no qual o irmão teria assistido ao jogo do Vasco e Flamengo.

Executivo pede apuração detalhada

Paulo Tadeu disse ter recebido o apoio do governador Agnelo Queiroz para que o caso seja apurado. Durante um evento na manhã de ontem, Agnelo Queiroz, disse considerar a invasão do policial militar João Dias ao gabinete do secretário de governo Paulo Tadeu, como um ato gravíssimo e uma agressão ao patrimônio público.









http://www.maiscomunidade.com/conteu...-O-CASO.pnhtml
Reply With Quote
     
     
  #126  
Old Posted Dec 13, 2011, 7:04 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 5,635
Raad deixa o DEM e se alia a Agnelo


Distrital diz estar muito feliz e que não faz oposição só para prejudicar


O deputado distrital Raad Massouh mudou de partido. Ele que nunca foi oposição assumida ao governador Agnelo Queiroz, e agora saiu do Democratas (DEM) para se filiar ao Partido da Pátria Livre (PPL), ao qual o colega deputado distrital Wellington Luiz também aderiu. “Agora vou me somar ao governo. Agora vou poder ajudar o governo porque vou assumir a base”, enfatiza Raad.


Ele explica que a decisão de não fazer mais parte do DEM “é porque desde o início dessa legislatura eu sempre procurei tomar uma postura independente e isso gerou uma certa desavença com o presidente do meu partido”. Raad ainda afirma ser de conhecimento geral que o DEM quer fazer oposição a qualquer custo. “Acho que agente tem que fazer uma oposição responsável, com bastante juízo, para não prejudicar as coisas em prol de Brasília. Eu não aceito fazer uma oposição só para prejudicar”, argumenta.


Raad se filiou ao PPL oficialmente em uma solenidade no Clube da Novacap no domingo (11). A festa contou com a presença do governador Agnelo Queiroz, do vice-governador, Tadeu Filippelli, do presidente do partido no Distrito Federal, Marco Antônio Campanella, de membros da Executiva Nacional do PPL, entre outros. Agnelo destacou que Raad agora faz parte da base do governo. “Esse novo caminho não tem volta. Faremos desta uma capital onde todos os brasileiros possam se orgulhar”, ressaltou o governador.


Raad afirma que está muito feliz com a mudança e acredita que terá a oportunidade de trabalhar mais tranquilo. “Eu estava infeliz e agora eu tenho condições de expressar a minha opinião de uma forma mais aberta. Vou ajudar esse governo”, garantiu o parlamentar.








http://coletivo.maiscomunidade.com/c...-AGNELO.pnhtml
Reply With Quote
     
     
  #127  
Old Posted Dec 16, 2011, 12:07 AM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 5,635
PT e PMDB lideram lista dos parlamentares mais influentes do Congresso


BRASÍLIA – Parlamentares do PT e do PMDB dominam a lista de parlamentares mais influentes do Congresso, segundo estudo elaborado pela consultoria política Arko Advice. O relatório “Elite Parlamentar 2011” aponta 105 congressistas como as principais referências do Parlamento. São 64 deputados federais e 41 senadores, a maioria pertencente aos dois maiores partidos da base aliada governista.

Na lista, estão 21 parlamentares petistas (12 deputados e nove senadores) e 17 pemedebistas (sete deputados e dez senadores). Logo em seguida, vêm as duas maiores legendas da oposição: o PSDB aparece com 15 congressistas na lista (oito deputados e sete senadores) e o DEM, dez parlamentares (sete deputados e três senadores).

Os demais partidos aparecem da seguinte forma: PR e PTB, ambos com sete parlamentares; PP, PDT e PSD têm cinco; PSB com quatro; PPS com três; PV e PCdoB com dois cada. PSC e PSOL têm apenas um representante na relação.

O estudo foi feito considerando parlamentares em posições de liderança, formal ou informalmente. Por isso, estão elencados na lista os líderes de bancadas, partidos ou Estados; membros da Mesa Diretora da Câmara e do Senado; além de relatores de projetos relevantes e presidentes de comissões de destaque ou parlamentares que viraram referência em discussões polêmicas.

Confira a lista elaborada pela consultoria (em ordem alfabética):

DEPUTADOS FEDERAIS

1. Abelardo Lupion (DEM-PR)

2. Aguinaldo Ribeiro (PP-PB)

3. Almeida Lima (PMDB-SE)

4. Anthony Garotinho (PR-RJ)

5. Antônio Carlos Magalhães Neto (DEM-BA)

6. Antônio Carlos Mendes Thame (PSDB-SP)

7. Arlindo Chinaglia (PT-SP)

8. Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP)

9. Arnaldo Jardim (PPS-SP)

10. Bruno Araújo (PSDB-PE)

11. Cândido Vaccarezza (PT-SP)

12. Chico Alencar (PSOL-RJ)

13. Claudio Puty (PT-PA)

14. Darcísio Perondi (PMDB-RS)

15. Duarte Nogueira (PSDB-SP)

16. Eduardo Azeredo (PSDB-MG)

17. Eduardo Cunha (PMDB-RJ)

18. Eduardo da Fonte (PP-PE)

19. Eduardo Gomes (PSDB-TO)

20. Fátima Bezerra (PT-RN)

21. Gilmar Machado (PT-MG)

22. Giovanni Queiroz (PDT-PA)

23. Guilherme Campos (PSD-SP)

24. Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN)

25. Henrique Fontana (PT-RS)

26. Inocêncio Oliveira (PR-PE)

27. João Maia (PR-RN)

28. João Paulo Cunha (PT-SP)

29. José Guimarães (PT-CE)

30. José Luiz Penna (PV-SP)

31. Jovair Arantes (PTB-GO)

32. Jutahy Junior (PSDB-BA)

33. Lincoln Portela (PR-MG)

34. Lira Maia (DEM-PA)

35. Luis Carlos Heinze (PP-RS)

36. Luiz Fernando Faria (PP-MG)

37. Manuela D’ávila (PCdoB-RS)

38. Marco Maia (PT-RS)

39. Miro Teixeira (PDT-RJ)

40. Onyx Lorenzoni (DEM-RS)

41. Osmar Júnior (PCdoB-PI)

42. Paes Landim (PTB-PI)

43. Pauderney Avelino (DEM-AM)

44. Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG)

45. Paulo Pereira da Silva (PDT-SP)

46. Paulo Teixeira (PT-SP)

47. Pepe Vargas (PT-RS)

48. Ratinho Júnior (PSC-PR)

49. Reinhold Stephanes (PSD-PR)

50. Roberto Freire (PPS-SP)

51. Roberto Santiago (PSD-SP)

52. Rodrigo Maia (DEM-RJ)

53. Romário (PSB-RJ)

54. Ronaldo Caiado (DEM-GO)

55. Rose de Freitas (PMDB-ES)

56. Rubens Bueno (PPS-PR)

57. Sandra Rosado (PSB-RN)

58. Sandro Mabel (PMDB-GO)

59. Saraiva Felipe (PMDB-MG)

60. Sarney Filho (PV-MA)

61. Sérgio Brito (PSD-BA)

62. Sérgio Guerra (PSDB-PE)

63. Silvio Costa (PTB-PE)

64. Vicentinho (PT-SP)

SENADORES

1. Acir Gurgacz (PDT-RO)

2. Aécio Neves (PSDB-MG)

3. Alfredo Nascimento (PR-AM)

4. Aloyzio Nunes Ferreira (PSDB-SP)

5. Álvaro Dias (PSDB-PR)

6. Antonio Carlos Valadares (PSB-SE)

7. Armando Monteiro (PTB-PE)

8. Blairo Maggi (PR-MT)

9. Cícero Lucena (PSDB-PB)

10. Cristovam Buarque (PDT-DF)

11. Delcídio Amaral (PT-MS)

12. Demóstenes Torres (DEM-GO)

13. Eduardo Braga (PMDB-AM)

14. Eduardo Suplicy (PT-SP)

15. Eunício Oliveira (PMDB-CE)

16. Fernando Collor (PTB-AL)

17. Francisco Dornelles (PP-RJ)

18. Gim Argello (PTB-DF)

19. Humberto Costa (PT-PE)

20. Jayme Campos (DEM-MT)

21. Jorge Viana (PT-AC)

22. José Agripino Maia (DEM-RN)

23. José Pimentel (PT-CE)

24. José Sarney (PMDB-AP)

25. Kátia Abreu (PSD-TO)

26. Lindbergh Farias (PT-RJ)

27. Lúcia Vânia (PSDB-GO)

28. Luiz Henrique (PMDB-SC)

29. Magno Malta (PR-ES)

30. Mário Couto (PSDB-PA)

31. Marta Suplicy (PT-SP)

32. Paulo Paim (PT-RS)

33. Pedro Simon (PMDB-RS)

34. Renan Calheiros (PMDB-AL)

35. Roberto Requião (PMDB-PR)

36. Rodrigo Rollemberg (PSB-DF)

37. Romero Jucá (PMDB-RR)

38. Valdir Raupp (PMDB-RO)

39. Vital do Rêgo (PMDB-PB)

40. Walter Pinheiro (PT-BA)

41. Wellington Dias (PT-PI)











http://www.valor.com.br/politica/114...s-do-congresso
Reply With Quote
     
     
  #128  
Old Posted Dec 16, 2011, 11:59 AM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 5,635
Deputados Distritais incluem emenda que abre brecha para o nepotismo


Como de costume, os deputados distritais deixaram a maior parte das votações para os últimos dias do ano. Ontem, 21 projetos do Executivo ajudaram a lotar a pauta do Plenário, que já contava com 48 proposições de autoria de parlamentares para serem apreciadas em segundo turno. Apesar do número de matérias ligeiramente inferior ao da véspera — 73 itens aprovados —, a quinta-feira teve temas mais importantes e polêmicos, como a exigência de ficha limpa para ocupantes de cargos em comissão no âmbito do Governo Distrital, o Regime Jurídico Único (RJU) dos servidores públicos, a reestruturação da carreira de auditor fiscal e a Lei Orçamentária Anual (LOA)de 2012.

Em meio à correria das votações de última hora, os distritais tentaram abrir uma brecha para o nepotismo, mas as repercussões causadas ainda durante a sessão fizeram com que eles voltassem atrás. A manobra aconteceu durante a votação do RJU, quando uma emenda apresentada por um grupo de deputados tentava vincular o nepotismo somente aos casos de chefia hierárquica, o que possibilitaria a contratação de parentes de deputados, gestores, diretores e assessores em órgãos diferentes ou no mesmo local, desde que sem subordinação.

No entanto, a tentativa foi descoberta e os distritais tiveram de responder às críticas. Às 22h30, pela segunda vez na noite, a sessão foi suspensa por meia hora. O relator da emenda, Cláudio Abrantes (PPS), fez uma emenda para voltar atrás, ou seja, para corrigir a alteração anterior na votação em segundo turno, o que não ocorreu até o fechamento desta edição. A tendência era de que a brecha, incluída na lei durante a votação em primeiro turno, fosse novamente retirada, mas técnicos da casa avaliavam que a mudança implementada entre o primeiro e o segundo turnos não é permitida pelo regimento da Casa


Iniciada às 16h10, a sessão não havia sido encerrada até as 21h30: alguns projetos chegaram a ser apreciados em menos de 30 segundos


A sessão ordinária teve início às 16h10, com a votação dos projetos dos distritais. O primeiro item a mexer com o ânimo dos presentes foi o Projeto de Lei (PL) nº 693, que reduz a jornada de trabalho dos técnicos de nutrição e de higiene dental. Os profissionais lotaram a galeria e comemoraram muito quando a matéria foi aprovada. “Podem ir pra casa e considerem essa aprovação como um presente de Natal”, disse Rôney Nemer, principal articulador da proposta, aos profissionais.

Manobra
Apesar das aprovações a toque de caixa, com projetos votados em menos de 30 segundos, nos bastidores, os distritais debatiam alterações na RJU. Deputados da base queriam a retirada de trechos da norma que estabeleciam regras antinepotismo e ficha limpa. O texto encaminhado pelo Executivo estabelecia que o governador e os parlamentares não podiam ter parentes ocupando cargos em comissão e exigiam que esses servidores não tivessem condenação judicial. A medida desagradou alguns governistas, que se articularam para derrubar esses pontos em plenário.

O imbróglio foi tamanho que a sessão acabou suspensa por 30 minutos. Os deputados da base e da oposição se reuniram para elaborar a modificação nesse meio tempo. Mais cedo, eles haviam tentado convencer a relatora do projeto, Liliane Roriz (PSD), a fazer as alterações, mas ela não cedeu. A Emenda Modificativa
nº 28, assinada com as alterações, foi apresentada diretamente no plenário, com parecer favorável do relator, deputado Cláudio Abrantes (PPS).

A emenda aprovada em primeiro turno foi assinada por diversos parlamentares — Benedito Domingos (PP), Luzia de Paula (PPS), Celina Leão (PSD), Rôney Nemer (PMDB), Eliana Pedrosa (PSD), Wellington Luiz (PSC), Dr. Michel (PSL) e Olair Francisco (PTdoB) — e alterou o artigo 16 da RJU. No inciso quarto, foi acrescentado o texto: “Sob subordinação hierárquica mediata ou imediata”. De acordo com o relator, isso evitaria o nepotismo cruzado apenas dentro de um mesmo órgão. Na prática, os distritais poderiam continuar a manter parentes no Executivo, assim como os próprios gestores, desde que não seja na mesma instituição. Uma leitura mais ampla de técnicos da Casa apontou que a regra também valeria para as contratações no Legislativo. “Essa emenda foi acordada com a liderança do governo. Foi um pedido dos deputados”, disse Abrantes.

Horas depois, antes da votação em segundo turno, o próprio Abrantes voltou atrás e articulava uma nova emenda para fechar a brecha aberta na primeira votação. A sessão foi novamente suspensa por meia hora, e até as 22h50 não havia sido retomada.

Carnaval
Outra proposição comemorada na galeria foi a que desvincula o repasse das verbas do carnaval brasiliense. O projeto regulamenta o patrocínio público dos desfiles e elimina a necessidade de licitação, além de garantir o envio dos recursos diretamente às escolas de samba. “Essa medida vai melhorar muito o nosso carnaval”, disse Chico Vigilante. Até o fechamento desta edição, a sessão ainda não havia terminado.

Bancada federal garante R$ 255 mi
O valor das emendas da bancada do Distrito Federal no Congresso Nacional aumentou de R$ 170 milhões para R$ 255 milhões. O acréscimo foi incluído no relatório setorial produzido pelo deputado Arlindo Chinaglia (PT), que se reuniu na noite de quarta-feira com o líder da bancada, senador Rodrigo Rollemberg (PSB), para comunicar as alterações. O item que recebeu o maior aporte foi a adequação da BR-080 no trecho que liga Taguatinga a Brazlândia, com R$ 30 milhões. A área da saúde foi a maior beneficiada. São R$ 16 milhões para a ampliação do Hospital da Criança, o mesmo valor para a Rede Sarah e R$ 19 milhões para o Hospital Universitário de Brasília (HUB), entre outras.

Projetos dos parlamentares
Veja alguns projetos de autoria dos deputados aprovados em segundo turno na tarde de ontem. Agora, eles seguem para sanção do governador.

» PL nº 1658/10 — Benedito Domingos (PP)
Obriga os estabelecimentos, públicos ou privados, a grafarem corretamente os logradouros
no material publicitário.

» PL nº 365/11 — Rejane Pitanga (PT)
Concede desconto para aquisição de livros e de material de formação a professores da
rede de ensino do DF.

» PL nº 273/11 — Eliana Pedrosa (PSD)
Garante a reconstituição completa da mama para mulheres vitimas do câncer nos hospitais públicos do DF.

» PL nº 123/11 — Liliane Roriz (PSD)
Proíbe a venda do cachimbo conhecido como narguilé a jovens com menos de 18 anos.

» PL n° 39/11 — Joe Valle (PSB)
Torna obrigatória a prática da coleta seletiva do lixo nas unidades da rede de ensino do DF.

» PL nº 350/11 — Luzia de Paula (PPS)
Dispõe sobre a instalação de portas com detectores de metal nas casas lotéricas.

» PL nº 130 /11— Chico Leite (PT)
Institui o cadastro para o bloqueio do recebimento de ligações de telemarketing.

» PL nº 280/11 — Patrício (PT)
Obriga a utilização de coletes infláveis de proteção para motoboys. O custo será das empresas contratantes dos profissionais.

» PL nº 286/11 — Chico Vigilante (PT)
Garante o aproveitamento dos trabalhadores no caso de troca de empresas terceirizadas nos contratos de prestação de serviço ao serviço público do DF.











http://www.correiobraziliense.com.br...epotismo.shtml
Reply With Quote
     
     
  #129  
Old Posted Dec 16, 2011, 12:03 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 5,635
Reply With Quote
     
     
  #130  
Old Posted Dec 16, 2011, 6:29 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 5,635
Avaliação positiva do governo Dilma aumenta, mostra pesquisa CNI/Ibope


O percentual de entrevistados que avaliam o governo Dilma Rousseff como ótimo ou bom aumentou de 51%, em setembro, para 56%, em dezembro – mesmo índice registrado em março. Para 32%, a gestão atual é regular, ante 34%, e 9% a consideram ruim ou péssima, ante 11%. Os dados fazem parte da pesquisa encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) ao Ibope, divulgada nesta sexta-feira (15).

O levantamento indica que as denúncias de corrupção envolvendo ministros do governo não prejudicaram a avaliação da população. De acordo com a pesquisa, 28% dos entrevistados se lembram de alguma notícia sobre corrupção na atual gestão.

As expectativas positivas (ótima ou boa) em relação ao resto do mandato também melhoraram, de 56%, em setembro, para 59%, em dezembro. O índice dos que acreditam que o restante do governo será regular diminuiu de 26% para 24% e o dos que esperam que será ruim ou péssimo caiu de 11% para 10%.

Segundo a pesquisa, 72% da população aprovam a maneira de Dilma governar, praticamente o mesmo índice registrado em setembro (71%) e 21% a desaprovam, igual ao registrado em setembro. Os demais não responderam ou não souberam responder.

O levantamento aponta que 68% disseram que confiam na presidente Dilma e que 26% não confiam, os mesmos índices verificados na pesquisa anterior.

O percentual de entrevistados que consideram o governo Dilma melhor do que o do seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva, caiu de 15%, em setembro, para 12% em dezembro. Para 57%, o governo é igual ao de Lula, ante 55%, e 28% o consideram pior, ante 26%.

A pesquisa foi feita entre os dias 2 e 5 de dezembro, com 2.002 entrevistados em 142 municípios. A margem de erro é 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

















http://www.correiobraziliense.com.br...ni-ibope.shtml
Reply With Quote
     
     
  #131  
Old Posted Dec 17, 2011, 1:41 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 5,635
Aliados acreditam que Agnelo esteja sendo alvo de fogo amigo vindo do GDF


Pelo menos três oficiais da PM e um delegado já foram exonerados


Em meio a uma crise política, aliados acreditam que o governador Agnelo Queiroz esteja sendo alvo de fogo amigo vindo de dentro do próprio GDF. Para neutralizar esses ataques, Agnelo tem sido aconselhado a fazer substituições em postos estratégicos da Polícia Militar, onde há suspeita da existência de agentes infiltrados que estariam à frente de vazamentos de informações para municiar adversários. Pelo menos três oficiais da PM e um delegado já foram exonerados.

Dois inquéritos abertos pela Delegacia de Crimes contra a Administração Pública (Decap) e pela Divisão Especial de Combate ao Crime Organizado (Deco), sob a condução do delegado Filipe de Moraes Maciel, apuram eventos considerados suspeitos por integrantes da cúpula do GDF. Mas enquanto correm as investigações da Polícia Civil, a cúpula do governo se adiantou em medidas administrativas para se proteger do chamado fogo amigo.

Uma delas foi a recente demissão do tenente-coronel Renato Costa, que atuou no comando do Batalhão de Operações Aéreas da PM. Integrantes do GDF estão convictos de que o oficial — filho de Edes Costa, ex-comandante da PM no governo de Joaquim Roriz — foi quem levou Daniel Tavares à casa de Eduardo Pedrosa, irmão da distrital Eliana Pedrosa (PSD). Na ocasião, o lobista gravou um vídeo, desmentindo depois, acusando Agnelo de receber propina de uma empresa farmacêutica.

Faz parte do inquérito aberto na Decap e está entre as evidências que já motivaram outras substituições na área de Segurança do GDF uma troca de e-mails que demonstraria, segundo pessoas ligadas ao governador, a ponta de uma conspiração contra Agnelo.

É remetente de um desses e-mails a tenente-coronel Soraya Barbosa Sales de Almeida. Até junho, ela ocupava o cargo de analista de inteligência, posto vinculado à Secretaria de Segurança Pública.

Em 2 de junho, a oficial enviou e-mail a um grupo restrito de pessoas que ocupam postos estratégicos na administração pública e trocam informações entre si.

A mensagem endereçada a grupoco@googlegroups.com tinha como conteúdo um questionamento sobre o que ocorreria caso o governador do Distrito Federal sofresse um processo de impeachment.

A pergunta da tenente-coronel foi respondida por um servidor do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) identificado na troca de e-mails como Carlos Lourenço. Para esclarecer a dúvida da oficial Soraya, o servidor escreveu: “Cel., verifiquei e não vi nenhuma norma genérica, depende do caso, se o registro for cassado perde o mandato o governador e o vice, aí assume o presidente da Câmara na hierarquia legal. Estando tudo bem com o candidato que ficou em segundo, este assume. Em outros casos, o vice e o TSE na sentença determinam ou não a realização de eleições.

Lembra do Collor, o vice assumiu. O Código eleitoral fala sobre vacância”, escreveu Lourenço em resposta à tenente-coronel. No texto, ele se despediu: “Estamos à disposição”.

E-mails
A troca de e-mail entre a analista de inteligência do GDF e o servidor do TRE ocorreu entre 1º e 2 de junho deste ano, seis meses após o início do governo, mas antes da crise política deflagrada com as denúncias do policial João Dias e depois agravadas com as revelações do lobista Daniel Tavares, que acabou voltando atrás nos ataques a Agnelo. Mesmo anterior às recentes acusações envolvendo o governador e outros integrantes do Buriti, o episódio acendeu a luz amarela entre os governistas, que buscam identificar de onde parte o fogo amigo.

Recentemente, o chefe da Casa Militar do GDF, tenente-coronel Rogério da Silva Leão, foi surpreendido com a divulgação de vídeos e relatórios dando conta de operações internas de monitoramento do governo e de pessoas ligadas ao GDF. Leão é tratado por um grupo de críticos de Agnelo como mentor de um esquema de captação clandestina de imagens e de dados que seriam usados para cacifá-lo no GDF. No episódio Daniel Tavares, o coronel é acusado por opositores do governo de ter coordenado operação que explicaria a mudança repentina da opinião do lobista.

O tenente-coronel é um dos agentes que já prestou depoimento no inquérito aberto pela Decap. Fazem parte do relato de Leão os e-mails trocados entre a tenente-coronel Soraya e o servidor do TRE para apurar os cenários em caso de impeachment do governador. Ao tomar conhecimento da mensagem que, justamente por ter circulado dentro de um grupo acabou chegando às mãos de Leão, o chefe da Casa Militar contou aos delegados em depoimento que pediu explicações à colega de patente. Constrangida com a situação, Soraya explicou a Leão que não tomou a iniciativa da consulta.

Missão

A analista de inteligência Soraya de Almeida alega que fez a consulta ao TRE para cumprir uma missão designada pelo seu superior, o ex-subsecretário de Inteligência da Secretaria de Segurança, delegado Gilberto Maranhão. Soraya acabou registrando o episódio em um memorando (veja fac-símile) endereçado à Subsecretaria de Inteligência. No documento, a militar expõe: “Dirijo-me a Vossa Senhoria, a fim de relatar os fatos relacionados ao cumprimento de missão solicitada a esta analista e que tem tomado proporções que extrapolam os limites da Atividade de Inteligência”. Segue Soraya no documento; “No dia 1º de junho, fui solicitada por V.Sr. a efetuar uma pesquisa de dados acerca do seguinte assunto: ‘Em caso de impeachment do governador do DF, quais as implicações segundo a legislação eleitoral vigente’, objetivando avaliar a credibilidade de dados disponíveis em fontes abertas”.

Como medida de proteção, Soraya continua a explicação oficial relatando que fez a coleta dos dados pela internet e que, para dar rapidez à apuração das informações, foi “realizado um telefonema a um colaborador, funcionário do TRE. E que, no mesmo dia, foi enviada a resposta dele via Rede IDF, acessada por diversas pessoas”. De acordo com Soraya, “a resposta, eminentemente técnica, recebeu interpretação diversa e foi utilizada indevidamente por integrantes da Rede e, apesar de não ser um documento de inteligência classificado, foi postado inadvertidamente por integrante que provavelmente desconhece as implicações inerentes ao sigilo que a atividade requer”.


O ofício encaminhado pela analista de inteligência a seus superiores

A tenente-coronel Soraya alega ainda no memorando que a interpretação dada ao tema compromete diretamente a ela, “no que tange aos padrões éticos, hierárquicos e disciplinares”. Em seguida, a oficial pede que o superior dela “tenha a gentileza de esclarecer o exmo. sr. secretário de Segurança para que o mesmo, ciente do fato, esclareça possíveis distorções envolvendo o nome desta oficial junto ao presidente da Câmara, do chefe da Casa Militar e do diretório regional do PT”. Antes de se despedir, ela ainda ressalta que, como analista de inteligência, “cumpriu determinação e agiu no estrito cumprimento do dever”.



O e-mail enviado pela tenente-coronel e a resposta do TRE

Medidas
A tenente-coronel Soraya foi exonerada do cargo em seguida ao episódio. Da mesma forma, perdeu a função de confiança o subsecretário Gilberto Maranhão, em setembro deste ano. O governo esperou um rearranjo na Secretaria de Segurança para tirá-lo. A polícia apura as razões do episódio com um fator que apimenta as investigações sobre o caso. Maranhão é casado com uma sobrinha do vice-governador Tadeu Filippelli (PMDB), ligação que alimenta a tese de alguns integrantes do governo de que o vice teria interesse na cassação do mandato de Agnelo Queiroz.

Filippelli nega fazer parte de qualquer conspiração para atingir Agnelo. Pelo contrário, em conversas reservadas, insiste que essa tese é absurda e que a queda do governador poderia lhe prejudicar frontalmente, uma vez que ele passaria a ser a vidraça de um grupo de políticos e empresários que estaria armando para tomar o governo de Agnelo e voltar ao poder. Nos bastidores, Filippelli sustenta que o melhor dos mundos é a parceria vitoriosa nas eleições perdurar até 2014.

O Correio tentou fazer contato com Gilberto Maranhão, mas não localizou o delegado. O chefe da Casa Militar, coronel Leão, não quis comentar o teor do depoimento à Decap. Confirmou, no entanto, que o caso está sob investigação policial. “Seria precipitado emitir juízo de valor sobre os episódios”, limitou-se a dizer. A reportagem procurou também o tenente-coronel Renato Costa, mas ele não foi localizado.










http://www.correiobraziliense.com.br...o-do-gdf.shtml
Reply With Quote
     
     
  #132  
Old Posted Dec 18, 2011, 5:58 PM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is offline
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 5,909
E dessas ninguem esperava, o PSDB sem nomes fortes para derrotar o possivel 2o mandato de Agnelo, estuda trazer um figurão do PR para concorrer aqui. Me desculpe, não vai dar nem para o 1o turno se isso ocorrer. Mas se Reguffe se canditatar, com certeza vai trazer dores de cabeça a todos, principalmente ao PSOL E PSTU.
Reply With Quote
     
     
  #133  
Old Posted Dec 18, 2011, 6:03 PM
Espartano_bsb Espartano_bsb is offline
Registered User
 
Join Date: May 2011
Posts: 276
Infelizmente o DF tem o dedo podre para eleger políticos...
Reply With Quote
     
     
  #134  
Old Posted Dec 19, 2011, 12:38 AM
GMF's Avatar
GMF GMF is offline
Registered User
 
Join Date: Jun 2011
Posts: 130
Olha, eu adoro o DF, mas adoraria que ele voltasse a ser uma autarquia da União.

Seria um ganho inestimável fechar aquela porcaria da CLDF. Além disso, o governo federal tem uma administração bem mais profissional, coisa que passa longe do DF e suas práticas patrimonialistas que ninguém tem coragem de acabar.
Reply With Quote
     
     
  #135  
Old Posted Dec 20, 2011, 7:45 PM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is offline
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 5,909
Quote:
Originally Posted by GMF View Post
Olha, eu adoro o DF, mas adoraria que ele voltasse a ser uma autarquia da União.

Seria um ganho inestimável fechar aquela porcaria da CLDF. Além disso, o governo federal tem uma administração bem mais profissional, coisa que passa longe do DF e suas práticas patrimonialistas que ninguém tem coragem de acabar.
Concordo contigo, deveriamos voltar o que era antes....

Governador indicado pelo PRESIDENTE DA REPUBLICA
E o nome deveria ser aprovado pela Camara Federal
E o mesmo nome deveria ter o aval do Supremo Tribunal

Assim acabara a Camara Distrital
Reply With Quote
     
     
  #136  
Old Posted Dec 21, 2011, 3:21 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 5,635
Facebook é febre entre distritais


Deputados utilizam as redes sociais para aproximar mandatos do eleitor


A tecnologia é o artifício que mais transformou a política nos últimos 10 anos. Nesse contexto, as redes sociais vieram pra ficar e mudaram a forma de interação dos políticos com o público. O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, usou magistralmente o Twitter e o Facebook (FB) nas eleições de 2008 e criou um novo padrão de comunicação. E não é diferente com os deputados da Câmara Legislativa do DF. Apenas três parlamentares não possuem perfil no “Face”.

Os distritais descobriram no Facebook um espaço que nem sempre conseguem na mídia. Divulgam agenda, eventos, projetos de lei aprovados e todo tipo de novidade para milhares de “amigos”. Um dos problemas de tanta interação são os pedidos. Os seguidores pedem desde audiência, passando por emprego e dinheiro. Muitos querem apenas desejar um “bom dia” aos deputados.


Dr. Michel: ''Muitos duvidam que sou eu que estou tuitando''

O deputado Dr. Michel (PSL) é bastante atuante nas redes sociais. Ele publica no Facebook toda a sua agenda de trabalho, inclusive com fotos dos eventos que participa. “Com o avanço da tecnologia, temos que deixar a comunidade informada e as redes sociais são um ótimo instrumento para isto”, afirmou. O deputado disse ainda que procura responder as mensagens imediatamente, por meio de seu celular Blackberry. “Muitos duvidam que sou eu que estou ‘tuitando’. Sou eu mesmo”, disse, rindo.

O deputado Michel responde pessoalmente às mensagens e até os pedidos de dinheiro, mesmo que seja uma negativa. “Mais vale um ‘não’ verdadeiro do que um ‘sim’ mentiroso”, disse. O parlamentar conta com um suporte de sua assessoria, mas faz questão de manter o contato direto com a população, não só com eleitores.


Interatividade e muitos “amigos”

O deputado Cláudio Abrantes (PPS) é aficionado por tecnologia e internet. Ele possui um iPhone e um iPad e sempre está conectado às redes sociais. Abrantes possui dois perfis e uma pagina no FB e, ainda, uma conta no Twitter. “A rede social é um instrumento rápido, moderno, mas não pode substituir o corpo-a-corpo com a população”, comentou.
Segundo o deputado, ele administra a própria conta do Twitter e no FB recebe alguma ajuda de assessores. “As mensagens eu respondo pessoalmente, todos os dias. As postagens no mural, só as que são mais específicas. Se for pedido de agenda, por exemplo, minha assessoria responde. Mas acompanho tudo”, disse. Cláudio Abrantes, no momento da redação desta matéria, era um dos distritais com mais seguidores.
O distrital Raad Massouh (PPL), embora não pareça, também é ligado às tecnologias. Com seu iPhone e seu iPad, faz questão de ler e postar todas as mensagens no Twitter e no Facebook. “Uso todas as redes sociais para informar ao povo sobre as ações parlamentares e meu trabalho pela comunidade. É por meio do ‘Face’, twitter e do meu blog que recebo dezenas de sugestões que sempre melhoram o meu trabalho”, explica o deputado.
Raad também está “bem de amigos”. Possui 4.997 em seu perfil 1 e outros 496 no segundo perfil. E afirma: “Gosto tanto dos recursos tecnológicos que até para passar recados aos meus assessores e funcionários eu uso o celular e mando mensagens”.
O líder do bloco PT-PRB, deputado Chico Vigilante, cuida de sua conta no FB, com ajuda da assessoria. Em seu perfil são postadas fotos, matérias, “bom dia”. O parlamentar responde todas as mensagens e gosta da ‘modernidade’. “Temos uma boa interação com os amigos”, afirmou.




“Amigos” no Facebook *



Agaciel Maia (PTC): 3.999
Aylton Gomes (PR): 2.131 (perfil 1); 558 (perfil 2)
Benedito Domingos (PP): 2.006
Benício Tavares: não tem perfil
Celina Leão (PSD): 1.671 (perfil 1); 819 (perfil 2)
Chico Leite: não tem perfil
Chico Vigilante (PT): 4.437
Cláudio Abrantes (PPS): 5000 (perfil 1); 136 (perfil 2)
Dr. Charles (PTB): não tem perfil
Dr. Michel (PSL): 4.972
Eliana Pedrosa (PSD): 4.992
Evandro Garla (PRB): 3.024
Joe Valle (PSB): 4.690
Liliane Roriz (PSD): 4.889
Luzia de Paula (PPS): 2.410
Olair Francisco (PTdoB): 4.971
Patrício (PT): 5.051
Professor Israel Batista (PDT): 5.000
Raad Massouh (PPL): 4.997 (perfil 1); 496 (perfil 2)
Rejane Pitanga: perfil fechado
Rôney Nemer (PMDB): 443
Washington Mesquita (PSD): 2.491
Wasny de Roure (PT): 824
Wellington Luiz (PPL): 5.001


*Números até a noite de terça-feira, 20 de dezembro.


À vontade para ouvirem críticas

O distrital Professor Israel Batista (PDT) tem hoje 5000 amigos no Facebook (limite máximo). Além disso, possui cerca de 900 assinantes e 325 amigos no perfil institucional, criado recentemente. O parlamentar atualiza pessoalmente suas páginas, mas conta como o suporte profissional da assessoria na orientação de como trabalhar as temáticas, abordar assuntos e realizar campanhas.
De acordo com o distrital, as redes sociais possibilitam uma relação direta e transparente entre o cidadão e o parlamentar e permitem uma maior interação com os eleitores que compartilham valores e objetivos comuns de forma não hierárquica. “Na internet, as relações são horizontais e as pessoas se sentem mais à vontade para criticar, sugerir e cobrar”, afirmou.
Sobre o impacto desse tipo de ferramenta na política, Israel lembrou a eleição do presidente norte-americano. “Foi um divisor de águas na forma de se fazer campanha política pela internet. Esse exemplo demonstra que a sociedade civil, ao se mobilizar por meio das redes sociais, é capaz de alterar os rumos de um país”, disse. Segundo ele, ele aprovou um projeto de lei sugerido por um cidadão no Facebook.
Benedito Domingos (PP), tem mais de 2 mil amigos no FB, atualizado por sua assessoria. “É um meio de aproximação e interação com o cidadão. O eleitor quer saber as proposições e o dia a dia do parlamentar. Percebo isso, através do feedback que recebo diariamente”, comentou.










http://www.alo.com.br/noticias/ultim...Noticia=151741
Reply With Quote
     
     
  #137  
Old Posted Dec 24, 2011, 9:11 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 5,635
Projeto proíbe construtoras de fazer doações a campanhas eleitorais


Tramita na Câmara o Projeto de Lei 1975/11, do deputado Lucio Vieira Lima (PMDB-BA), que modifica uma série de dispositivos na Lei Geral das Eleições (Lei 9.540/97). Entre as principais alterações propostas está o fim da possibilidade de coligação em eleições proporcionais e a inclusão de construtoras e empreiteiras entre as fontes proibidas de fazer doação para as campanhas eleitorais.

Atualmente, é vedado, a partido e a candidato, por exemplo, receber direta ou indiretamente doações de entidade ou governo estrangeiro e entidade de classe ou sindical, entre outras.

Segundo o autor, as alterações visam garantir efetivamente a legitimidade e a lisura do processo eleitoral, reformando ou excluindo da legislação atual disposições normativas entendidas como inadequadas.


Vieira Lima: as alterações visam garantir a lisura nas eleições e excluir da legislação normas inadequadas.

Abuso do poder político
Com relação ao abuso do poder político, o texto aumenta o prazo de proibição da publicidade institucional de atos, programas, obras, serviços e campanhas dos órgãos públicos federais, estaduais ou municipais de três para seis meses antes do pleito e impõe critérios orçamentários mais rigorosos para limitar os gastos abusivos. O projeto também inclui a mera promoção pessoal e a participação de pré-candidato em propaganda partidária no rol de normas excludentes da propaganda antecipada.

Ainda quanto à propaganda eleitoral, a proposta determina a proibição definitiva das pinturas de muro em bens particulares, salvo na identificação dos comitês eleitorais, que ganham mais flexibilidade. Ficam também proibidas as propagandas em vias públicas, as quais, segundo o autor, nas últimas eleições não se demonstraram adequadas.

Atualmente, em bens particulares, não é preciso obter licença municipal e autorização da Justiça Eleitoral para veicular propaganda por meio de faixas, placas, cartazes, pinturas ou inscrições, desde que não excedam a 4m² e que não contrariem a legislação eleitoral

Tempo na mídia
No caso de rádio e TV, o projeto estabelece um tempo máximo de punição equivalente a dois terços, a fim de que, por circunstâncias processuais, as punições acumuladas que se somem na etapa final da campanha não impeçam completamente uma eventual candidatura da comunicação com o eleitorado. O mesmo raciocínio é adotado quanto ao direito de resposta, cujo tempo mínimo foi reduzido para 30 segundos.

Para a realização dos debates, a proposta exige quórum mínimo de maioria absoluta dos candidatos, em vez do atual de dois terços, que segundo Vieira Lima, praticamente inviabiliza a sua realização na prática.

Entre outras alterações, a proposta também adota o entendimento do Supremo Tribunal Federal quanto à necessidade de apenas um documento com foto para votar.

Tramitação
O projeto será analisado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania e, em seguida, segue para análise pelo Plenário.






http://www.alo.com.br/noticias/ultim...Noticia=152273
Reply With Quote
     
     
  #138  
Old Posted Dec 24, 2011, 9:20 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 5,635
Parece piadaDúvido que esse projeto saia
Reply With Quote
     
     
  #139  
Old Posted Dec 25, 2011, 2:11 PM
GMF's Avatar
GMF GMF is offline
Registered User
 
Join Date: Jun 2011
Posts: 130
Eduardo Campos é aprovado por 89% em PE



Uma pesquisa encomendada pelo Grupo Bandeirantes de Comunicação e divulgada nesta quinta-feira pelo Ibope (Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística) revelou o índice de aprovação dos governadores de nove estados, além do Distrito Federal. Em primeiro lugar aparece o pernambucano Eduardo Campos (PSB), com 89% de aprovação.

Em segundo lugar aparece Beto Richa (PSDB), do Paraná, com 74% e Sérgio Cabral (PMDB), do Rio de Janeiro, é o terceiro, com 71% de aprovação. A pesquisa ouviu 10.878 pessoas, entre homens e mulheres, em todo o país, entre os dias 3 e 6 de dezembro.

FONTE: http://www.band.com.br/jornaldaband/...D=100000476002
Reply With Quote
     
     
  #140  
Old Posted Dec 25, 2011, 9:28 PM
Similar Similar is offline
Registered User
 
Join Date: Sep 2011
Posts: 164
Quote:
Originally Posted by GMF View Post


Uma pesquisa encomendada pelo Grupo Bandeirantes de Comunicação e divulgada nesta quinta-feira pelo Ibope (Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística) revelou o índice de aprovação dos governadores de nove estados, além do Distrito Federal. Em primeiro lugar aparece o pernambucano Eduardo Campos (PSB), com 89% de aprovação.

Em segundo lugar aparece Beto Richa (PSDB), do Paraná, com 74% e Sérgio Cabral (PMDB), do Rio de Janeiro, é o terceiro, com 71% de aprovação. A pesquisa ouviu 10.878 pessoas, entre homens e mulheres, em todo o país, entre os dias 3 e 6 de dezembro.

FONTE: http://www.band.com.br/jornaldaband/...D=100000476002
Assustador! Realmente acabar com a autonomia pode ser a única salvação do DF. O Governo Federal teria até maior interesse em deixar a cidade 100%, como vitrine das suas políticas e de seus projetos.
Reply With Quote
     
     
This discussion thread continues

Use the page links to the lower-right to go to the next page for additional posts
 
 
Reply

Go Back   SkyscraperPage Forum > Regional Sections > América Latina > Brasil > Notícias do Brasil - Imprensa Nacional
Forum Jump


Thread Tools
Display Modes

Forum Jump


All times are GMT. The time now is 7:20 AM.

     

Powered by vBulletin® Version 3.8.7
Copyright ©2000 - 2014, vBulletin Solutions, Inc.